Parque Nacional do Iguaçu sob ameaça | Fábio Campana

Parque Nacional do Iguaçu sob ameaça

usina_100514

Quem segura a cupidez e a irresponsabilidade? Olha, minha gente, soube há pouco pelo Vicente Ferreira que a construção da Usina Baixo Iguaçu (foto) e a reabertura da Estrada do Colono colocam em risco o título de Patrimônio Natural da Humanidade do Parque Nacional do Iguaçu. A usina – construída a 500 metros do Parque Nacional do Iguaçu – ameaça diretamente o leito do Rio Iguaçu e as Cataratas.

Quem alerta é gente séria, a WWF – a maior rede independente de conservação da natureza com atuação em 100 países. A Unesco, que concedeu a menção à reserva em 1996, alerta que o Iguaçu pode voltar a ser considerado área de perigo, como ocorreu em 1999, quando a Estrada do Colono foi aberta.

As obras da Usina Baixo Iguaçu, situada entre os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques, no Sudoeste, começaram no ano passado com recursos do Programa de Aceleração do CrescimentoA usina – construída a 500 metros do Parque Nacional do Iguaçu – ameaça diretamente o leito do Rio Iguaçu e as Cataratas.


39 comentários

  1. Fronteira atenta
    sábado, 10 de maio de 2014 – 11:58 hs

    Acho muito engraçado todo esse alvoroço, pois quando a Estrada fechou, não apareceu nenhuma entidade ambiental para defender os moradores, simplesmente nunca vieram debater in loco com o povo ribeirinho, pois fazem denúncias em jornais e revistas de circulação nacional, vistoriando o parque na saia do Instituto Chico Mendes, que faz ações insignificantes para justificarem o seu salários, prova disso é que a mais de 15 anos estão enrolando p/ liberarem áreas de acesso ao turismo em Capanema impondo restrições que tornam inviáveis o acesso.
    Falar que vai prejudicar o parque, porque não faltam energia p/ em seus escritórios, alias essa WWF deveria primeiro vir conversar com os moradores do entorno, que tiveram grandes prejuízos econômicos e sociais.
    Venham a região e debater com os moradores, convença-nos que seus argumentos são de fato convincentes. Agora ficar falando somente em caça e extração de palmito é usar um argumento fraco.

  2. zangado
    sábado, 10 de maio de 2014 – 12:02 hs

    Mas perguntar não ofende: onde estavam ou estão toda a gama de autoridades públicas nacionais de “controle ambiental” que nada viram disso até o momento?

    Brasil – apregoam juristas, gestores e congeneres ambientais e ambientalistas em todos os congresso nacionais e internacionais – é o país da legislação mais avançada no planeta!

    E diante de seus narizes não veem a usina sendo implantada …

  3. Jerônimo, o herói do sertão.
    sábado, 10 de maio de 2014 – 15:59 hs

    Curioso; esses eco-chatos, invariavelmente todos sustentados por misteriosos fundos estrangeiros, e disso fazem seu business e o ganha pão de cada dia, e que belo pão, são lépidos e fagueiros pra defender bicho, rio e mato; porém totalmente relapsos, indiferentes, alheios aos milhões de crianças famintas e doentes que rondam nossas casas, e nosso dia a dia.
    Acontece que criança pobre, remelenta, faminta, e projeto de futuro marginal, não dá publicidade. Não rende holofotes de Tv, nem microfone de rádio.
    Vão trabalhar, cambada, e deixem os colonos trabalharem em paz.

  4. VLemainski - Cascavel
    sábado, 10 de maio de 2014 – 16:58 hs

    Tem ecologista do Rio de Janeiro e Curitiba que cagam na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Rio Iguaçu e que desgraçadamente querem emitir opiniões sobre o que desconhecem. Pregam moral vestindo cuecas…A Estrada do Colono já existia desde 1923 e o parque nacional foi criado em 1943. Ninguém quer desmatar… Só se ama aquilo que se conhece…

  5. Carlito
    sábado, 10 de maio de 2014 – 17:36 hs

    Não ao PLC nº 61/2013 …

    “O Projeto de Lei (PLC) 61/2013, do deputado Assis do Couto (PT-PR), que tramita hoje no Senado e pretende reabrir a Estrada do Colono, que cortava o Parque Nacional (Parna) do Iguaçu (PR) até 2003, coloca em risco não apenas uma das áreas mais importantes para a conservação da Mata Atlântica, bioma mais ameaçado do País.”

