Requião contesta informação sobre caso Araupel | Fábio Campana

Requião contesta informação sobre caso Araupel

MENSAGEM
O Departamento Jurídico da coligação “Paraná com Governo”, que tem como candidato ao Governo do Paraná o senador Roberto Requião, está tomando medidas judiciais cabíveis para impedir a continuação da veiculação de informações caluniosas a respeito da posdição do candidato no que toca à invasão de àrea de terra ocupada pela empresa Araupel, no município de Quedas do iguaçu.

1 – Na quarta-feira, 16 de julho, em entrevista à Ràdio Municipal de Quedas do Iguaçu, o senador Roberto Requião afirmou que acima de tudo, o episódio não deveriaq prejudicar o emprego dos trabalhadores da empresa. “As pessoas não podem ter liquidados seus empregosde u7ma hora para outra, isso não pode acontecer”, afirmou o senador.

2 – Na sequência, o senador tem um apelo ao diálogo. “É um assunto delicado e o estado tem condições de resolver o problema”.

3 – De fato, quando o senador Roberto Requião era governador do paraná (2003-2010), dois terço dessa área foram desapropriadas e transformados em assentamentos rurais. A área restante, afirmou o senador, na entrevista , tem que ser objeto de entendimento e o estado do paraná não pode continuar omisso.

4 – A propriedade da terra, afirmou ainda o senador, precisa ser definitivamente esclarecida e a pendência resolvida legalmente. Mas. Acima de tudo, insistiu o senador, precisa ser garantido o emprego dos trabalhadores.

Entre as medidas cabíveis, serão propostas ações criminais destinadas a apurar a responsabilidade pela notícia caluniosa que afirmar que o senador teria incitado a invasão da área da Araupel.

Vai assinado pelo advogado Fernando Gustavo Knoerr.


5 comentários

  1. CORINGA
    terça-feira, 22 de julho de 2014 – 12:53 hs

    Ó COITADO POBRE E INOCENTE CRIATURA

  2. o amigo do povo
    terça-feira, 22 de julho de 2014 – 22:03 hs

    É claro que eu não disse nada, apoio sim os caras, eles sempre puderam contar comigo e com o meu apoio para tudo quanto é tipo de invasão. Mas eu não disse assim claramente “invadam, foi meio velado, meia palavra basta, não é mesmo” .Aí os caras invadiram, mas eu não mandei invadir.

  3. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 23 de julho de 2014 – 10:52 hs

    Faça o que eu digo, mas, não faça o que eu faço…

  4. eleitor
    quarta-feira, 23 de julho de 2014 – 10:53 hs

    Se favorece-o, que se lasque o mundo !

  5. Sociedade Responde
    quarta-feira, 23 de julho de 2014 – 22:18 hs

    É sempre a mesma história. Eu disse, mas não foi bem assim… ** Como é ano eleitoral, os carreiristas têm o privilégio da ‘lei da contestação’, sempre que conveniente for, mesmo sabendo que o que disse na entrevista, está registrado e é a expressão da verdade. ** É o velho truque morde e assopra já banalizado como, aliás, bem mostrado na entrevista cima, da rádio Paiquerê. ** Falta desconfiômetro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*