Vargas diz que não tem nada de errado com a sua conduta | Fábio Campana

Vargas diz que não tem nada de errado com a sua conduta

0904-vargas-doacao

No último dia do prazo regimental, o deputado André Vargas (ex-PT) entregou sua defesa ao Conselho de Ética da Câmara, onde responde a um processo de quebra de decoro parlamentar por seu envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, alvo da Operação Lava Jato da Polícia Federal. Nos pontos do documento a que o Estadão teve acesso, o ex-petista argumenta que não há indícios de irregularidades em sua conduta e que o processo gira em torno de noticiário fruto de “vazamentos seletivos e ilegais”.

Michel Saliba, advogado de Vargas no processo do Conselho de Ética, pede que o caso de seu cliente tramite sob sigilo. Vargas alega que não houve investigação preliminar ou abertura de sindicância para apurar o uso que ele fez de um jatinho pago pelo doleiro. “A abertura direta do processo que pode culminar com a cassação do mandato do parlamentar, sem que a Corregedoria tenha aberto sindicância ou feito qualquer investigação, ofende o ordenamento jurídico que regula o processo administrativo disciplinar e o Regimento Interno da Câmara”, diz um dos trechos da defesa de Vargas.

O deputado enfatiza ainda a ausência de indícios que deponham contra ele, pede a nulidade do processo até que sejam investigados os fatos da representação na Corregedoria da Câmara e que seja instaurada uma sindicância “sem açodamento ou atropelo”. “Não por outro motivo torna-se imperiosa a atuação da Corregedoria da Câmara, com vistas à elaboração de uma peça acusatória legítima e suportada por fatos concretos,

atuando como instância de investigação e colheita de indícios razoáveis para a instrução processual”, diz o advogado na defesa de Vargas. O documento afirma que as matérias jornalísticas utilizadas na representação “não podem ser consideradas indícios sérios, e muito menos provas” para julgamento do ex-petista.

A partir de agora, o relator do caso no Conselho de Ética, deputado Júlio Delgado (PSB-MG), terá 40 dias para ouvir as oito testemunhas solicitadas pela defesa e pedir instruções do caso. Depois, ele terá mais dez dias para apresentar seu parecer final no conselho.


7 comentários

  1. PAÍS LIQUIDADO
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 12:37 hs

    Congresso Nacional é uma piada pronta.
    Casa da mãejoana é pouco

  2. Saul de Lima Brenzink
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 13:10 hs

    Esse cafajeste não só pensa que o povo é estúpido e ignorante, como trata seus pares como verdadeiros idiotas. Se é que não são. esse pilantra já deveria estar preso há muito tempo. Que período tenebroso por qual passa a política no Brasil. É muito corrupto por metro quadrado que todos já estão sem saber o que fazer. Um STF que conta com meia dúzia de bons Ministros, o restante são, como se dizia antigamente, “Maria vai com as outras”, comprometidos em proteger o governo de todas sujeiras que surgem a cada minuto. Quisera poder ter uns doze Joaquim Barbosa para arrumar o cenário político brasileiro acabando com essa quadrilha agindo livremente no país.

  3. TAdeu rocha
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 14:29 hs

    vai pra o céu

    vai para um convento…

  4. Sociedade Responde
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 14:55 hs

    ** Em sendo assim, que André Vargas volte à vice-presidência da Câmara dos Deputados, até que todo o trâmite seja feito. ** Caso contrário, Vargas perdeu a vice-presidência lhe foi arrancada por pressão, medo, ou inocência? ** A advogada que peça a recondução do seu cliente ao posto que lhe é devido. Já que a Comissão de Ética faltou com a mesma ao conduzir o caso. Simples, não? ** O Rui Falção vai vociferar. Pelo menos até a CPI Mista da Petrobras mexer na documentação envolvendo Alberto Yousseff. ** Em caso de aparecer algum pelo felpudo e que fique provado que é de Vargas, aí é outra conversa. ** Por ora, não se entregue, Corisco! Mas, no último momento, se o seu pescoço estiver na guilhotina, aí sim, entrega todo mundo, faz uma delação premiada e se livra do que poderá vir pela frente, a exemplo de Marcos Valério, o mais penalizado do Mensalão. ** Não vou dizer que foi injusto, mas em relação aos demais, o preço da brincadeira foi muito alto. Ele deu a metade da sua vida pela ‘causa’ alheia. ** O que ganhou, na verdade perdeu. Perdeu os negócios, perdeu a família, perdeu a honra, perdeu a liberdade, enfim, não sobrou nada. ** Só o martírio da prisão. ** Tornou-se um vilão no Brasil, quando era apenas um coadjuvante. Ou seria um pau mandado, sem direito a retroceder?..

  5. Anônimo
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 19:15 hs

    Ele está certo. Considerando a ética lulopetista, sua conduta está absolutamente correta.

  6. Helena
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 20:04 hs

    Será que ele não é Cristo voltando à terra?! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  7. SOLANGE LOPES
    quinta-feira, 29 de maio de 2014 – 21:54 hs

    O mau caráter, quando comete um mau-caratismo, em seu interior acha que está agindo corretamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*