Inquérito da PM apura gastos de R$ 5 milhões com cavalos de Requião | Fábio Campana

Inquérito da PM apura gastos de R$ 5 milhões com cavalos de Requião

unnamed

A Gazeta do Povo traz na sua edição destr domingo (8) informações do inquérito aberto pela Polícia Militar que investiga a utilização de pessoal, estrutura e recursos do seu regimento de polícia montada para tratar cavalos de propriedade do senador Roberto Requião (PMDB) durante o período em que ele governou o estado (2003 a 2010). Um inquérito policial militar foi aberto nesta semana para apurar o caso. Os custos podem ultrapassar a R$ 5 milhões.

O inquérito é um desdobramento de um pedido de informação protocolado em abril pelo-ex-deputado José Domingos Scarpellini (PSB). Em seu pedido, Scarpellini pede informações sobre a atuação da Polícia Militar na “manutenção e cuidados” de cavalos de Requião durante os dois últimos mandatos dele como governador.

O documento questiona se animais de Requião ficaram alojados nas baias da PM, se foram tratados por policiais e se foram alimentados e medicados com verba do regimento de polícia montada.

Para responder ao pedido, a PM fez diligências iniciais no regimento de Po­lícia Montada e no Centro Veterinário, localizados no bairro do Tarumã, apreendendo uma série de documentos e fichas de dezenas de animais. São os indícios apreendidos nesses documentos que embasaram a criação do IPI.

O assunto, no entanto, ainda é tratado com reservas pela cúpula da PM. “É a investigação que vai determinar o que houve e as eventuais responsabilidades”, diz o coronel César Vinícius Kogut, comandante-geral da PM. Em tese, se comprovadas, as acusações poderiam resultar até em expulsão dos oficiais responsáveis e em um pedido de devolução do dinheiro aos cofres públicos.

Dezenas

A Gazeta do Povo teve acesso a arquivos do regimento de polícia montada e conversou com policiais responsáveis pelo cuidado dos animais.Segundo um dos policiais ouvidos, ao longo de oito anos a PM cuidou de 88 cavalos pertencentes ao governador ou a pessoas próximas a ele. “Os cavalos foram chegando e de repente eram dezenas. A determinação dos oficiais é de que fossem tratados e cuidados por nós porque eram do governador”, diz.

A PM estima que o gasto mensal para cuidar de cada animal gire em torno de R$ 1.000 a R$ 1.500 mensais. Cálculos não oficiais de policiais que trabalhavam no regimento indicam que até R$ 5 milhões podem ter sido gastos no trato com os animais da cota de Requião.

Rotina

Os cavalos do então governador viviam uma rotina semelhante à dos animais pertencentes à corporação. Eles eram abrigados no regimento; no Parque da Ciência, em Pinhais (ao lado da Granja do Canguiri, imóvel do governo utilizado como residência oficial por Requião); no Haras Palmital, também em Pinhais; e no Haras Barigui, em Almirante Tamandaré.

“Parte deles servia à corporação, isso é verdade. Mas os preferidos, os que iam ser utilizados pelo governador na semana, ficavam nas baias improvisadas no Parque da Ciência. Os outros ficavam no regimento ou iam para os haras quando estavam doentes ou esgotados.”

Os documentos do regimento comprovam a movimentação dos animais. “In­formo a V.Sª. que nesta data deu entrada do Canguiri nesta OPM dois pôneis prenhas do governador, que foram estabulados nas baias 311 alexander a baia da PUC ao lado da ferraria”, diz uma circular do regimento, do dia 30 de dezembro de 2008.

“Informo a V.Sª que nesta data o equino Kielse, pertencente ao Exmo. Sr. Gover­nador do Estado e que estava em tratamento médico no Centro Veterinário teve alta, e foi transportado novamente ao Haras Barigui em Almirante Tamandaré”, informa outra circular, de 25 de janeiro de 2010.

