Policial algema e mata namorada no Alto da XV e tenta se matar | Fábio Campana

Policial algema e mata namorada no Alto da XV e tenta se matar

identidades

Da Banda B:

O policial civil Napoleão Seki Júnior, de 36 anos, lotado na Secretaria de Segurança Pública do Paraná, matou a namorada, Paola Natália Cardoso, de 23 anos, no início da tarde desta quinta-feira (24) na Rua Reinaldino S. de Quadro com a Sete de Abril, no bairro Alto da XV, em Curitiba. Após o crime, ele atirou contra o próprio pescoço, mas sobreviveu e foi encaminhado em estado grave ao Hospital Cajuru.
altodaxvdentro

Uma testemunha viu tudo e contou detalhes do crime à Banda B. “Ela estava em um Celta e foi tirada para fora do carro, onde o policial a algemou. Ele deu vários chutes contra a moça e disparou quatro vezes. Em seguida, o policial atirou contra o pescoço. Muitas pessoas viram, mas ficaram com medo de se meter porque ele estava armado”, contou uma mulher moradora na região. “Os dois gritavam e discutiam muito”, completou.


Várias viaturas da Polícia Civil e Militar estiveram no local e isolaram a quadra. “Quando chegamos constatamos a briga do casal e a moça morta. O rapaz estava conseguindo andar e foi socorrido. Efetuou quatro disparos contra ela e um contra ele mesmo. O rapaz não tinha noção de onde estava e não conseguia conversar. O caso agora está a cargo da Delegacia da Mulher”, afirmou o soldado Barreto, da PM, que estava na primeira viatura que chegou ao local.

Paola namorava Napoleão há um ano, em um relacionamento conturbado. Ela deixa um filho de um ano e três meses, fruto de outro relacionamento. Ela era estudante da Universidade Federal do Paraná. Em seu facebook, a maioria das fotos são junto ao filho.


4 comentários

  1. NA CORDA BAMBA
    sexta-feira, 25 de abril de 2014 – 8:35 hs

    Um cara assassino deste padrão não merece uma bela pena de
    morte ? Quem não defende a pena de morte é porque a vítima não é a própria filha. Direitos humanos vale só por interesse neste país !!!

  2. Magaiver
    sexta-feira, 25 de abril de 2014 – 11:21 hs

    Lembrem se todos: Esta coisa de “relacionamento conturbado” sempre dá M… cai fora não adianta insistir !!

  3. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 25 de abril de 2014 – 13:15 hs

    -Este policial cometeu uma atitude infeliz e sem pensar nas consequências de seus atos. Acabou em fatalidade uma briga que poderia ter sido superada e deixou mais uma criança órfã de mãe!!!
    -Em que tempos estamos vivendo??? A cada dia a vida torna-se mais desprezada e vil!!!!

  4. Absurdo estar armado
    sexta-feira, 25 de abril de 2014 – 16:30 hs

    Sinceramente a polícia civil erra feio ao deixar que integrantes da corporação e que estejam respondendo processos de qualquer natureza continuem andando armados.

    Tem que ser assim: Se tem processos tramitando, tem que de pronto entregar sua arma.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*