"Irrevogável só a morte", diz presidente do PT sobre candidatura Dilma | Fábio Campana

“Irrevogável só a morte”, diz presidente do PT sobre candidatura Dilma

Por Cristiane Agostine, no Valor

SÃO PAULO – Em meio aos rumores do “Volta Lula”, o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão (SP), disse nesta quinta-feira que “não há nenhuma razão” para supor que a presidente Dilma Rousseff não será a candidata do partido à reeleição neste ano.

Ao ser questionado se o lançamento de Dilma é irrevogável, Falcão, no entanto, o dirigente petista afirmou: “irrevogável e irreversível, só a morte”.

A candidatura do PT à Presidência só deve ser oficializada no dia 20 de junho, na convenção partidária.


> Falcão evitou falar sobre o desejo de boa parte do PT sobre uma nova candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta eleição, no lugar de Dilma. “É que o presidente Lula tem o carinho do PT todo e de toda a população”, desconversou. “Tenho certeza de que em 2018, se ele quiser, voltará com tranquilidade”, afirmou o petista, depois de reunir-se com jovens de movimentos sociais.
>
> Segundo Falcão, Dilma deve participar de um evento com a militância petista em São Paulo um mês antes das convenções partidárias, no início de maio.


6 comentários

  1. Juvenal de souza
    sexta-feira, 4 de abril de 2014 – 17:19 hs

    fora pt

  2. Pedreira
    sexta-feira, 4 de abril de 2014 – 17:26 hs

    Afirmar que o apedeuta “…tem o carinho de toda a população” é mais uma mentira do Falcão, ou no mínimo desinformação.
    Não me inclua nesse balaio !!!!

  3. Helena
    sexta-feira, 4 de abril de 2014 – 17:59 hs

    Então que venha a morte, política, é claro!!!

  4. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 4 de abril de 2014 – 21:14 hs

    A Dilma tá desaparecida.

    Não se apresenta em público, não em cerimônia Aberta.
    Foge de perguntas dos jornalistas.
    Foi pega na mentira.

  5. Silvajr
    sábado, 5 de abril de 2014 – 13:03 hs

    Viva o LULA, afinal é só comparar com a incompetência do PSDB
    O Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas no país, era,e em 2003, era o equivalente a 550 bilhões de dólares, hoje supera os 2.1 trilhões. Quatro vezes maior, portanto;
    O comércio exterior passou de 119 bilhões de dólares anuais em 2003 para 480 bilhões em 2013, também quatro vezes maior;
    O investimento estrangeiro direto, que foi de 63 bilhões de dólares, contra os 16,6 bilhões de dólares de 2002, quando já não havia quase nada mais a ser vendido na quitanda de Fernando Henrique Cardoso. Ou seja, quase quatro vezes mais;
    Inflação de 12.5 por cento em 2002 para 5.9 por cento em 2013, reduzida a menos da metade;
    Divida pública líquida diminuída praticamente à metade; de 60.4 por cento do PIB para 33.8 por cento;
    Reservas cambiais de 376 bilhões de dólares em reservas, quase dez vezes maiores do que os 38,8 bilhões de 2002.
    Geração de empregos: até fevereiro, foram 20,2 milhões de empregos (15, 4 milhões com Lula e 4,8 milhões com Dilma), o que dá uma média anual 1,8 milhão de empregos, enquanto nos oito anos de Fernando Henrique Cardoso, que criou 5,02 milhões de vagas, a média era de 627,5 mil vagas anuais. Quase triplicou, portanto, mesmo com uma crise internacional que destruiu 62 milhões de empregos, segundo a OIT;
    Em dólar, o salário mínimo passou de 56,33 em dezembro de 2002 ( R$ 200 para o dólar a R$ 3,55), para 321,77 em março deste ano (RS 724, para o dólar a R$ 2,25). Ou, para corrigir pela inflação interna, aumento real de 86,7% desde aquela data, usando o INPC como indexador.
    PSDB nunca mais.

  6. Sargento Tainha
    domingo, 6 de abril de 2014 – 0:55 hs

    Eles sabem que Dilmámofada perde! estao com Plano “B” na manga. Nao se enganem o molusco é acefalo, mas ainda tem neuronios na agulha apos quimio. Podem escrever que ira daer o comando se a cas cair: “greves e mais greves, paralizaçoes, quebradeiras será a vingança do abestado jéca de Caetés!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*