Prefeitura do PT empregou ex-marido de Dilma por 5 anos | Fábio Campana

Prefeitura do PT empregou ex-marido
de Dilma por 5 anos

unnamed

Além do irmão Igor Rousseff, o ex-marido da presidente Dilma Rousseff (PT) Cláudio Galeno de Magalhães Linhares integrou o quadro da Prefeitura de Belo Horizonte como funcionário comissionado. Ele exerceu cargo de confiança por cinco anos durante a administração do petista Fernando Pimentel (PT), recém-eleito governador de Minas Gerais, e de seu sucessor e então aliado Marcio Lacerda (PSB). Galeno atuou como consultor técnico especializado, nomeado para atuar diretamente no gabinete do prefeito, com salário que chega hoje a R$ 13.569,68. As informações são do Estado de Minas.

A nomeação do ex-marido de Dilma ocorreu em maio de 2005. Quatro anos depois, em janeiro de 2009, quando o mandato de Pimentel se encerrou, ele foi exonerado do cargo. Galeno voltou à prefeitura em abril de 2009, já na administração do recém-eleito Lacerda, dessa vez como gerente de 1º nível da Gerência de Acompanhamento de Colegiados. O salário para esse cargo atualmente é de R$ 8.544,04.

Na gestão de Lacerda, que em seu primeiro mandato era apoiado pelo PT e pelo PSDB, Galeno integrou o Comitê Governamental de Gestão Participativa e também o Conselho Fiscal da Belotur, empresa municipal de turismo. Ele saiu da prefeitura em 5 de julho de 2010, data da publicação de sua exoneração no Diário Oficial do Município (DOM).

Dilma Rousseff, Cláudio Galeno e Fernando Pimentel, que foi também ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior da presidente, eram amigos da época de juventude em Belo Horizonte. Na década de 1960, eles militavam no Comando de Libertação Nacional (Colina), organização de esquerda que combateu a ditadura militar.

Galeno e Dilma se casaram em 1967, em um cartório civil com a presença de familiares e poucos amigos. O casamento não durou mais de dois anos. Em 1969, os dois militantes, já na clandestinidade, fugiram da capital mineira para o Rio. Pouco depois, Galeno foi para o Rio Grande do Sul, a pedido do Colina, e Dilma continuou no Rio. O militante participou no ano seguinte de sequestro de avião em Montevidéu, Uruguai, e ficou refugiado em Cuba. Assim como Dilma, Galeno se casou novamente.

IRMÃO – Mais velho dos irmãos, Igor Rousseff também esteve na Prefeitura de Belo Horizonte com cargo de confiança durante a gestão de Pimentel, fato questionado em debate presidencial do SBT/Alterosa, anteontem, pelo candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB). Igor, que é advogado, foi nomeado assessor especial de Pimentel em setembro de 2003, pouco depois de o petista assumir a prefeitura, com a aposentadoria do então prefeito Célio de Castro. Em 1º de janeiro de 2005, ele foi exonerado da função.

Três meses depois, o irmão de Dilma, que na época era ministra da Casa Civil do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, voltou à prefeitura como assessor especial da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Informação. Ele exerceu o cargo por três anos e 10 meses, até 1º janeiro de 2009, quando se encerrou o mandato de Pimentel. Assim como Igor Rousseff, todos os servidores que não tinham cargos efetivos na estrutura da administração municipal foram exonerados.


16 comentários

  1. justino bonifacio martins
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 16:13 hs

    Era essa a informação ” quente” que o Aécio dizia ter contra Dilma? Desde quando cargo comissionado, de confiança, por prazo determinado, é emprego? Portanto Dilma não pode ser penalizada por ter tido um irmão e ex-marido em cargo comissionado. Não se pode confundir alhos com bugalhos, como tampouco PÓ com limpeza.

  2. Paolo
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 16:58 hs

    Estou curioso para ver se o MP vai fazer o que é de sua obrigação: DENUNCIAR à Justiça esses SAFADOS! Principalmente aqueles que receberam sem trabalhar ( e os que os empregaram), tipo o ex-marido e o irmão da Dirma! Será que o MP prestenção nos pograma eleitoral? A ver!

  3. Beatrix Kiddo
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 17:30 hs

    Esta coisa de apontar o dedo para os outros nunca foi uma boa, a não ser que seja da famiglia do Pinoquião, onde só tem gente competente e profundamente honesta, o seu Dudu doidão é prova inconteste disto.

