Produção industrial cai 6,9% em junho ante 2013, maior queda desde setembro de 2009 | Fábio Campana

Produção industrial cai 6,9% em junho ante 2013, maior queda desde setembro de 2009

Captura de Tela 2014-08-01 às 10.24.56

Da Agência Estado:

A produção industrial brasileira caiu 6,9% em junho na comparação com junho de 2013. Esse foi o resultado negativo mais intenso desde setembro de 2009 neste tipo de comparação, quando o recuo havia sido de 7,4%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão ainda destacou que este é o quarto resultado negativo consecutivo nesta base de comparação.

Além disso, a taxa acumulada em 12 meses atingiu queda de 0,6% em junho, o primeiro resultado negativo desde março do ano passado, quando estava com queda de 0,9%.

Captura de Tela 2014-08-01 às 10.25.11

Segundo o IBGE, o resultado mostrou “clara perda de ritmo” em relação aos resultados da taxa acumulada em 12 meses verificados em março (2,0%), abril (0,7%) e maio (0,2%).

No mês, a produção industrial recuou 1,4% em junho ante maio, o resultado negativo mais intenso desde dezembro de 2013, quando a queda foi de 3,6% em relação a novembro do ano passado. E, pelo quarto mês seguido, o indicador mensal também apresenta resultados negativos.

No acumulado no primeiro semestre de 2014, a produção da indústria registra queda de 2,6% ante o mesmo período do ano passado.

Em todas as bases de comparação, os resultados negativos foram puxados pelo desempenho do setor de veículos automotores, reboques e carrocerias, que apresentou queda de 36,3% em junho na comparação com junho de 2013; recuo de 12,1% em junho na comparação com maio e baixa de 16,9% no primeiro semestre na comparação com o mesmo período de 2013.


Um comentário

  1. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 1 de agosto de 2014 – 10:49 hs

    A copa do mundo foi um desastre esportivo e econômico para o Brasil. Afora, os 7×1 e os 3×0, que somados fazem 10×1, junho teve 14 dias úteis, ou seja, os demais dias foram sem produção e com mínimo consumo. Não há receita de turismo da copa que compense este buraco no faturamento da empresas e no crescimento pífio nacional. Os maravilhosos turistas da copa eram em sua maioria pés-de-chinelo que vieram comer cachorro-quente e espetinho de gato na esquina, economizando todos os seus cents de dólares. Uma marolinha turística que nem Lula, o magnífico, preveria do alto de sua sabedoria de “quem não entende porra nenhuma de Brasil”, para usar de sua própria grosseria.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*