Segundo outro oficial ouvido pela reportagem, também lotado no regimento à época, a justificativa dada para o abrigamento dos cavalos era de que, ao final do mandato, eles seriam doados para a cavalaria da PM, o que não ocorreu. “No final do mandato dele, dos 88 animais, 29 foram doados para a corporação. Os outros 59 foram levados para um haras particular em Campo Largo. Todo o transporte foi feito por policias militares com equipamento da corporação, como um serviço normal”, diz o policial.


10 comentários

  1. Paulo
    domingo, 8 de junho de 2014 – 17:13 hs

    Sabem para o Requião qual é a diferença entre os Cavalos e o PMDB?

    OS DOIS SÓ SERVEM PARA LEVAR ELE NAS COSTAS

    A DIFERENÇA É QUE OS CAVALOS ELE TRATA BEM

    mesmo que seja com o dinheiro do povo

  2. Policial militar
    domingo, 8 de junho de 2014 – 18:04 hs

    Pergunte ao CEl. Bondaruk, afinal ele era o comandante da cavalaria na época.

  3. Anônimo
    domingo, 8 de junho de 2014 – 18:35 hs

    E o cavalo que o Carvalinho deu. Será que foi comprado com o dinheiro da Fiep? O TCU está atrás do dinheiro do SESI/SENAI com que foi comprado este cavalo, o tal Proletário.

  4. Renato Pereira
    domingo, 8 de junho de 2014 – 20:25 hs

    Essa história de gasto de dinheiro público para tratar cavalos do ex-governador “cheira” notícia de pré-campanha eleitoral com finalidade de desgastar o pretenso candidato. No caso de Requião isto é perda de tempo, pois, é mais fácil estes cavalos voarem pelos céus de Curitiba do que Roberto Requião ganhar um quarto mandato para governador do Estado.

  5. Paulo Nascimento
    domingo, 8 de junho de 2014 – 23:32 hs

    Resta aos oficiais que comandaram o regimento no período contar a verdade, senão vão pagar muito caro. Todos sabem que a ordem para abrigar, alimentar, medicar e cuidar dos cavalos era do governador Requiao. Não tenham medo e não se omitam. Cavalariano que se presa não se acovarda. Não assumam um bo que não lhes pertence.

  6. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 9 de junho de 2014 – 6:59 hs

    Começou a campanha.
    Passados 4 anos, agora é que descobriram isso?

    Claro que não.

    Tanta coisa mais séria para abordar.

    Cito uma:

    Requião, o INCOMPETENTE, chegou, ao arrepio da Lei e da Justiça, a PROIBIR o plantio e a comercialização de soja e milho TRANGÊNICOS.

    O prejuízo foi enorme.

  7. João Miguel Zavelinski Ribeiro
    segunda-feira, 9 de junho de 2014 – 10:36 hs

    A reportagem da Gazeta do Povo mostra que a maioria dos cavalos servia para auxiliar a segurança do estado,ainda sendo propriedade do governador.

  8. Benvenutti
    segunda-feira, 9 de junho de 2014 – 10:43 hs

    O ex governador não poderia ter se aproveitado do cargo para usufruir tais benesses. Os cavalos do Requiao são assunto dele e caberia a ele cuidar dos cavalos, dar-lhes de comer e tratá-los em haras de sua propriedade. Usou homens da tropa militar, hospital e serviços veterinarios do Estado, remédios, comidas, e transformou bem publico em particular…Convenhamos, se fosse até dois cavalos para exercícios diários, até se poderia entender e seria aceitável. Mas quase 100 cavalos???Que absurdo Requiao!

  9. eleitor
    segunda-feira, 9 de junho de 2014 – 11:06 hs

    Não vai dar em nada ?
    Somos mesmo moleques ?

  10. jomar ferreira
    segunda-feira, 9 de junho de 2014 – 13:06 hs

    vc. sabe que não é bem assim, dr. Fabio, se o Requião ganhar a convenção, ficara ruim pra todos, inclusive quem vive da imprensa, e necessita dela para viver.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*