Ação do PT contra Vargas no TSE é encenação | Fábio Campana

Ação do PT contra Vargas no TSE é encenação

unnamed

Josias de Souza, UOL

A ação na qual o PT pede ao TSE que decrete a perda do mandato do deputado paranaense André Vargas por infidelidade partidária não é o que parece. Protocolada no início da semana, a petição faz supor que, após sufocar Vargas, obrigando-o a renunciar à vice-presidência da Câmara e a se desligar da legenda, o PT desejaria agora desligar o ex-filiado da tomada. É teatro.

A encenação foi montada para tentar atenuar o dano político que o relacionamento com o doleiro preso Alberto Youssef causou a Vargas. Às voltas com um processo por quebra de decoro parlamentar, o deputado corre o risco de ser cassado. O que o deixaria inelegível. Ainda que renunciasse, Vargas seria alcançado pela inelegibilidade prevista na Lei da Ficha Limpa.

Na Justiça Eleitoral, o prejuízo pode ser menor. Na hipótese de ser cassado pelo TSE por infidelidade partidária, Vargas perderia o mandato do mesmo jeito. Porém, manteria intactos os seus direitos políticos. Sem partido, não teria como voltar às urnas nas eleições deste ano. Mas estaria livre para pedir votos já na eleição municipal de 2016.

Chama-se Luciana Lóssio a ministra escalada para relatar a antiação do PT. No início da próxima semana, vence o prazo dado por ela para que Vargas apresente sua defesa. Há dois dias, na última volta do ponteiro do relógio, o deputado entregou a defesa requerida pelo Conselho de Ética da Câmara. Na peça, pede que sejam ouvidas oito testemunhas. Entre elas o doleiro Youssef. Joga para ganhar tempo, empurrando a encrenca para o segundo semestre. Se a cassação do TSE chegar antes, o processo que corre na Câmara vai ao arquivo por “perda de objeto”.


6 comentários

  1. TAdeu rocha
    sexta-feira, 30 de maio de 2014 – 11:15 hs

    cassação criativa do PT, como fez com a contabilidade criativa,

    como faz com a propaganda da Petrobras dizendo que a empresa

    aumentou seu valor d evenda, mas, nao fala quanto deve hoje a

    PTBRAS..

  2. Valter
    sexta-feira, 30 de maio de 2014 – 11:25 hs

    Entendo de outra forma: se for cassado pela Câmara, o PT perde uma vaga, pois assume o primeiro suplente da coligação. Ao que consta, seria o dep. Marcelo Almeida, do PMDB e riquíssimo dono da concessionária da rodovia que cobra caríssimo para descermos a serra. Mas se perder o mandato na ação de infidelidade partidária – no TSE – assume o primeiro suplente do PT, pois neste caso resguarda-se a vaga do partido. Engenhosa a artimanha…..

  3. Doutor Prolegômeno
    sexta-feira, 30 de maio de 2014 – 12:15 hs

    Um partido que reúne em seus quadros ex-criminosos fugitivos, condenados cumprindo prisão, ex-terroristas anistiados, entre outros bichos, não precisa se preocupar com ficha limpa.

  4. Moisés Fróes
    sexta-feira, 30 de maio de 2014 – 12:40 hs

    Todos, todos BANDIDOS, esses corruPTos do PT.
    O Povo tem que mandar esses bandidos petistas para Cuba.

  5. SOMBRA
    sexta-feira, 30 de maio de 2014 – 13:05 hs

    Sempre foi, agora que vocês estão vendo, é o povo brasileiro, que vota pensando que eles vão fazer a coisa certa.
    Certamente para eles mesmos…

  6. LUIZ
    sábado, 31 de maio de 2014 – 8:23 hs

    É CLARO,ATÉ A BANDIDAGEM TEM “ÉTICA”KKKKKKKKKKK

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*