  6. wise man
    sábado, 10 de maio de 2014 – 19:45 hs

    Se os órgãos ambientais deram a requeridas e necessária licenças pra a construção desta nova hidrelétrica, a coisa não devem ser tão feia como esta ONG internacional quer nos fazer crer. Vivemos uma histeria nova, é a mistura de ambientalismo inocente com militância politica, quando interessa aos governos vale, quando não interessa, paulada, aí nada presta. E até hoje o MP não se posicionou, porque estes paladinos da justiça estão em todas, nesta pelo jeito não, não deu ainda suficiente ibope?

  7. Gilmar Secco
    sábado, 10 de maio de 2014 – 21:03 hs

    O Companheiros, vamos parar de demagogia ! Quanto a Usina do baixo iguaçu não sei muito, mais quanto a estrada do Colono, crime é privar o ser humano de conviver e transitar com este que meia duzia de inbecis, dizem patrimonio da humanidade, este é um patrimonio sim, mais nosso da nossa região que cuidou dele até hoje. Por que que vocês ao invém de botar , titulos disto ou daquilo, não cobram que o resto da humanidade, principalmente os Estados Unidos e e europa não recuperem o que destruiram, e entitulem seus patrimonios da humanidade em seu próprio quintal !

  8. VALDECIR MIESTER
    sábado, 10 de maio de 2014 – 21:24 hs

    Interessante: Essa WWF se importa com macacos, palmitos e não lembram dos seres humanos, que vivem hoje em uma situação praticamente isolada, essa estrada existe a muitos anos, inclusive o Meu Avô quando veio do Rio Grande do Sul passou por ela para chegar em Medianeira-PR, onde esta o apoio aos ribeirinhos, onde esta essa WWF quando essas pessoas necessitam de ajuda e desenvolvimento, sinceramente os fundadores dessa WWF devem cuidar mais do seu País e deixar que as nossas riquezas sejam exploradas por nós Brasileiros e podem ter certeza temos muitos ambientalistas e pessoas especialistas que cuidam com muita técnica o nosso Meio Ambiente…. VAMOS ACORDAR MEUS AMIGOS BRASILEIROS E DO NOSSO MEIO AMBIENTE E DAS NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS NÓS BRASILEIROS JUNTAMENTE COM OS NOSSOS GOVERNOS TOMAMOS CONTA…..

  9. Lucélio
    sábado, 10 de maio de 2014 – 22:31 hs

    Lá vem os “defensores da natureza” de dentro dos seus escritórios e de suas camionetes com arcondicionado, mostrando-se preocupados…vão se catar…..! Usina é uma situação…e se deixaram iniciar a construção é por que estavam essas autoridades dormindo!!!
    A Estrada do Colono é outra situação e que o seu fechamento causou prejuízos de todos os tamanhos aos moradores daquela região, desde a antiga Jardinópolis(hoje Serranópolis do Iguaçu-PR), até o municipio de Capanema e, são apenas 17 kilometros…prá quem ali passou desde os anos 1960, 70, 80, 90, etc sabe muito bem que não foram culpados de nenhum desastre ecológico, apenas foi uma decisão de Porto Alegre(RS) da area da justiça, digamos INJUSTIÇA sem o devido conhecimento in loco………nunca vieram reunir e discutir com os brasileiros moradores deste trecho os verdadeiros probleminhas que existiam, tenham vergonha na cara esses mandantes e, agora se fazem novamente de vítimas prá dizer que estão querendo salvar o parque, as cataratas, o rio Iguaçu, venham prá luta aqui no local, cassem primeiro os cassadores ilegais e palmiteiros que andam por dentro do parque seguidamente…….. tomem vergonha na cara!

  10. Diogo Almeida
    domingo, 11 de maio de 2014 – 0:04 hs

    Hum…WWF….ta certo! Milionários altamente conhecidos! Sobrevivem fazendo terrorismo ambiental…. E, para finalizar….como ter energia elétrica e todos os demais benefícios, se querem evitar as melhorias? Aí luz cai, fica mais cara…mas, mas…o pessoal da WWF, com sua demagogia, estrangeiros em sua maioria, em nome das árvores, etc, querem que as pessoas se danem! Nome disso, ecoterrorismo!

