Limpando as gavetas | Fábio Campana

Limpando as gavetas

Arno Augustin

Além das defecções óbvias, como as dos paranaenses Paulo Bernardo e Gilbertinho Carvalho, a grande dúvida é na área financeira. Na mesma semana que Guido Mantega, ministro da Fazenda, diz que o resultado das eleições “mostra que a população está aprovando a política econômica que nós estamos praticando”, o secretário do Tesouro, Arno Augustin, o algoz do Paraná, para justificar o resultado fiscal negativo em R$ 25,5 bilhões, um déficit recorde nas contas públicas, jura que “o governo acha que optou pelo melhor para o país”.

A explicação de Augustin era sensivelmente piorada com o tom de voz exibido pelo secretário que, segundo os melhores observadores, carregava uma dose de consternação. Ele, como Mantega, também está limpando as gavetas. No máximo, poderá ganhar um cargo menor no Planalto.

Diante do resultado fiscal negativo em R$ 25,5 bilhões, o governo terá até dia 22 de dezembro, quando se encerra o ano legislativo, prazo para aprovar mudanças na Lei de Diretrizes Orçamentárias para se adequar à nova realidade. Caso contrário, estará descumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal, que pode provocar punições aos responsáveis pela política econômica, incluindo a presidente da República. E de novo, essa alternativa fica na dependência do bom comportamento do Congresso.


2 comentários

  1. segunda-feira, 3 de novembro de 2014 – 20:40 hs

    No desGoverno do PT só mudam de cadeiras, e quase sempre com promoção o exemplo taí Vargas já está lá buscando sua cadeira nova. Claro que todos eles se escondem numa boquinha que não tenha tanta evidência mas o salário só aumenta . É O PADRÃO PT

  2. Helena
    segunda-feira, 3 de novembro de 2014 – 21:03 hs

    Sangue novo na maracutaia!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*