Operação Lava Jato está paralisada há 14 dias | Fábio Campana

Operação Lava Jato está paralisada há 14 dias

Do Josias de Souza:

Após frequentar o noticiário por quase dois meses como uma ameaça de tsunami político-empresarial, a Operação Lava Jato, paralisada há 14 dias, atravessa sua fase Alkaseltzer —ainda borbulha, mas passou a flertar com o risco de virar tempestade em copa d’água. De mãos atadas, os investigadores assistem, inconformados, à reação dos investigados.

A Petrobras exibe na tevê uma campanha publicitária de restauração de imagem (veja uma das peças acima). Solto pelo STF em 19 de maio, após arrostar 59 dias de cadeia, o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa faz pose de inocente em entrevista. E seu parceiro de traficâncias, o doleiro Alberto Youssef, acaba de protocolar no STF um pedido de anulação da Lava Jato. Alega que as provas são ilegais.

Como se fosse pouco, o Congresso tem duas CPIs sobre o tema e nenhuma investigação. Uma das comissões, composta só de senadores governistas, virou CPI a favor. A outra, com 32 deputados e senadores, oito dos quais de oposição, ainda não virou nada. Só nesta segunda-feira, a dez dias da Copa, seus membros debaterão um plano de trabalho. Há sobre a mesa 551 requerimentos.

Presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL) cumpriu o que prometera ao governo. Atrasou a instalação das CPIs de modo a empurrá-las para dentro do calendário da Copa do Mundo, que será seguida pelo recesso parlamentar de julho, que será emendado com a campanha eleitoral.

Os operadores políticos de Dilma Rousseff alegavam que as CPIs eram desnecessárias porque a Polícia Federal e a Procuradoria da República já varejavam a Petrobras. O congelamento das investigações, determinado pelo ministro Teori Zavascki, do STF, fez ruir a desculpa. Mas continua intacta a disposição do bloco governista de não investigar.

Responsável pela paralisação das investigações, o ministro Teori Zavascki não disse se decidirá sozinho o que fazer com elas ou se levará a encrenca para o plenário do STF. A demora agrada ao Planalto, encanta Paulo Roberto e seu parceiro Youssef e reduz a taxa de inquietação das empresas que, segundo a PF, faziam da dupla uma ponte entre os negócios da Petrobras e as arcas de campanha. Estão no rolo logomarcas tradicionais no ramo: Camargo Corrêa, Queiroz Galvão e OAS, por exemplo.


3 comentários

  1. Helena
    segunda-feira, 2 de junho de 2014 – 23:42 hs

    É incomentável o q penso dessa corjaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

  2. tadeu rocha
    terça-feira, 3 de junho de 2014 – 10:42 hs

    SÓ VAI FUNCIONAR ESSA CPI DEPOIS DAS ELEIÇÕES COM CERTEZA, SE O PT GANHAR ADEUS C P I … NÓS NAO PODEMOS DEIXAR ISSO EM BRANCO VAMOS COBRAR SIM ESSA C P I ANTES DAS ELEIÇÕES

  3. Tele
    terça-feira, 3 de junho de 2014 – 21:55 hs

    Esta propaganda mostra grandes feitos da Petrobras, o final do video mostra 2002 e ultimo grande feito em 2014 ou seja no período governado pelo PT nada foi feito.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*