  11. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 12:23 hs

    -Só acredito nesta acusção da WWF quando anunciarem as conclusões de um estudo sério e abrangente envolvendo as pessoas mais interessadas, que são a população do entorno da Estrada do Colono e do Parque Nacional do Iguaçú!!!!
    -É cada ONG estrangeira se metendo em assuntos internos e de interesse nacionais!!!
    -Engraçado: porque estas tão famosas “ONG’s” não vão para a África tentar resolver a fome e as doenças que atinge aquela continente e por último porque não ajudam no sequestro das meninas pelo grupo Boko Haram????

  12. Confiança no Brasil
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 14:46 hs

    Mais um choro ambientalista. Como se alguns metros quadrados fossem impactar o planeta. Podiam se preocupar com os desregramentos da China. Já olhar a importância dos projetos para os municípios beneficiados…ah, isso não !

  13. Alecs Backes
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 16:27 hs

    Até o momento em que essa matéria foi postada, existiam vários leitores de nossa região que até o admiravam profissionalmente, mas após esse comentário as situações mudaram muito. Um profissional que publica matérias em sua página sem ouvir os dois lados envolvidos não deveria ter o respeito de nenhum leitor, mas como vivemos em um país democrático, sendo assim cada um faz o que quiser da vida, devemos ter sim a humildade de aceitar a vossa opinião e em contrapartida lhe convidar a vir conhecer a realidade e histórias de nosso povo do sudoeste do Paraná, mais precisamente o município de Capanema e outros lindeiros ao PNI (Parque Nacional do Iguaçu), porque assim presenciaria cenas e acontecimentos sobre nossa região que ampliaria e muito os seus conhecimentos sobre o assunto. A história mostra claramente que a Estrada do Colono é uma luta incansável de vários municípios ao longo de décadas sendo que tramita em esferas federais o PL 7123/2010, onde este preconiza a criação de uma “Estrada Parque” e também detalha claramente como poderia ser efetuado o manejo dessa área. Ainda com relação ao PNI, pedimos a todos que já visitaram ou conhecem por outros meios as Cataratas do Iguaçú lembrar de onde toda aquela estrutura se encontra, ou seja, está dentro da mesma área destinada a preservação. Com relação a construção da Usina Baixo Iguaçu, também é uma luta de longos anos de toda nossa população que visa o desenvolvimento dessa região. Sobre os impactos ambientais solicitamos aos interessados que procurem também saber um pouco mais sobre o assunto porque terão as informações técnicas sobre a referida obra e assim verão que esses prejuízos ambientais serão mínimos com relação ao montante da obra. Finalizando, deixo meu comentário e opinião que espero seja respeitado por essa página, a não ser que vossa senhoria tenha como visão de desenvolvimento somente as grandes regiões de nosso estado, porque pelo que estamos entendendo todas essas cidades super desenvolvidas acabaram com todo o verde de suas regiões e agora estão preocupadas em “obrigar” nós a deixar o futuro de lado e somente preservar o meio ambiente, sendo que já foi provado várias vezes que tem como esses caminhar juntos.

  14. Anderson
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 16:41 hs

    Se tu já visitastes as Cataratas do Iguaçu é porque se aproveitou de infraestruturas muito mais degradantes ao meio ambiente do que uma estrada de terra que foi tomada como bode expiatório e que foi colocada como a grande vilã do parque. Por que ninguém fala da onça que foi atropelada na rodovia de acesso às Cataratas? Por que não vão descobrir a razão de que ninguém mais se importa com o parque, já que é um local só pra gringo?

    Ambientalistas de escritório!

  15. segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 18:33 hs

    Minha gente, estrada do Colono coloca em risco o que mesmo>?/ E a estrada de acesso as Cataras do Iguaçu, essa não causa impacto?/
    O Porto Canoas que está as margens do Iguaçu?? e tantas residencias dentro do Parque?/ etc etc etc aí ta tudo certo.
    Tem gente que fala sobre Estrada do Colono e nem se quer conhece, ou sabe da nossa realidade.
    Deveriam se preocupar com o desmatamento desregrado da Amazônia e tantas outras áreas que são exterminadas e a tal Unesco e tantas outras ONG`s fazem o que mesmo?
    O problema é este $. 0000000000000000000000000000000000000