  4. sábado, 18 de outubro de 2014 – 17:59 hs

    O Nepotismo dos Ptistas é muito pior doque qualquer outro mesmo porque eles não fazem as coisas diretamente, mandam outro da tchurma fazer ,isto é, empregar para enganar o povo.
    Vejam que o nome de Lula e Dilma não aparecem, diretamente ligados a nada mas são os mandantes o que é muito pior. São criminosos duplamente qualificados

  5. sergio silvestre
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 18:11 hs

    Se fosse assim aqui no Parana a coisa seria uma zona.
    Só explicando,vocês aqui no Paraná querem o Aécio,pois bem o governador eleito de Santa Catarina quer a Dilma por tudo que ela fez pelo estado.
    Aposto que muitos formadores de opinião estão preocupados com o Aécio,que pode ser uma estrela ou um buraco negro

  6. LUIZ B.
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 18:24 hs

    ORA ORAS,NÃO FICOU RICO ROUBANDO BANCOS E TRAFICANDO ARMAS JUNTO COM A ANTA MANCA,ESSA CORJA DEVERIA TER SIDO FUZILADA NA ÉPOCA,HOJE ESTARÍAMOS A SALVO DESSES RATOS.

  7. Vigilante do Portão
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 18:33 hs

    Faltou explicar se o sujeito, pelo menos, morava em BH.

  8. Luiz Ernesto
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 18:50 hs

    Ao pó tu retornarás Justino!

  9. Gardel
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 18:51 hs

    Os petistas adoram uma teta, trabalha não.

  10. z. rodrigues
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 19:26 hs

    A questao é que esses vermes não trabalhavam.

  11. DANIEL II
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 20:08 hs

    FORA PETEZADA NEPOTISTA E FALSO MORALISTA!
    DOMINGO O CALIBRE PARA VOCÊS É O .45!

  12. Carlos
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 20:27 hs

    Sergio Silvestre, o governador de SC pode querer Dilma, mas o povo catarinense não a quer! Aguarde para ver. O povo de SC sabe perfeitamente o que ela, a presidente, prometeu e não fez por SC. O governo de Dilma não retornou a SC nem 30% dos impostos aqui arrecadados. O governador Raimundo Colombo sabe que o povo catarinense, não apoia sua decisão.Aqui, como no Parana, se trabalha!

  13. Carlos
    sábado, 18 de outubro de 2014 – 20:39 hs

    Justino Martins, A nomeacão de cargos de Comissão, em sua grande maioria, são indicacões políticas. Poucos tem competência para ocupar os cargos. Pesam na folha de pagamento, comprometendo o aumento justo aos servidores de carreira. Muitos, como o irmão de Dilma, são funcionários fantasma e só aparecem para assinar o ponto e no banco para receber os salários. Tem salários mais altos que a grande maioria dos funcionários de carreira, desestimulando esses. Entendo que devam existir cargos em comissão, porém para determinados cargos como secretários. Os cargos de assistentes, assessores deveriam ser extintos. Estou esperando algum presidente, governador ou prefeito que corte os cargos em comissão, ou que os reduza, drasticamente, mantendo apenas aqueles a serem ocupados por pessoas competentes, comprometidas e que cumpram, no mínimo, seu expediente de trabalho. Se a adminstarcão precisa de mais funciona’rios, que faca concirso público e dê treinamento, valorizando funcionários de carreira, os quais não tem vínculos políticos.

  14. OSCAR GOMES
    domingo, 19 de outubro de 2014 – 1:16 hs

    Têm coisas mais graves que um cargo comissionado, são as demagogias. Quando ouvimos de detentores de mandatos que trabalham de graça, que abrem mão do salário, que pessoas de sua família que estiveram ou estão à frente da administração não recebem, que são voluntários, tenho minhas DUVIDAS. Enquanto as atenções são voltadas a funcionários em especial os comissionados, a coisa anda solta de um outro lado, que são os superfaturamentos em obras principalmente!………………….Acorda povo!

  15. Aninha
    domingo, 19 de outubro de 2014 – 9:10 hs

    Aqui na prefeitura de Curitiba não é diferente. Na FAS por exemplo, para se ter cargo tem que ser PT e viver de bar em bar… Um bando de gente grossa, que grita com os servidores e não tem nenhuma ética na vida profissional.

  16. Helena
    segunda-feira, 20 de outubro de 2014 – 23:40 hs

    Pois é, o Ministro do TSE, Dias Tofolli, suspendeu, tirou do ar esa propaganda, este Senhor foi advogado do PT, do Lula e nomeado por Dilma, é muito estranho, já que tem um documento comprovando.
    Tá tudo contaminado mesmo!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*