Ministério Público é contra Atletiba com torcida única em Maringá | Fábio Campana

Ministério Público é contra Atletiba com torcida única em Maringá

tn_620_600_05.23_-_foto_torcida

Promotor de Justiça de Maringá enviou ofício para Atlético e Coritiba requisitando liberação de torcedores dos dois times

Da Gazeta do Povo:

O promotor de Justiça Maurício Kalache, da 6ª Promotoria do Ministério Público de Maringá, enviou ofício nesta sexta-feira (23) para Atlético e Coritiba manifestando-se contrário à realização do clássico de domingo, às 16h, em Maringá, com torcida única.

“Não há possibilidade jurídica de restringir o acesso ao estádio de torcedores isolados, estejam ou não uniformizados e/ou ostentando a bandeira daquele time”, escreveu o promotor no documento endereçado aos presidentes Mario Celso Petraglia, do Furacão, e Vilson Ribeiro de Andrade, do Coritiba.

Resposta

Diante da resposta do Ministério Público Estadual negando o Atletiba de domingo (25) com torcida única no Estádio Willie Davids, em Maringá, o presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, desaconselhou os coxas-brancas a comprarem ingresso e assistirem ao jogo no estádio.

O Rubro-Negro havia informado na quinta-feira (22) que o Ministério Público tinha aceitado o pedido dos clubes de que o jogo fosse realizado somente com torcedores do Atlético. Consequentemente, o Atletiba do segundo turno teria apenas torcida do Coritiba.

O próprio Ministério Público em Maringá havia dito na quinta-feira, via assessoria de imprensa, que não se oporia ao jogo com torcida única.

Apesar de negar o pedido dos clubes, o promotor sugeriu que não seja permitida a entrada de integrantes de facções organizadas do Alviverde. A torcida atleticana Os Fanáticos já está proibida de entrar nos estádios como punição pela briga generalizada ocorrida em Joinville no jogo da última rodada do Brasileirão de 2013 contra o Vasco.

A reportagem da Gazeta do Povo tentou entrar em contato com o promotor Maurício Kalache, mas ele não atendeu às ligações.


2 comentários

  1. Edgar Martins
    sábado, 24 de maio de 2014 – 2:08 hs

    Finalmente alguém que entende de direito.
    Não tem que proibir nada. E muito menos as pessoas de irem ao jogo.
    Tem é que prender (e deixar preso) os que cometem crimes dentro e nos arredores dos estádios. Em pouco tempo a coisa se normaliza.
    Portanto, otoridades, temos dois problemas:
    1) ONDE deixar presos esses arruaceiros. Vamos acelerar aí a construção dos presídios.
    2) Juizitos amedrontados e sossegados, a interpretação da Lei deve ser a favor do interesse público e não a favor da sua “magistral comodidade” e da comodidade do réu. Mirem-se no exemplo do Joaquim Barbosa, homem em cujo dicionário “covardia” não é palavra de destaque.

  2. Vigilante do Portão
    domingo, 25 de maio de 2014 – 8:22 hs

    E se der “pobrema”?

    Ter 2 torcidas, é da raiz do futebol (disputa).
    Entretanto, como dizia o filósofo Ronald Golias: A Humanidade não se comportou.

    As TORCIDAS também não.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*