  16. Pedro Santor
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 19:26 hs

    Olha, se tem alguém que realmente põe o rio Iguaçu em sérios problemas é a Capital paranaense, Curitiba. Ou vai me dizer que todo o esgoto sanitário e industrial de Curitiba é tratado e devidamente recolocado no leito do Iguaçu e de outros córregos de forma correta. É muito fácil sentar em um escritório com ar condicionado e muitos outros aparelhos que utilizam de energia elétrica, inclusive esse seu monitor que esta olhando agora e colocar os problemas da construção de mais uma usina no leito do Rio. Todos nós sabemos que qualquer mudança no leito de um rio traz alguns problemas, mas os senhores preferem usinas termoelétricas, consumindo óleo diesel ou gás ou quem sabe, gostariam que fosse instalado na grande Curitiba uma usina atômica. É muito fácil criticar à distância e põe distância nisso, porque depois da colocação dessa cobrança descabida chamada de pedágio ficamos muito mais longe ainda Capital. Para criticar, desligue a energia de sua casa que vem das hidrelétricas… E estrada dentro do Parque existe uma na Argentina, porque não fecham aquela. Hipocrisia tem limites…

  17. Sebastiao
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 20:08 hs

    Ridículo Ridículo….

  18. Bruna Maria Strapasson
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 21:40 hs

    Everglade – Estados Unidos
    Yellowstone – Estados Unidos
    Montanhas Tatra – Polônia/Eslováquia
    Doñana – Espanha
    Grutas Cársicas de Aggtelek – Eslováquia/Hungria
    Minarete de Djam – Afeganistão
    Kakadu – Austrália
    Áreas selvagens da Tasmânia – Austrália
    Monte Tai – China

    Eu poderia passar o dia na internet procurando todos os patrimônios da Unesco pra listar aqui. Só pra poder dizer descaradamente que TODOS ELES possuem ESTRADAS. Claro, dentro das grutas na Eslováquia não tem, mas existem passarelas preparadas para serem utilizadas pelos visitantes. O Minarete de Djam também não, afinal é uma torre de tijolos que tá quase caindo, mas se no meio do deserto possui uma estrada para acessá-lo. No Kakadu tem até uma pista de pouso, qual o problema em reabrir a Estrada do Colono?
    O problema chama-se dinheiro!!
    Fecha o acesso as Cataratas do Iguaçu e fala pro pessoal em Foz do Iguaçu que está proibida a entrada no parque.
    Garanto que vai ter invasão, quebra-quebra, e o diabo a quatro pra poder reabrir. Agora, uma cidade com menos de 5 mil habitantes, que sobrevive da agricultura, quem conhece?
    Sejamos razoáveis e ofereçamos direitos iguais. Se não se pode abrir a Estrada do Colono, vamos fechar o acesso as Cataratas, afinal, como os ambientalistas dizem, dezenas de animais morrem todos os anos atropelados dentro do parque.
    Mas imagina, segundo estes ambientalistas, o som dos veículos também são capazes de afetar todo o ecossistema! Respondam-me: porque tem um helicóptero fazendo vôos panorâmicos o tempo todo sobre as Cataratas?? O barulho que aquilo faz deve matar uma paca a cada sobrevoo!
    Mas imagina se vão retirar os helicópteros. 200 reais por pessoa pra 10 minutos não se consegue em qualquer lugar!
    Mas Serranópolis do Iguaçu e Capanema não valem isso. Ao que mostram os nossos ambientalistas, a cidade é apenas um aglomerado de nada. Não existem famílias, não existem memórias, não existem ensejos de ver o caminho que COLONIZOU a região.
    Mas algumas pessoas dizem que não. Que a região não foi colonizada através daquele caminho.
    Então mudemos o nome da estrada! Chamemos de “Estrada Fechada do Parque”, afinal, é isto que ela é. Uma porta fechada para toda e qualquer necessidade que se tenha. Desenvolvimento, renda, saúde e educação estão todos fechados pela “Estrada Fechada do Parque”.

  19. Indignada
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 22:01 hs

    Nossa, quanto prejuízo, mas porque será que só prejudica o que se refere a Capanema? e as Cataratas? la pode ter hoteis, pista de heliporto, e tudo mais que não prejudica em nada…. Será por causa da grana que rola? Se manter a estrada do colono fechada, nada mais justo que acabar com essa baderna das cataratas, pois a estrada iria prejudicar muito menos….. só não vê quem não quer…. Indignação é o que podemos chamar para todas essa asnera que tão falando….

  20. Patrique Mattos Drey
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 23:05 hs

    O Zangado tem razão! Quais foram as medidas adotadas pela WWF e demais entidades ambientais questionando o licenciamento ambiental, a concessão, licença prévia, as condicionantes, a licença de instalação, irregularidades no processo de licenciamento, enfim, os estudos sobre a magnitude dos impactos e de possíveis irregularidades na documentação acerca dos danos ambientais? Quais as informações levadas até a Unesco acerca do projeto da estrada parque? Estamos atentos e queremos saber a real!

