'Opção de Marina é compreensível', diz Dilma | Fábio Campana

‘Opção de Marina é compreensível’, diz Dilma

Foto: Felipe Raul / Estadão dilma - felipe raul - estadao conteúdo

Da Veja:

A presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) afirmou neste domingo que o anúncio de apoio formal candidata derrotada no primeiro turno Marina Silva (PSB) ao tucano Aécio Neves (PSDB) foi “compreensível”, porque a ex-petista tem menos afinidade com os programas sociais implementados no governo do ex-presidente Lula, de quem Marina foi ministra do Meio Ambiente.

“Essa opção é compreensível porque a proximidade maior que ela tem é com o programa econômico do Aécio e tem menos proximidade, de fato, com o programa social do meu governo e do presidente Lula”, disse Dilma depois de visitar um Centro Educacional Unificado (CEU) em Guaianases, Zona Leste de São Paulo.

“Eu não acredito que haja transferência automática de votos para ninguém. O voto não é propriedade nem minha nem de qualquer candidato, é do cidadão e da cidadã brasileira, então é uma temeridade eu dizer que vai ter ou não vai ter transferência de voto. Respeito ao cidadão brasileiro e à democracia significar respeitar a autonomia e a independência de cada cidadão.”

Dilma negou que o PT tenha fracassado em atrair o apoio de Marina e do PSB nacional e nos Estados: “Nós não falhamos. Eles tinham outro alinhamento”.

O PSB já havia anunciado o apoio a Aécio, embora tenha dado liberdade para seus governadores e diretórios no Norte e Nordeste, historicamente alinhados com o PT, apoiarem Dilma. É o caso, por exemplo, da Paraíba, Bahia e Amapá. Neste sábado, militantes dissidentes do PSB participaram de ato político pró-Dilma em Contagem (MG), numa tentativa do PT de mostrar falta de unidade no apoio a Aécio em seu Estado natal, Minas Gerais. “Vários seguidores da Marina vieram para a minha campanha, como o governador da Paraíba Ricardo Coutinho. Tem propostas no campo deles que são iguais às nossas e essas pessoas são muito bem-vindas”, disse Dilma.

A petista listou uma série de propostas que considera comuns aos programas de governo de Aécio e Marina. Em crítica direta à gestão do tucano, voltou a dizer que ele não investiu o mínimo constitucional da Saúde (12% do orçamento dos Estados) quando foi governador de Minas.

“Quem acha que está certo não se empenhar e não colocar dinheiro na Saúde concorda com o meu adversário”, retrucou. “Eles são a favor da independência do Banco Central e de reduzir o papel dos bancos públicos, nós não somos. O projeto que está do lado do adversário representa uma visão da economia que quando esteve no governo quebrou o país três vezes, deixou a taxa de inflação de 25%, com desemprego de 11,5%. E nos condenaram a um ano de racionamento.”


8 comentários

  1. domingo, 12 de outubro de 2014 – 22:58 hs

    A Dilma diz ter apoio de dissidentes do PSB. O que dizer então de lideranças “pesos pesados” do PMDB que estão com AÉCIO mesmo tendo como vice em sua chapa o peemedebista Michel Temer? Sem menosprezar quem quer que seja a Presidente, no desespero e nos acessos de nervosismo, próprios de pessoas descontroladas tenta subestimar o candidato AÉCIO NEVES “já eleito” pelo eleitorado brasileiro. A RAZÃO SOBREPÕE SOBRE A DEMAGOGIA E O DESGOVERNO praticado por DILMA e o PT. O ANTIPETISMO TOMOU CONTA DO PAÍS. Começo do ano p.vindouro veremos o maior número de desempregados neste nosso Brasil, com as demissões dos cargos comissionados. Daí veremos quantos milhares existem.

  2. Capanema
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 7:38 hs

    O TEMPO DE VOCÊS NO PODER JÁ ESGOTOU, E A DIFERENÇA DE VOTOS VAI SER GRANDE. É SÓ ESPERAR PRA VER.

  3. BETO
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 8:29 hs

    KKK, vc ja era quadrilheira.
    Engraçado como essa raça de ladrões da Petrobras, inssiste em não largar o osso. A estilo Fidel, querem se perpetuar no poder. Pro inferno Dilmão.

  4. SEXAGENÁRIO
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 8:56 hs

    O Brasil precisa de políticas de desenvolvimento econômico para sairmos de vez da estratificação de país “em desenvolvimento ” da qual estamos à várias décadas e ela só fala de programas sociais. Como bacharelA em economia e com suas pós graduações não concluídas deveria ter aprendido que a melhoria social da população é consequência e se dá com o trabalho e com a produção.
    Os programas sociais do PT, tipo bolsa vadiagem estão dando grande resultado na proliferação de filhos, quanto mais se tem mais se ganha.

  5. Helena
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 9:40 hs

    Marina Silva, NÃO tem afinidade NENHUMA com corruptos e ladrões do erário público.

  6. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 9:42 hs

    Logico.

    Depois do erro grave do PT

    A tática foi DESCONTRUIR a Marina.

    Lembrei de um filma, recomendo aos colegas:

    O Grande Motim,

    Tem + de uma versão.

    Gosto da estrelada pelo Charles Lauguthon (não sei a grafia).
    É excelente.

    No filme, uma história de marinheiros amotinados e um capitão perverso, os marujos expulsam o Capitão e ancoram numa ilha.

    Para evitar o desejo de voltar, QUEIMAM o navio.

    Assim fez o PT:

    Queimou o navio que poderia trazer Marina e o PSB (aliado de outrora) para os braços do governo.

    Erro de estratégia.

  7. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 10:44 hs

    Incompreensível seria escolher o lulopetismo, cuja opção econômica é o simples assalto aos cofres públicos; o aparelhamento das instituições do Estado; das empresas estatais; a instigação da luta de classes pela oposição dos com-bolsa-família e os sem-bolsa-família; a promoção da corrupção em grau pandêmico. Isso seria incompreensível.

  8. Luiz
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 14:05 hs

    É CLARO QUE É COMPREENSÍVEL QUE ELA PREFIRA OS HONESTOS E NÃO OS LADRÕES.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*