Com Dilma, analistas reduzem previsão do crescimento econômico | Fábio Campana

Com Dilma, analistas reduzem previsão do crescimento econômico

crescimento econ.

Os rumores do início da semana da acirrada disputa eleitoral fizeram os analistas e investidores do mercado financeiro voltarem atrás e reduzirem a expectativa de crescimento da economia que havia sido elevada há sete dias. A nova estimativa agora é de 0,27% ante 0,28% anunciada na semana passada. Os números são do Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central. Informações do Jornal do Brasil.

A inflação, de acordo com os analistas, deve fechar o ano em 6,45%. A taxa básica de juros (Selic) atingirá 11% ao ano na mesma comparação. O valor do dólar alcançará R$ 2,40. Os preços administrados, como as tarifas de energia elétrica, que sofrem influência do governo, passam a ter o crescimento estimado em 5,15%.

Os analistas e investidores voltaram a aumentar também a previsão para a dívida líquida do setor público, que agora está estimada em 35,1% em proporção ao Produto Interno Bruto (PIB), conceito que engloba a soma das riquezas produzidas pelo país. Aumentou também o pessimismo em relação ao crescimento da indústria, que agora está em -2,24%.

No setor externo os números não são também animadores pela ótica do mercado financeiro. O déficit em conta corrente, um dos principais indicadores, passou de US$ 80 bilhões para US$ 81 bilhões, com o saldo da balança comercial brasileira registrando US$ 2,29 bilhões e não mais US$ 2,44 bilhões como previsto anteriormente. Os investimentos estrangeiros diretos permanecem em US$ 60 bilhões em 2014.


3 comentários

  1. CORINGA
    segunda-feira, 20 de outubro de 2014 – 18:21 hs

    ou seja com dilma no governo é certa a redução de emprego, mas o povo não se importa com isto o que não pode é reduzir a esmola chamada bolsa familia

  2. PULO DO GATO
    segunda-feira, 20 de outubro de 2014 – 20:41 hs

    É os homens capitalista que sugam os brasileiro ficaram alegres quando as pesquisas mentirosas eram publicadas e agora que veem que a Dilma vai se reeleger começam a choradeira. Apenas os grandes empresários, as Multi Nacionais, banqueiros e outros capitalista querem a vitória do Aécio, mas classe média e baixa querem a Dilma, embora existe muita gente que até são bem de vida `financeiramente` que pensam nos seus irmãos carentes e menos favorecidos pela sorte também querem a vitória da Dilma e entre eles estão muitos artistas, intelectuais, profissionais liberais e outros tantos sem distinção, mas os especuladores financeiro estes sim querem a vitória do Aécio.

  3. sergio silvestre
    segunda-feira, 20 de outubro de 2014 – 22:50 hs

    Errado Coringa,importante é o pib do Pobre que só cresce e ninguem se atenta para isso,Hoje nosso consumo interno é enorme,mas não precisamos consumir 4 milhões de carros por ano,precisamos de obras como estradas ,pontes etc o resto fica por conta das nossas enormes reservas de mais de 300 bilhões.Deus me livre isso na mão dos famintos tucanos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*