Ministro do Supremo suspende decisão que autorizou Dirceu a viajar | Fábio Campana

Ministro do Supremo suspende decisão que autorizou Dirceu a viajar

Foto: André Coelho – O Globo
zé dirceu - andre coelho

Do Globo:

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, suspendeu neste sábado a decisão do juiz Nelson Ferreira Junior, da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas do Distrito Federal, que autorizou o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu a passar duas semanas em São Paulo. Barroso, que é relator do processo que julgou Dirceu no caso do mensalão, argumentou que não houve qualquer comunicação formal a ele da decisão tomada pelo juiz e pediu informações, com a máxima urgência, dos fundamentos da decisão. Dirceu cumpre pena em prisão domiciliar em Brasília.

No despacho, Barroso diz que a decisão deverá ficar suspensa até que receba esclarecimentos. Ele ainda destacou que a autorização de viagem foi dada mesmo com o parecer desfavorável do Ministério Público (MP).

Conforme o GLOBO revelou na sexta-feira, o juiz Nelson Ferreira Junior atendeu a pedido de Dirceu e autorizou que ele viajasse entre São Paulo e Vinhedo, no interior do estado, onde tem residência em um condomínio. A autorização foi dada para viagem entre os dias 18 de novembro e 2 de dezembro. No pedido à Justiça, Dirceu argumentou que precisa viajar para cuidar de seu escritório. O ex-ministro aproveitou também para pedir para passar o Natal em Passa Quatro, no sul de Minas, onde vivem sua mãe e irmãos. O MP se pronunciou contra as duas viagens, mas juiz autorizou a ida a São Paulo e disse ser ainda cedo para decidir sobre viagem no período natalino.

Na sexta-feira, a defesa do ex-ministro foi procurada pelo GLOBO, mas não confirmou se Dirceu já havia viajado para São Paulo. Segundo a assessoria do STF, se ele estiver no estado, deverá retornar a Brasília assim que for intimado oficialmente, caso contrário estará descumprindo as regras do regime domiciliar, sob pena de perder o benefício.

Dirceu foi condenado a sete anos e onze meses, por corrupção ativa, no processo do mensalão. O ex-ministro foi preso no dia 15 de novembro do ano passado, mas conseguiu no dia 28 de outubro o direito de cumprir a pena em regime domiciliar, em Brasília.


5 comentários

  1. ISADORA BRANDÃO
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 14:42 hs

    O Juiz Federal Moro, está colocando “EM CANA” os 40 Ladrões !!!
    Depois disso, aguardamos ansiosos, que este brasileiro, sucessor do Ministro Joaquim Barbosa, ‘ENCANE” o ALÍ BABÁ !!!

  2. zangado
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 16:36 hs

    Esse pulha foi citado no PTrolão como indicador de uma dos maiores implicados.

    Ele está aflito porque pode, quiçá, entrar numa reincidencia em corrupção ativa.

    Rédea curta, corretíssima!

  3. ferreira
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 18:33 hs

    Esse barroso logo afrouxa de novo e libera este canalha velhaco ladrão lesa pátria………….praga ptista.

  4. jose marcos
    sábado, 22 de novembro de 2014 – 21:04 hs

    Pode se ausentar até oito dias da comarca do cumprimento da pena. É a lei.

  5. imaurricci
    segunda-feira, 24 de novembro de 2014 – 13:36 hs

    Perguntar não ofende. Se este marginal pode se ausentar até oito dias da comarca do cumprimento da pena,é a lei, . Quantos presidiários brasileiros com menor grau de ilicitude não estão cumprindo prisão domiciliar,será o porquê não é da classe política,não tenha influenciado nas escolhas para nomeação de Ministro do STF.Coisas estranhas acontece neste país,não acham.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*