  21. Carla Ceconi
    segunda-feira, 12 de maio de 2014 – 23:10 hs

    Sudoeste do Paraná tem em seu território o Parque Nacional do Iguaçu, no qual temos uma Estrada fechada por ambientalistas q devem desconhecer esse maravilhoso lugar de pessoas ordeiras, honestas que muito trabalham e convivem c o meio ambiente sabendo respeitar toda a natureza que nos envolve. Gostaria de dizer q antes de alguém julgar e defender a ideia de fazer com q essa estrada permaneça fechada, venha conhecer nossas atitudes em relação a natureza. Teremos muita e grata satisfação em fazer um turismo c qualquer um que seja: ambientalista, artista ou seja lá qual for a pessoa q tiver interesse, verás o quanto teremos a ensinar sobre natureza e o q é conviver c ela. Nossas pequenas propriedades agrícolas, tem uma forma organizada de viver, mantendo a economia local com suas produções sendo q cada propriedade dessas tem sua reserva de mata. Qualquer pessoa q vier nos visitar poderá desfrutar de uma belíssima visão ao andar por nossas rodovias sejam elas Federais ou Estaduais, pois contamos c uma variadade de matas que nos cercam e fazem parte d nosso dia a dia. Aqui a muito tempo, as nossas escolas ensinam nossas crianças a cuidar do meio em que vivem, pois reciclamos, cuidamos c gasto de água. Nossas administrações através de suas secretarias do meio ambiente fazem trabalhos referentes a proteções de fontes, recolha de utensílios de embalagens de agrotóxicos. É difícil termos q ouvir q c tudo isso, ainda venham afirmar q se essa Estrada for reaberta seremos uma ameaça ao meio ambiente. A ESTRADA DO COLONO, Estrada essa que é um caminho histórico e q faz parte da História Brasileira? Tanta é a nossa preocupação em relação a esta estrada que a respeito de sua reabertura consta um maravilhoso projeto de cuidados estabelecidos para que carros de passeio trafeguem por ela, isso encurtaria muito a distância entre as cidades que estão entre ela. Não vejo-a somente para este fim, mas gostaria q os filhos desta região, nossos filhos sentissem o privilégio de conviver com essa realidade. A natureza p ser cuidada tem que ser conhecida, vivenciada e não manter isolada. A reabertura desta Estrada não irá prejudicar o Parque, pois todos são conhecedores que o Parque é explorado turisticamente e que nesse contêm outra Estrada Interna. Fica o convite p quem quiser fazer um passeio por nossa região venha e vai poder comprovar e perceber q temos muito a ensinar sobre respeito a natureza. Venham artistas, ambientalistas e mais uma vez insisto e garanto que qualquer pessoa deste maravilhoso sudoeste do Paraná terás grande respeito em mostrar o que é respirar ar puro.

  22. Porque so aqui?
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 9:49 hs

    Por que so no Brasil, onde temos politica feita para politicos que isso acontece???

    Nao sei se voces sabem, mas o mesmo parque nacional do Iguaçu, onde foi interrompido o transito no lado brasileiro, do lado argentino tem 2 estradas que cortam o parque!!!

    Uma estrada inclusive recém reformada e alargada com pavimento de cascalho!!! um luxo de estrada off road!!!

    Outra com pavimentação de asfalto, com um trecho menor, mas nao menos movimentado, que passam por dentro do Parque!!!!

    Ai no Brasil, nos deixamos ser levados por interesses politicos e de Concessionarias de rodovias, pois nao tendo este acesso, somos obrigados a circular em rodovias pedagiadas do estado….

    Ou então, vamos pela Argentina, e andamos no meio da Parque sem problemas algum!!! pois la nao tem pedágios!!!!

  23. Emerson de Sá
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 9:50 hs

    SE OS IDIOTAS QUE SAO CONTRA A USINA E A ESTRADA DO COLONO NAO TIVEREM ENERGIA ELÉTRICA EM SUAS CASAS E ASSIM QUE ME PROVAREM ISSO, NO MESMO INSTANTE VOU FAZER CAMPANHA PARA QUE PAREM AS OBRAS IMEDIATAMENTE! É FÁCIL SER CONTRA, MAS SÓ ANDAM EM CARRO DE LUXO, CASA CHEIA DE AR CONDICIONADO, A MULHER COM 50 PARES DE SAPATOS, VESTIDOS E ETC!

