Dias piores virão | Fábio Campana

Dias piores virão

dia_1
Diálogo, palavra que Dilma repete à exaustão, dificilmente ocupará o lugar do divisionismo que o PT prega há tempos.

Da Mary Zaidan

Reajuste dos combustíveis e das tarifas de energia elétrica, alta de juros, suspensão de créditos subsidiados. Tudo feito de pronto. Até cortes em salvaguardas trabalhistas, que na campanha a presidente reeleita jurava de pés juntos que não faria e acusava seu adversário de querer fazer, estão por vir.

“A inflação sob controle”, ladainha repetida por ela nos debates eleitorais, foi substituída pela necessidade de fazer o “dever de casa” para impedir a fúria do dragão. Os sempre condenados cortes em benefícios sociais já não são imexíveis. Os gastos públicos recordes, agora, promete a presidente, serão administrados.

Nada disso combina com o país cor-de-rosa que o PT mostrou no horário eleitoral da TV. Mas Dilma Rousseff, que assim como o ex Lula nunca sabe de nada, sabia que tudo era de mentirinha. E boa parte ainda é. Costumeira, a prática do logro se mantém sem qualquer constrangimento.

Números do Ipea que apontam aumento dos miseráveis em 2013 são tratados pelo primeiro escalão do governo como “não oficiais” ou “margem de erro”. Dados oficiais do governo apontando o risco de racionamento de energia no Sudeste “não valem nada”.

Desfaçatez não falta. O Ibama chegou a dizer que não contou ao país que o desmatamento da Amazônia aumentou 122% em agosto e setembro para impedir a ação de bandidos. Posto assim, o órgão ambiental teria auxiliado continuamente a bandidagem e só deixou de fazê-lo nos meses pré-eleição. É de dar vergonha.

Se no plano econômico o governo Dilma tem tentado agir, ainda que timidamente, acenando com medidas adiadas há tempos, na política a presidente e os seus insistem no ludibrio.

Quanto à corrupção, a presidente se diz uma combatente implacável. Mas, finda a eleição, a indignação que mostrou dois dias antes com a revelação de que Lula e ela sabiam das negociatas na Petrobras deu lugar à mudez.

Isso sem responder a uma questão para lá de simples: sabia?

Diálogo, palavra que Dilma repete à exaustão, dificilmente ocupará o lugar do divisionismo que o PT prega há tempos. O partido da presidente confessa. Considera urgente construir a “hegemonia na sociedade”. Hegemonia, segundo o Aurélio, é a “preponderância de uma cidade ou de um povo sobre outras cidades e outros povos”. A definição fala por si.

Dilma não é lá muito afeita a conversas. Gosta do mando. E, ainda que se esforce, dificilmente conseguirá mudar, como bem disse a jornalista Eliane Cantanhêde em “Dilma adversária de Dilma”. Na economia e na política.

Dias piores virão.


5 comentários

  1. FUI !!!
    domingo, 9 de novembro de 2014 – 16:50 hs

    Este governo “cara de pau” do PT liderado pela Dilma e Lula nem ficam
    vermelho mesmo mentindo descaradamente. Mentir e não cumprir já não
    causa mais constrangimento a esta dupla macabra. Nós que não votamos
    neles vamos continuar pagando o pato, porem a grande massa de manobra
    que elegeram a presidenta não poderão reclamar de nada mesmo que
    forem parar no inferno !!!

  2. domingo, 9 de novembro de 2014 – 17:34 hs

    Somos um barco a deriva,sem rumo,ninguém agüenta mais as mentiras do PT,este partido veio para acabar com um pais que estava navegando em águas tranqüilas.O prejuízo destes mentirosos, levaremos. 100 anos pra recompor. Felicidade geral da nação,Sera o dia em que eles todos estiverem na Papuda!!!

  3. Do Interior....
    segunda-feira, 10 de novembro de 2014 – 8:21 hs

    Como sempre, Mary vai ao ponto. DiLLma e o PT mentiram, mentem e sempre mentirão. Sempre pregando uma coisa e fazendo outra.

    Este governo não vai dar certo por um único motivo: A história mostra que o socialismo do PT nunca deu certo, em lugar algum.

    Ou o PT torna-se um partido de direita, adotando as políticas econômicas e ajustes fiscais necessários ou o país quebra porque não tem o que aguente 50 milhões de bolsas família.

    Mas o PT tem outro defeito: é e sempre foi incompetente. Surfou na onda favorável da economia desde 2008. Agora que o cinto apertou só um pouquinho, não sabem o que fazer.

    O PT não vai acabar com a corrupção porque é o partido mais corrupto. Sua cúpula é corrupta e sua ideologia é falida. É impossível criar riqueza dividindo-a.

    Cabe à oposição mostrar isso ao brasil nestes quatro anos. Principalmente ao nordeste onde o povo vota com o cartão do bolsa família e com o medo.

    A oposição deve adentrar nos meios de comunicação do nordeste e, aos poucos, desnudar a farsa petista que o resto do Brasil já conhece!

  4. DANIEL II
    segunda-feira, 10 de novembro de 2014 – 16:00 hs

    O POVO ESCOLHEU E AGORA QUE PAGUE O PREÇO ATÉ 2018!!!!
    JÁ ERA! JÁ FOI! NÃO ADIANTA RECLAMAR! OS BOLCHEVISTAS VÃO DETONAR! AGUARDEM!

  5. terça-feira, 11 de novembro de 2014 – 10:53 hs

    Concordo com as colocações do post do DO INTERIOR e do JECA e discordo do colocado pelo DANIEL II pois, creio piamente que com o desenrolar da OPERAÇÃO LAVA JATO em algum momento de 2015 teremos motivos irrefutáveis para abertura de um processo de IMPEACHMENT por crime de responsabilidade, que história essa do “eu não sabia”, eles nunca sabem nada, não veem nada, a GLEISI não recebeu 1.000.000 de reais por fora, é capaz até de negarem que os ex-lideres que foram PRESOS NA PAPUDA e vejam que um deles era para estar hoje no lugar da DIUUMA que é o JOSÉ FARSANTE DIRCEU , vão dizer que eles estavam conhecendo o sistema penitenciário “por dentro” para melhorá-lo e dai quem sabe o PIZZOLATO poderá cumprir sua pena no Brasil……é o partido das trambicagens e das mentiras sem fim, mas em breve tudo dará certo e vamos nos livrar desses quadrilheiros de uma vez por todas……quem viver, verá.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*