Pior do que o diabo | Fábio Campana

Pior do que o diabo

Por Mary Zaidan

Especialidades do ex-presidente Lula, criticar as elites, estimular e manter em alta o antagonismo entre ricos e pobres, sempre lhe valeram bons frutos. Como ninguém, Lula consegue com o mesmo gogó desancar e afagar os endinheirados. E ainda usufruir deles.

Mas essa habilidade de iludir o público, xingando aqueles que o patrocinam – a ele e ao PT – é única. Seria prudente, portanto, que Dilma Rousseff nem mesmo tentasse se arriscar nessa seara, sob pena de despencar no ridículo, como na sexta-feira, em Araguaína, no Tocantins.

Irritada com as vaias durante inauguração de um conjunto habitacional do Minha Casa Minha Vida, Dilma acusou os manifestantes de terem nascido “em berço esplêndido”. E extrapolou ao se referir ao cartão Minha Vida Melhor, que financia compra de eletrodomésticos, afirmando que só não valorizam o programa aqueles que “nunca tiveram de ralar, de trabalhar de sol a sol para comprar uma televisão, uma geladeira, uma cama, um colchão”.

O que Dilma não sabia – e ninguém contou a ela – é que o grosso dos apupos vinha de moradores do conjunto ao lado, entregue há dois anos pelo mesmo Minha Casa Minha Vida, já com rachaduras e sem equipamentos sociais.

Suas palavras agrediram pobres mais pobres do que os pobres que ela, durante a inauguração, dizia beneficiar.

Não satisfeita, também reagiu atabalhoadamente aos que protestavam contra o Mais Médicos, ao afirmar que antes do programa havia profissionais de saúde “somente para as camadas mais ricas”. Ou seja, até o segundo semestre do ano passado, o SUS de Dilma só atendia “ricos”. Um desrespeito absoluto aos milhões e milhões de brasileiros que dependem da saúde pública.

Ao que tudo indica, Dilma foi instruída a promover ao máximo a tática vitoriosa de Lula de rivalizar ricos e pobres. Mas Dilma não é Lula. E, sendo Dilma, confundiu todas as bolas.

Tropeços à parte, causa estranhamento a escolha dos marqueteiros pela desgastada aposta na luta de classes. Especialmente para uma candidata que lidera as pesquisas com larga margem de vantagem e um governo que se orgulha de ter promovido mais de 30 milhões de pessoas à condição de classe média. Ainda que a nova média – rendimento de R$ 301 a R$ 1.090,00 – esteja muito aquém de garantir o mínimo.

Sem saber onde colocar esse batalhão de gente, Dilma continuará animando a disputa entre pobres e menos pobres.

Como estratégia eleitoral, difícil crer que esse tipo de discurso tenha alguma serventia com a protagonista Dilma. Mas suas consequências vão além do fazer o diabo para vencer a eleição. Promovem e alimentam o ódio; criam divisões devastadoras, muitas vezes intransponíveis. Isso é tudo de que o Brasil não precisa.


6 comentários

  1. Tadeu Rocha
    domingo, 16 de março de 2014 – 17:27 hs

    Discurso dividindo ricos e pobres.
    Discurso dividindo os brasileiros.
    Tática disse Ptralhas

  2. salete cesconento de arruda
    domingo, 16 de março de 2014 – 21:20 hs

    Mary ODEIA o PT.

  3. JUSTIÇA
    segunda-feira, 17 de março de 2014 – 1:05 hs

    ENTÃO O LULA É CONTRA SI E SUA FAMILIA QUE HOJE ESTA ENTRE AS MAIS RICAS DO PAIS GRAÇAS AO SEU “ARDUO TRABALHO” NA PRESIDENCIA DO PAIS .

  4. jaferrer
    segunda-feira, 17 de março de 2014 – 10:37 hs

    Salete, para dizer verdades não é necessário odiar o pt, basta ter inteligência para entender o que está aí, diante dos olhos; isto é coisa que você não tem.

  5. Saul de Lima Brenzink
    segunda-feira, 17 de março de 2014 – 13:29 hs

    O governo PT pensa ser os pais dos pobres. Infelizmente, o povão menos favorecido, vem se tornando cada vez mais o fiel da corrupção petista. Basta ler o discurso da Presidente Dilma, num ataque àqueles que estavam protestando. Não sabia ela, conforme nota divulgada, que os mesmos eram infelizes proprietários de casas do programa minha casa minha vida, que está apresentando problemas em vários locais onde foram construídas. Ora, a sabedoria popular diz que temos que saber ouvir a voz do povo e tirar as lições em busca de melhorar as reclamações. Com agradecimentos ainda. Não é o que faz o PT, que se colocam como vítimas da oposição, esquecendo que os queixosos são os mesmos beneficiados pelo governo e que estão descontentes. Aprendam a avaliar a situação.

  6. Do Interior....
    segunda-feira, 17 de março de 2014 – 17:34 hs

    O PT e seus milicianos odeiam quem não é do PT, só pelo fato de existirem.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*