  24. Hélio Q. Jost.
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 10:33 hs

    A WWF não se deu ao trabalho de ver, por exemplo, que o Lago de Itaipu (em nome do progresso) sepultou área MAIO DO QUE TODO O PARQUE NACIONAL!!!! A estrada do colono, pela qual transitei e passei a amar o Parque, representa menos do que 0,006% da área total do Parque. – Que impacto é esse então?
    Quanto à Usina, que eu acho desnecessária pois temos que partir para outras formas (eólica, painéis solares, etc.), será que esqueceram as outras 7 (SETE) usinas construídas à montante dessa e que impactaram toda a fauna do rio e a flora no entorno dessas barragens.
    Mata Atlântica? Então, nós, da região do Parque, temos de “pagar o pato” por todo o desmate do litoral brasileiro? Onde está a WWF e os outros “loucologistas” quando o agronegócio acaba com os biomas do brasil central, acabando com milhares de veredas que são drenadas para plantar soja e algodão.
    Deixem de ser hipócritas e ignorantes. Estrada parque já, assim como no resto do mundo.

  25. Hélio Q. Jost.
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 10:35 hs

    A WWF não se deu ao trabalho de ver, por exemplo, que o Lago de Itaipu (em nome do progresso) sepultou área MAIO DO QUE TODO O PARQUE NACIONAL!!!! A estrada do colono representa menos do que 0,006% da área total do Parque. – Que impacto é esse então?
    Quanto à Usina, que eu acho desnecessária pois temos que partir para outras formas (eólica, painéis solares, etc.), será que esqueceram as outras 7 (SETE) usinas construídas à montante dessa e que impactaram toda a fauna do rio e a flora no entorno dessas barragens.
    Mata Atlântica? Então, nós, da região do Parque, temos de “pagar o pato” por todo o desmate do litoral brasileiro? Onde está a WWF e os outros “loucologistas” quando o agronegócio acaba com os biomas do brasil central, acabando com milhares de veredas que são drenadas para plantar soja e algodão.
    Deixem de ser hipócritas e ignorantes. Estrada parque já, assim como no resto do mundo.

  26. Rubi Emílio Dahmer
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 11:13 hs

    Bom dia a todos.
    Nada melhor do que hoje 13 de maio, data em que é comemorado a data da LIBERTAÇÃO DA ESCRAVATURA NEGRA NO BRASIL, descer algumas considerações acerca desse tão badalado e comentado assunto: ESTRADA DO COLONO e agora incluindo a: USINA BAIXO IGUAÇU, portanto o que noto e vejo em todos os protestos é feito por gente que muito pouco conhecem sobre a verdadeira NATUREZA, pois no minimo se acomodam em belos e sofisticados escritórios com AR CONDICIONADO, BELAS MOBÍLIAS, CAFEZINHO A TODA HORA, etc… sem ter tido uma vez contato com a verdadeira natureza, isto é; colocar as mãos em cabo de machado, de enxada, de foice ou qualquer outra ferramenta que seja, mas opinam sobre coisas que não sabem, que foram estes que abriram esta estrada usando estas ferramentas para ligar duas regiões e implantar o progresso neste Estado que produz alimento para estes gravatinhas, e, este povo se locomover com mais proximidade de suas famílias, encurtando distâncias o que é saudável a todos…
    Quanto a Usina Baixo Iguaçu, havemos de lembrar que esta não é a única no leito deste Rio, mas sim a sexta, para dar suprimento a Energia que alimenta o AR CONDICIONADO E OS DEMAIS UTENSÍLIOS QUE PRECISAM DESTA ENERGIA, destes que tanto criticam e são capazes de dizer que nunca erraram… se bem que talvez também nunca fizeram alguma coisa boa sequer… Que o nosso Bondoso Deus e Pai possa lhes abrir a mente e dar mais luz de entendimento para o bem da humanidade… Que Deus Abençoe a todos nós. Amém!

  27. Gracielli stegaribe
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 14:02 hs

    Ridículo, pra nós é muito melhor a estrada do parque aberta do um título que não nos trás benefícios nenhum

  28. felipe
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 14:23 hs

    Quem precisa desse titulo que so engana a todos, quem precisa dessa wwf, se aqui fosse um pais serio essas entidades ja seriam erguidas daqui a muito tempo como fazem os ditadores de outras naçoes quem deve cuidar do parque sao seus povos lindeiros quem vive ao seu contorno que esta la 24 horas por dia e nunca ganhou nada com isso. e nao esse povo que vive no ar condicionado que nem sabe certo se o parque e no Brasil ou Argentina.

