Tradicional na política, família Barros vem com mais força | Fábio Campana

Tradicional na política, família Barros vem com mais força

barros - metro curitiba

Do Metro Curitiba:

A família Barros, tradicional na política de Maringá, desembarca com ainda mais força em Curitiba a partir do ano que vem. Enquanto Cida Borguetti foi eleita vice–governadora e vai ocupar o posto no Palácio Iguaçu, a filha única do casal (com Ricardo Barros), Maria Victoria, de apenas 22 anos, foi eleita para ocupar um cargo na Assembleia Legislativa.

Curitibana, ela somou 44.870 votos no Paraná, sendo a terceira mais votada em Maringá, com cerca de 16 mil votos. Comemora, no entanto, ter conquistado eleitores em quase 90% dos municípios, sendo 5 mil deles em Curitiba. “Escolhi 55 cidades para trabalhar, até porque depois é difícil representar todos. E tive votação expressiva na capital”, diz.

Apesar de ter a base eleitoral no norte, mesma região da sua família. Maria Victoria se orgulha de ter feito a campanha sem “usar o sobrenome nem do meu pai, nem da minha mãe”.

Na atuação, no entanto, não nega que vai seguir o pai. “Eu aprendi com ele que política é servir à comunidade e também um modo de vida (…). O segredo é trabalhar 24 horas, ter o dom da articulação e estar sempre presente nos municípios, com escritório de representação aberto de segunda a segunda”, diz.

Enquanto pai e filha estão no PP, Cida Borguetti assumiu em 2013 a presidência estadual do PROS. Eleita agora para a vice-governadoria, após mandatos como deputada, ela adianta que, ao contrário dos outros vice-governadores, que costumam assumir postos em secretarias, ela só ficará em seu cargo. “Minha posição será apenas essa, ajudando como vice”, resume.

Já Ricardo Barros (PP) assume seu quinto mandato na Câmara Federal, após ter sido o mais votado em Maringá. Sempre cotado para participar do governo, onde já foi secretário de Beto Richa, Barros segue atuante. “Ele é um líder, mas ainda é muito cedo para pensar além da Câmara”, diz Cida.


11 comentários

  1. CORINGA
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 10:57 hs

    parabens a familia e sucesso na gestão que se inicia, esperamos que haja mudanças significativa no secretariado pois é vital para eleger o beto senador e a cida governadora a qual lanço agora sua candidatura

  2. sergio silvestre
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 11:48 hs

    Um dia as coisas se esclarecem e talvez precise o PT ir para a oposição para cair a mascara desse povo.

  3. Carlos
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 12:02 hs

    Essa família é muito unida…..

  4. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 12:19 hs

    -E a renovação na política, quando acontecerá definitivamente???
    -Entendo que a família Barros, já demonstrou e comprovou capacidade em atendimento às necessidades do Paraná, mas até quando isto acontecerá???
    -A renovação apresentada nesta últimas eleições, sem falar em parentesco com políticos através de laços familiares, deixou em muito á desejar, simplesmente, catastrófico.
    -Enquanto a renovação não apresentar nomes capacitados, continuaremos a votar na hierarquia política do estado, pois seria o voto de confiança.

  5. Luiz
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 12:38 hs

    Parabéns, bom trabalho, e que jamais sejam uma “família Sarney” no Paraná.

  6. segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 12:56 hs

    O melhor secretário do governador, pois deu assunto para mostrar serviço quando nada mais existia e, claro, mostrou competência também em ocupar espaços pois em terra de cegos quem tem um olho é rei …

  7. VERDADE
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 18:58 hs

    Virou profissão! Afinal o que deu o processo do melhor Secretário do Beto junto ao Ministério Público?

  8. ernani
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 19:05 hs

    Parecia impossível, mas desta vez vou concordar com o Sérgio Silvestre. Vale dizer, porém, que o deputado federal Ricardo Barros foi vice-líder do governo no Congresso, nas gestões de Fernando Henrique e Lula. Só não foi vice-líder de Dilma, porque candidatou-se ao senado e foi derrotado. Aí, não podendo ficar em Brasília e ser novamente lider do governo petista, abancou-se em uma secretaria do governador Richa.

  9. carlito
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 19:10 hs

    Filha do Ricardo Barros, filho do Requião, filho do Francischini, todos eleitos pelo voto popular. Como disse Shakespeare,”você faz suas escolhas e suas escolhas fazem você”. Depois o povo não pode reclamar. Talvez, por isso, Churchill tenha dito que “a democracia é a pior forma de governo, excetuadas as demais”.

  10. jose marcos
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 20:32 hs

    EITA !! A FAMÍLIA TODA ! ESSE NEGÓCIO DE POLÍTICA É MELHOR QUE TRABALHAR.

  11. Republicano
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 20:37 hs

    Negativo. Vivemos em uma república. Trazer familiares para a ‘política’ em pleno exercício de mandato é antiético e antirrepublicano, um acinte. Mas tudo tem seu tempo. Daqui algum, serão igualmente expulsos pelo voto. E, lembremo-nos, a ‘vice’ foi escolhida de última hora, foi a última opção, porque ‘não havia outro’. Basta ver as notícias da época. Devagar no andor. Um horror só. Viva a república. Abaixo o NE-PO-TIS-MO DIRETO! Que horror e que vergonha do nosso Paraná!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*