Inflação oficial deve passar dos 6,45% | Fábio Campana

Inflação oficial deve passar dos 6,45%

mantega inflação 13.10

A inflação, fantasma do passado presente e futuro da economia brasileira, volta a assombrar o bolso da população. O mercado financeiro elevou estimativa de inflação deste ano para 6,45%, quase no limite do teto da meta do governo, é de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos. Com informações da Reuters.

Diante de sinais de maior pressão da alta dos preços, economistas de instituições financeiras voltaram a ver a inflação muito perto do teto da meta do governo neste ano, ao mesmo tempo em que mantiveram a perspectiva de novo aperto monetário em 2015.

De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, a estimativa de alta do IPCA neste ano subiu a 6,45 por cento, contra 6,32 por cento anteriormente. A meta do governo é de 4,5 por cento, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

O salto aconteceu após a divulgação, na semana passada, de que a inflação oficial brasileira surpreendeu em setembro e atingiu em 12 meses o maior nível em quase três anos, de 6,75 por cento.

Em relação a 2015, os especialistas consultados no Focus mantiveram a perspectiva de que o IPCA subirá 6,30 por cento. Para os próximos 12 meses, a perspectiva para a inflação na pesquisa permaneceu em 6,38 por cento

Já o Top-5 de médio prazo, com as instituições que mais acertam as projeções, vê estouro da meta neste ano com o IPCA a 6,51 por cento, alta de 0,2 ponto percentual sobre a estimativa anterior. Para 2015, entretanto, o grupo reduziu sua projeção em 0,02 ponto, a 6,38 por cento.

SELIC

Apesar de verem a inflação maior neste ano, os analistas consultados pelo BC não mudaram suas contas sobre a Selic, vendo novo aperto monetário apenas no próximo ano.

A taxa básica de juros deve encerrar este ano no atual patamar de 11 por cento, e também não alteraram a perspectiva para 2015 de 11,88 por cento na mediana das projeções.


4 comentários

  1. Johan
    segunda-feira, 13 de outubro de 2014 – 16:57 hs

    Caro FÁBIO, até que enfim o ministro GUIDO está concordando com índices de inflação de 6,75%a.a. no mês de setembro. Há necessidade de esclarecê-lo de que o índice de 2,25% superior a taxa anual, é equivalente a média de entre todos os setores pesquisados de 50,0% maior, ou seja, o país está com uma elevação dos valores dos produtos de até 50,0% maior em relação a setembro de 2013. Senão vejamos 4,5% + 2,25%= 6,75. O índice de 2,25% é equivalente há 50,0% na média do índice estimado de 4,5% a.a. para 2.014. Portanto os empresários que atualizaram seus preços em 50,0% em cima dos valores de setembro de 2013 estão atualizados. Lamentável que o governo petista que é a favor dos pobres tenha sido conivente com essa indicação. O governo petista é tão a favor dos pobres que deseja mantê-los pobres. Até que enfim,veio a luz. Atenciosamente.

  2. NA CORDA BAMBA
    terça-feira, 14 de outubro de 2014 – 6:29 hs

    Não existe 2 % para mais ou para menos na inflação. Meta de 6,75 % ao
    ano é para quem vive de vento. O país já entrou em parafuso há tres anos
    e só quem é um grande idiota acredita nestes índices !!!

  3. Gardel
    terça-feira, 14 de outubro de 2014 – 9:06 hs

    Toca de governo ou a infração acaba com o Brasil.

  4. LUIZ B.
    terça-feira, 14 de outubro de 2014 – 15:39 hs

    A OFICIAL É EM TORNO DISSO,A REAL JÁ PASSOU DOS 12% FAZ MUITO,MUITO TEMPO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*