  29. terça-feira, 13 de maio de 2014 – 19:01 hs

    Estranho Fabio, ano eleitoral , USINAS NO RIO MADEIRA, USINA DE BELO MONTE, TERMOELÉTRICAS A TODO VAPOR, e o caras vem aqui,,”vão destruir””é crime ambiental”, ,,enquanto ALASCA , CANADÁ, EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO EM ÁREAS AMBIENTAIS:”” NADA””.
    Estive presente no fechamento da Estrada do Colono, e contemplei a menos de 150 metros um explosão que varreu do mapa uma das balsas da travessia, POLICIA FEDERAL a serviço do TRF 4º REGIÃO, MILHARES DE PEIXES a boiar durante varias horas após o acontecido, mancha de ÓLEO, e NINGUÉM COMENTOU NADA, a não ser os ARGENTINOS pois a EXPLOSÃO FOI OUVIDA A QUILÔMETROS de distancia em plena área de fronteira.
    O progeto do ASSIS DO COUTO, não é algo inútil , pelo contrario, pelo menos 1 DOS NOSSOS DEPUTADOS, olhou de forma técnica para o assunto , pois o PROJETO ESTRADA -PARQUE, existe a vários anos, fruto de um TCC de um PROFESSOR DA UNIOESTE /CASCAVEL.
    Aos babacas de PLANTÃO, leiam,,,leiam,,,pois o projeto apresentado tem os mesmos moldes das estradas parques de EUA, CANADÁ ,,,etc, e não se limita ao “PARQUE NACIONAL DA WWF IGUAÇU”, ele estabelece para todos as reservas do BRASIL, padrões de PRESERVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

  30. terça-feira, 13 de maio de 2014 – 20:04 hs

    Estou muito seguro de que o congresso está certo em aprovar o meu projeto de lei que cria a estrada parque caminho do colono e o governo em construir a hidroelétrica baixo Iguaçu. Os comentários deste blog são firmes e racionais! Parabéns a comentaristas.
    Quero acrecentar algumas informações sobre o nosso querido parque nacional do Iguaçu: 1- nosso parque tem o dobro de tamanho do vizinho parque iguazu na Argentina; 2- o parque argentino tem registrado 118 espécies mamíferas e o brasileiro apenas 76; o lado argentino registra mais de uma centena de onças pintadas e o nosso reclama menos de duas dezenas (biólogos mais pecimistas confirmam, no máximo seis animais); do lado argentino a registro de vários grupos de queixadas (principal alimento da onça), já do lado brasileiro os queixadas não são mais vistos a anos.
    O parque argentino tem estrada, o nosso não! O lado argentino tem título da UNESCO, semelhante ao nosso. Porque a UNESCO não cobra das autoridades ambientais brasileiras o descaso com o PNI?
    O FECHAMENTO DA ESTRADA DO COLONO PIOROU AS CONDIÇÕES DO PNI. TIROU OS TURISTAS E AS PESSOAS DE BEM QUE ALI PASSAVAM E DEU LUGAR AOS CAÇADORES. QUEM ESTÁ GANHANDO COM ISSO?

  31. Vicente
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 20:43 hs

    Quanta imbecilidade e má fé por parte destes pseudo-ambientalistas que que se divertem a custo do povo.
    WWF (World Wide Fund for Nature), Gente séria? Dizer isso é uma afronta à inteligência humana. Fundo para um grupinho fazer turismo de graça. Se não fizerem bastante barulho, acabamos donativos.
    Mais interessante é que a exploração nas Cataratas do Iguaçu não prejudicam a natureza. Visitem as Cataratas do Iguaçu e vejam onde são despejados os dejetos dos banheiros.

  32. joaquim
    terça-feira, 13 de maio de 2014 – 22:35 hs

    Até onde sei para que se aprove um projeto é necessário um estudo de impacto ambiental, já a estrada do colono poderia ser reaberta com obras que degradariam pouco o meio ambiente e ajudariam muitas pessoas… pra mim esta noticia é só mais uma jogada dos ambientalistas a fim de levar uma graninha.

  33. quarta-feira, 14 de maio de 2014 – 10:08 hs

    fico muito triste ao saber que estão acabando com aquele paraiso que é aquele lugar mas todos sabem que pra desenvolver algun lugar alguen tem que perder e vai ser sómente a natureza….

