O caos depois das chuvas | Fábio Campana

O caos depois das chuvas

chuva

A chuva que atinge o Paraná desde quinta-feira (5) provocou pelo menos oito mortes, interditou rodovias e afetou mais de 43 mil pessoas, deixando 2.152 desalojados– 768 ainda não conseguiram voltar para casa e estão em abrigos improvisados, segundo informações da Defesa Civil Estadual.

Até o momento, 70 municípios já decretaram estado de emergência. O Governo do Paraná anunciou que está antecipando o repasse do VigiaSus para os 70 municípios afetados. São cerca de R$ 6 milhões para a compra de medicamentos. Além disso, foram também encaminhadas vacinas e kit de equipamentos médicos. Aviões e helicoptéros estão ajudando no resgate de pessoas.

chuva 3

Mortes

Ao todo, oito pessoas morreram: foram duas mortes em Medianeira, uma em Sulina, uma em Laranjeiras do Sul, três em Guarapuava e uma em Campina do Simão.

Em Medianeira, as vítimas são mãe e filha, que estavam dentro de um carro e tentavam atravessar uma ponte quando foram arrastadas pela enxurrada. O motorista do veículo, pai da criança morta, conseguiu sobreviver.

Em um outro caso, que não aparece no boletim da Defesa Civil, um idoso de 78 anos morreu afogado durante uma enchente. Segundo informações, a vítima tinha problemas de saúde e não conseguiu fugir da correnteza quando a água invadiu sua casa, na Cidade Industrial de Curitiba.

Rodovias Interditadas

Entre os vários problemas provocados pela chuva, alagamentos, destelhamentos, falta de energia elétrica e água. Além disso, várias rodovias estão interditadas: BR-277, nos dois sentidos, entre Guarapuava, Prudentópolis e Irati. No km 242 e no km 306, há queda de barreira. No km 316, a pista cedeu e um buraco impede a passagem de veículos; BR-153, onde uma ponte caiu no km 329, entre Irati e Imbituva, impossibilitando a passagem de veículos por conta de uma cratera de 6 metros.

Já entre as rodoviais estadual, o caso mais grave é o da PR-170, entre Guarapuava e Pinhão, ondeo Rio Pinhão transbordou e parte do asfalto próximo à ponte cedeu. A PR-487, por sua vez, teve um trecho interditado entre Manoel Ribas e Nova Tebas após parte da pista afundar. A PR-554, que que liga São Jorge do Ivaí à PR-323, está interditada na ponte do Rio Andirá, enquanto na PR-323, no km 190, o Rio Ivaí transbourou. Na PR-151, entre Palmeira e São Mateus do Sul, parte da pista no km 439 foi levado pela chuva. Finalmnete, a Polícia Rodoviária Estadual interditou parcialmente o trecho da PR-479 entre Tuneiras do Oeste e Moreira Sales por conta da queda de um barranco.

Municípios Afetados

Os municípios afetados são: Barbosa Ferraz, Campo Largo, Campo Mourão, Cantagalo, Cascavel, Cianorte, Corbélia, Cruz Machado, Curitiba, Foz do Jordão, Godoy Moreira, Goioerê, Grandes Rios, Guarapuava, Ibema, Imbituva, Irati, Ivaiporã, Jardim Alegre, Mallet, Manoel Ribas, Marquinho, Nova Laranjeira, Pinhalão, Pinhão, Pinhais, Piraí do Sul, Pitanga, Quedas do Iguaçu, Quinta do Sol, Reserva do Iguaçu, Rio Bonito do Iguaçu, Rio Branco do Ivaí, Roncador, Rosário do Ivaí, São Jorge do Oeste, São José dos Pinhais e São Mateus do Sul.


2 comentários

  1. Julio Mesquita
    domingo, 8 de junho de 2014 – 20:25 hs

    Rio Negro também está em estado de emergência e com muitos desabrigados e estragos nas estradas e casas

  2. 500 milhões na Arena
    domingo, 8 de junho de 2014 – 23:04 hs

    Hã hã. 6 milhões para os remédios pós-enchentes e… … 500 milhões para a arena da copa. O que dizer? O que fazer? Gente morrendo, mas vão dar… … 6 milhões para os remédios.
    E se tivessem posto 500 milhões em novas estradas etc.? Este é o ‘país’ que nuuuuuuunca vai dar certo, jamaaais. Quem viver morrerá e não verá. Cada cidade um país! E já era o resto!
    Como tem otáááário nesta terra, Senhor Nosso Deus. Como tem.
    6 milhões para os remédios.
    500 milhões para a arena da bachada.
    6 milhões para os remédios.
    500 milhões para a arena da bachada.
    6 milhões para os remédios.
    500 milhões para a arena da bachada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*