Urna eletrônica é falha, alerta MPF | Fábio Campana

Urna eletrônica é falha, alerta MPF

0506-pedro-machadourna insegura eleições

O sistema atual de votação eletrônica é falho e não pode garantir o sigilo do voto e a integridade dos resultados das eleições. A conclusão é do Ministério Público Federal, com base em relatório apresentado por pesquisadores da Universidade de Brasília. O documento aponta ainda outras vulnerabilidades no programa usado nas urnas eletrônicas, com “efetivo potencial para violar a contagem dos votos”, destaca. As informações são do Valor Econômico.

Consta de investigação preliminar do procurador Pedro Antonio Machado que urnas eletrônicas submetidas a teste de segurança apresentaram fragilidade principalmente para garantir o caráter secreto do voto.

Em tese os votos devem ser armazenados na urna eletrônica e misturados aleatoriamente pelo software programado para seguir um padrão matemático. No entanto, durante prova técnica laboratorial conduzida em 2012, os pesquisadores conseguiram colocar em ordem os 950 registros usados no teste, que foi realizado em atendimento a chamada pública do Tribunal Superior Eleitoral.

O responsável pelo relatório, professor Diego Aranha, alertou para o fato de a prova revelar a possibilidade de descobrir em quem o eleitor votou: “Com a reordenação dos votos, é possível, sabendo os horários que os eleitores foram a determinada seção eleitoral, descobrir em quem eles votaram, sendo certo que, para isso, basta que um dos fiscais anote tais horários”, esclareceu o especialista, que hoje atua no Instituto de Computação da Universidade Estadual de Campinas. “No caso de personalidades, como candidatos das eleições majoritárias, basta que se acompanhe o noticiário para saber o horário em que exerceram o voto”, complementou Aranha.

De acordo com o documento a falha foi descoberta com rapidez pela equipe da UnB. No entanto, devido às restrições impostas pelo comitê organizador do TSE, os pesquisadores não puderam submeter tais vulnerabilidades a novos testes, que poderiam demonstrar a existência de mais fragilidades. Segundo Aranha, os pesquisadores tiveram acesso ao código-fonte (programa em linguagem de computação) do software de votação por um período de apenas cinco horas.

Após os testes de 2012, a área de tecnologia da informação do TSE deveria corrigir as falhas apresentadas pela equipe da UnB. O detalhamento e a verificação de outras vulnerabilidades, no entanto, não avançaram. Para as eleições deste ano o tribunal não vai realizar novos testes públicos na urna eletrônica, como vinha fazendo desde a eleição de 2010. Para a próxima eleição foi criado um grupo de trabalho – quase todo integrado por servidores do próprio TSE – pela portaria nº 215 do diretor-geral da secretaria da corte eleitoral. O objetivo é estudar e propor soluções aos problemas referentes à segurança do sistema automatizado de votação adotado no país.

Os autos foram encaminhados ao procurador regional eleitoral André de Carvalho Ramos. Ele deve remetê-los ao Tribunal Regional Eleitoral de SP, que dará conhecimento ao TSE.


18 comentários

  1. LUIZ
    quinta-feira, 5 de junho de 2014 – 21:34 hs

    É o que o povo fala: Se no Brasil nada é confiável, porque a urna eletrônica seria???

  2. sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 0:49 hs

    > Para a próxima eleição foi criado um grupo de trabalho – quase
    > todo integrado por servidores do próprio TSE

    Isso é o mais engraçado.
    O grupo de trabalho é formado por aqueles que teriam interesse em ocultar as falhas.

    Tive a oportunidade de assistir à palestra do professor Diego Aranha na Unicamp mês passado, e muitos pontos relacionados ao assunto foram levantados.

    Um dos que julgo bastante interessante: por que não tornar o software que roda nas urnas eletrônicas aberto[1]?

    Dessa forma, as pessoas que exercem seu direito de voto poderiam (dado que tenham o conhecimento necessário) analisar aquele código e ver se não há problemas como o relatado pelo professor Aranha.
    É claro que nada impede o TSE de colocar outra versão de software nas urnas que vão para votação, mas esse seria outro problema a se pensar sobre.

    A Estônia, por exemplo, é um país adepto à aberto do código do software de votação[2].

    [1] http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_livre_e_de_c%C3%B3digo_aberto
    [2] http://arstechnica.com/tech-policy/2013/07/estonia-publishes-its-e-voting-source-code-on-github/

  3. osmar faville
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 7:26 hs

    eu concordo com este cidadão, o certo seria o voto aberto , se continuar assim só o macacos velhos continuam no poder.

  4. SOMBRA
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 8:00 hs

    Sempre foi, só estão vendo isso agora.

  5. luis
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 8:34 hs

    Só agora! Depois de todos estes anos, o MPF resolveu testar e manifestar-se pela insegurança do equipamento.
    Vejam a lógica, os países que tem maior avanço tecnológico que o Brasil não adotaram algo semelhante, por que será?!
    Simples, porque nessa área nada é seguro! Que diga o Obama…
    E agora?
    O TRE auto indulgente dirá “La garantia soy yo” ou era.