  34. Fernando Demenech
    quarta-feira, 14 de maio de 2014 – 11:22 hs

    Eles fecharam a Estrada do Colono, e porque eles tambem nao fecham a estrada que leva ate as cataratas que é asfaltada? Deve ser porque essa estrada das cataratas da muito dinheiro para os grandes, pois a Estrada do Colono dava dinheiro para aqueles que já faziam parte do Parque, os moradores lindeiros. Os biologos nao fazerm parte do parque, pois muitos deles nasceram em outros estados, cursaram uma faculdade talvez em outro país, mas os moradores lindeiros não, eles estão lá de geração a geração e fazem sim parte do parque e da Estrada do Colono. Hoje esses biólogos que vivem embaixo das asas dos grandes, tem o que comer e onde morar e com certeza ganhao muito dinheiro. Agora os moradores lindeiros, tanto do lado de Capanema, como do lado de Serranopolis, vivem na solidao, sem uma perpectiva de vida, e os biologos tenho certeza que nao vão nessas comunidades ver o que fizeram com o povo que faz realmente parte do Parque Nacional do Iguaçu. Eu convoco esses biologos a irem visitar essas comunidades para eles verem o que fizeram com um ser chamado humano.

  35. ademar
    quarta-feira, 14 de maio de 2014 – 20:06 hs

    Tem ambientalista idiota que não sabe nem oque é uma arvore…

  36. EMERSON LUIZ MARCON
    quarta-feira, 14 de maio de 2014 – 20:49 hs

    QUE ME PERDOEM AS AUTORIDADES COMPETENTES PELO CUMPRIMENTO DE LEIS AMBIENTAIS E ASSIM POR DIANTE ,O MUNICIPIO DE CAPANEMA E OS LINDEIROS DO PARQUE SEMPRE ESTIVERAM PREOCUPADOS COM A PRESERVAÇÃO LOCAL ,ESPECIALMENTE OS PRODUTORES RURAIS ,ONDE SE CONVERSA AS AREAS DE RESERVA RESPEITANDO OS LIMITES VIGENTES EM LEI,BEM COMO O RESPEITO DA FAUNA LOCAL.CONVIDO AOS IMPLICANTES PELA CONSTRUÇÃO DA USINA BAIXO IGUAÇU E O PROJETO DA ESTRADA PARQUE ,A NOS VISITARAEM SUJAREM UM POUCO SEUS TERNOS E SEUS SAPATOS ,OU COMO DIZ NOSSO POSSO SUJAR A BOTINA PARA QUE POSSAM REALMENTE CONHECER A REALIDADE DA NOSSA REGIÃO ,PARA AVALIAREM AS NOSSAS LUTAS , E EMPENHO PARA QUE POSSAM VER O QUANTO NOSSO POVO SUA PARA PAGAR OS GENEROSOS SALARIOS DEPOSITADOS EM SUAS CONTAS,SOMENTE CONHECENDO O HISTORICO DE UM POVO PODE-SE TOMAR INICIATIVAS .

  37. Cleofas Schiavo
    quinta-feira, 15 de maio de 2014 – 9:03 hs

    E isso ai, não podemos se entregar para alguns ambientalistas que não conhecem nada sobre a Estrada do colono e da Usina Baixo Iguaçú.E estes Sangue Suga de outros paises que já destruiram toda a natureza que tinham e agora querem mandar em nosso pais, que vão cuidar primeiro das suas casas para depois querer mandar na casa dos outros. Titulo não enche barriga de ninguem, parque se aberta a estrada do colono vai ser muito mais cuidada do que se encontra hoje, pois aqui tem um povo ordeiro que assume suas responsabilidades e cumpre com o que diz.
    “O PARQUE E NOSSO, E NÓS É QUE DEVEMOS CUIDAR “

  38. Renato de Oliveira
    sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 – 20:25 hs

    È simples, se existe tanta força para manter o parque fechado, é porque deve ter ouro, petróleo ou diamante nas terras do parque, e a Unesco sabe disso, ou porque será que uma entidade que se diz mantenedora do desenvolvimento humano iria combater o desenvolvimento das pessoas? É porque tem muito dinheiro naquelas terras, se não fariam como outros patrimônios públicos em outros países, cobrariam uma “taxinha” de pedágio do visitante e lucrariam como sempre.

  39. Carlos Leandro Tschá
    sexta-feira, 13 de maio de 2016 – 14:03 hs

    O Campana, não dê crédito a esses ambientalistas de escritório eles não conhecem a realidade em que vivemos..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*