O grande desafio de Dilma: reinventar-se, por Ricardo Noblat | Fábio Campana

O grande desafio de Dilma: reinventar-se,
por Ricardo Noblat

Ricardo Noblat: A presidente que governou quatro anos sem dar bola para interlocutores terá de mudar. Ou não governará.


5 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 30 de outubro de 2014 – 17:19 hs

    Sem dar bola para interlocutores é peanuts. Não recebe credenciais de embaixadores estrangeiros, não nomeia embaixadores, não despacha com ministros, não ouve conselheiros, etc, etc, etc. Se acha uma czarina e é mais rabugenta que Catarina, a grande, mas, não tem um milésimo da sabedoria daquela.

  2. Sergio Silvestre
    quinta-feira, 30 de outubro de 2014 – 20:06 hs

    Engraçado,os coxinhas e os coxões são figuras gordas de tanto comer e malvadas.
    Sorte que ainda a maioria é Brasileiro.

  3. Strapasson
    quinta-feira, 30 de outubro de 2014 – 21:00 hs

    “Sorte que a maioria é brasileirA’!

    Por isso mesmo: não somos petralhas.

    Aécio + voto nulo + voto em branco = MAIORIA!!!

  4. Sergio Silvestre
    sexta-feira, 31 de outubro de 2014 – 0:23 hs

    Ai mais um coxão,Voces acham ser brasileiros,são corvos.

  5. justino bonifacio martins
    sexta-feira, 31 de outubro de 2014 – 7:48 hs

    O Noblat está errado e no mínimo equivocado. O PT, desde Lula, no governo sempre compartilhou a administração com a tal base aliada(?); sempre conciliou, sempre se agachou perante as exigências, as chantagens, as negociatas de um Congresso Nacional, em sua maioria esmagadora, formado por gente que não quer ver a nação se desenvolver; sim seus negócios particulares crescer. Ai está o grande erro dos governos(?) do PT; cedeu demais.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*