Usuários de ônibus enfrentam 2º dia de greve em Ponta Grossa | Fábio Campana

Usuários de ônibus enfrentam 2º dia de greve em Ponta Grossa

img_8634_1Do G1 PR:

Apesar da liminar que determinou a obrigatoriedade da circulação do efetivo mínimo de 30% da frota de ônibus durante os dias de greve em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, a terça-feira (20) amanheceu sem nenhum dos veículos nas ruas. A liminar foi concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) na noite de segunda-feira (19) e a paralisação foi deflagrada durante a madrugada. A decisão estabelece multa de R$ 10 mil por dia em caso de descumprimento da ordem judicial. Segundo a Viação Campos Gerais (VCG), que opera o transporte coletivo na cidade, mais de 100 mil usuários devem ser prejudicados na cidade por dia com a paralisação.

Representantes do sindicato de motoristas e cobradores foram procurados pelo G1, mas até a publicação da reportagem nenhum deles tinha sido localizado.

De acordo com o TRT-PR, como a greve afeta um serviço essencial à população do município, a exigência de frota mínima sobe para 40% nos horários de pico, entre 6h e 8h e 17h e 19h de segunda a sexta-feira e entre às 6h e 8h do sábado.
Entre as reivindicações dos trabalhadores estão o reajuste pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) – em torno de 6% – e 15% de aumento real, além de outras exigências. O salário dos motoristas, por exemplo, passaria de R$ 1.450 para R$ 1.740. No caso dos trocadores, o valor aumentaria de R$ 869 para R$ 1.042.

A decisão de greve foi tomada no dia 12, durante uma assembleia realizada no Parque Ambiental. De acordo com o sindicato, a Viação Campos Gerais (VCG), que opera o transporte coletivo na cidade, oferece apenas o reajuste pelo INPC, proposta que foi rejeitada por 100% dos funcionários.

Ainda na segunda-feira, a prefeitura providenciou ônibus e vans escolares para tentar minimizar os efeitos da paralisação. No total, são 68 veículos rodando com a autorização da Autarquia Municipal de Trânsito (AMTT). Parte deles faz apenas o caminho entre os terminais e os outros passam em determinados pontos dos bairros. A passagem custa até R$ 5, e o passageiro ganha um recibo que comprova o pagamento.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*