  6. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 10:29 hs

    O velho caudilho Brizola e o abominável ex-governador das neves sempre advertiram sobre os riscos destas urnas eletrônicas, repletas de tecnologia e magia digital, dominada apenas por iniciados e bruxos cibernéticos. Sabe-se lá o que poderá conter. Alguns países recusaram a maravilha eletrônico, desconfiados de sua inviolabilidade. O orgulho de um Brasil que vota muito mal, mas tem resultados ultra-rápidos.

  7. ÊITA!!!
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 10:37 hs

    Isso TODO o mundo civilizado já sabia, senão o mundo teria adotado tal aparelhinho. Ele é ótimo para republiquetas como as nossas…

  8. Anibal Tavares
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 10:39 hs

    Campana, quem deveria tomar uma ação para que estas URNAS sejam confiáveis? O MPF ou o STE?

  9. Revolta Popular Legitimada
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 12:11 hs

    Como disse Belmiro Valverde, “O braziu não é para amadores, não!”.
    Fim da ‘urna-eletrónica’ JÁ! Lembremo-nos que ninguém menos do que o adevo-gado do petê é o atual ‘presidente’ do ‘t.s.e.’.
    Socoooorrooooo, Batman!

  10. ATLETICANO
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 13:14 hs

    PT, a única maneira de vocês ganharem as eleições será no suborno através das urnas. Por que o povo está de saco cheio de vocês.

  11. Sandra Wahrhaftig
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 13:42 hs

    Isso é assustador

  12. Conrado
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 14:09 hs

    Quem compôs a comissão do TSE? De onde veio essa condição de uso do código-fonte por “apenas 5 horas”? Por que tal restrição? Como o MPF aceita isso? De que adianta todos os grupos serem compostos por membros do TSE?!

    Esse país é uma piada de mal-gosto. Vergonha mesmo. Todos nós.

  13. Paranaense
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 17:02 hs

    No Brasil, o velho ditado de “onde a fumaça há fogo”, cai como uma luva para este caso.
    Pior, acredito que se deixarem fazer os testes devidos, vão chegar a conclusão de que no caso, HÁ LABAREDAS.
    Mas aí, cai os criminosos da Republica.

  14. Otoniel Tiburtino
    sexta-feira, 6 de junho de 2014 – 19:21 hs

    Sinceramente … se são falhas [fraudulentas] as Urnas Eletrônica – Meu Deus do Céu … !!! Por que o MPF não as Deletam do Sistema ?

    Dai: A Lei é obrigatória – O Título também [é um documento em muitas ocasiões] – Não há LEIS que puna Políticos Ficha Suja [existe Candidatos e até assumindo cargos eletivos] que estão totalmente fora das regras]- o TSE anima em propagandas pra se votar – Manda ter consciência – se tem mas, vira corrupto – Enfim e Afinal: O QUE É ISSO ? QUE PAÍS É ESSE ?

    USA – FRANÇA – ALEMANHA – etc … NÃO HÁ E NEM QUEREM e… aqui isso acontecendo !!!

    Sinceramente !!!

  15. sergio silvestre
    sábado, 7 de junho de 2014 – 8:52 hs

    Pronto,a oposição descobriu por que não sobenem nas pesquisas e nem quando se vota.a culpa é das urnas.
    Que tal uma eleição e deixar a apuração a gargo do Gilmar mendes,aquele do meu presidente e o Barbosa,cidadão de Miami contarem num quarto escuro e bem longe dos olhos dos fiscais.
    Ai vocês ganham com certeza.

  16. o amigo do povo
    sábado, 7 de junho de 2014 – 18:59 hs

    Dais atrás conversei com um candidato a vereador, ele é presidente de uma associação ali no Champagnat. Fiquei espantado quando o cara não se elegeu. E perguntei a ele, cara como é que você não se elegeu? Aí ele me disse, foi a urna eletrônica. Não ri na cara dele porque achei a alegação um absurdo, mas agora acredito que ele está certo, a urna é mesmo mentirosa. O coronelismo agradece ao TSE.

  17. o amigo do povo
    sábado, 7 de junho de 2014 – 18:59 hs

    Dias atrás conversei com um candidato a vereador, ele é presidente de uma associação ali no Champagnat. Fiquei espantado quando o cara não se elegeu. E perguntei a ele, cara como é que você não se elegeu? Aí ele me disse, foi a urna eletrônica. Não ri na cara dele porque achei a alegação um absurdo, mas agora acredito que ele está certo, a urna é mesmo mentirosa. O coronelismo agradece ao TSE.

  18. rogerio
    quarta-feira, 1 de outubro de 2014 – 21:15 hs

    Não entendo o MPF-SP saber que o sistema é falho e permitir que continue essa situação. Será que vamos ter que recorrer ao Chapolin pra nos defender.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*