O bloco da mentira | Fábio Campana

O bloco da mentira

Por Mary Zaidan

Assim como quem não gosta de samba é ruim da cabeça ou doente do pé, é insano imaginar que pessoas sem acesso aos serviços básicos de saúde não queiram ou não gostem de ter médicos para atendê-las. O doutor pode ser de qualquer nacionalidade, pode até falar grego, mas é melhor tê-lo. A falta de tudo é tanta que o que vier é lucro. Veio o Mais Médicos.

O polêmico programa desafinou já no começo e continuou atravessando o ritmo, com desculpas sempre mal ajambradas quando flagrado nos seus desatinos.

Lançado às pressas para atender à campanha do ex-ministro Alexandre Padilha, candidato de Lula ao governo de São Paulo, logo de cara perdeu o tom. Era para ser rumba pura, mas, chacoalhado por críticas dos médicos brasileiros, teve de ser aberto, ainda que pro forma, para adesão local e de estrangeiros de outras partes do mundo.

Já na primeira leva de importação, a máscara caiu: descobriu-se que, havia meses, os cubanos estavam sendo treinados por agentes brasileiros. O molde do programa sempre foi para cubanos, ou melhor, para a ilha dos irmãos Castro, que fica com 75% do dinheiro que deveria ser pago aos profissionais exportados para o Brasil.

Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde. Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil

Se o salário de R$ 940, as condições de vigilância e o cerceamento das liberdades individuais dos cubanos já eram um escândalo, permitindo traçar paralelos com trabalho escravo, as revelações feitas pelo Jornal Nacional na quinta-feira, ampliaram as suspeitas sobre o Mais Médicos. Ao contrário do que o Ministério da Saúde dizia – inclusive o ministro, no Congresso Nacional –, nenhum país do mundo tem programa similar.

Quem confirmou isso foi a própria Organização Panamericana de Saúde (Opas), intermediadora do contrato com Cuba. Ou seja, para manter o acerto que avilta os médicos cubanos e enriquece os donos da ilha caribenha, o governo Dilma Rousseff mentiu aos brasileiros.

França e Chile têm médicos cubanos, sem qualquer intermediação e sem a cota castrista. A Itália nem mesmo importa cubanos. E Portugal, o único país a usar a Opas, contratou 40 médicos em 2009; hoje tem 12. O Brasil já abriga mais de cinco mil e outros quatro mil devem chegar em breve, com as mesmas tratativas sui-generis.

Um dia depois de o procurador-geral da União, Paulo Henrique Kuhn, afirmar ao JN que o governo brasileiro não podia mexer no salário dos médicos cubanos porque eles assinaram contrato com Cuba, e que isso seria “ingerência”, o ministro Arthur Chioro anunciou aumento para os cubanos. E atribuiu a decisão – “ingerência”- à presidente Dilma.

Não bastassem as mentiras, ao conceder salário de R$ 3 mil aos cubanos enquanto os demais médicos do programa recebem R$ 10 mil, Dilma manteve e avalizou a injustiça.

A população que carece, e muito, de atendimento à saúde, não merece um enredo de tamanho embuste.

Mary Zaidan é jornalista. Trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, em Brasília. Foi assessora de imprensa do governador Mario Covas. Atualmente trabalha na agência ‘Lu Fernandes Comunicação e Imprensa’. Escreve aqui aos domingos. Twitter: @maryzaidan, e-mail: maryzaidan@me.com


9 comentários

  1. JÁ ERA...
    segunda-feira, 3 de março de 2014 – 3:52 hs

    O pensamento do povão é melhor ter qualquer médico do que não
    ter. O governa pensa assim:- monte um programa qualquer e forneça
    remédios vencidos. Os que viverem foi o PT que salvou…

  2. NA CORDA BAMBA
    segunda-feira, 3 de março de 2014 – 3:54 hs

    O pior é que este Padilha é médico e bem sabe o resultado negativo
    e escravo deste programa. Mesmo assim o objetivo dele é chegar ao
    governo de São Paulo a todo o custo. Vai levar fumo…

  3. PIMENTA PURA
    segunda-feira, 3 de março de 2014 – 6:33 hs

    Este Padilha deveria ser crucificado em praça pública. Pau mandado
    do Lula e da Dilma faz do programa Mais Médicos o seu reduto para
    a eleição do governo de São Paulo. É o retrato de um Brasil onde
    os políticos loucos fazem de tudo para levar vantagem e o povão faz
    que acredita no governo e recebem migalhas em troca da ilusão !!!

  4. sergio silvestre
    segunda-feira, 3 de março de 2014 – 8:43 hs

    Problemas nossos,é muita gente para colocar o bedelho,atrapalhara o PAIS.
    NoBrasil qualquer obra fica o dobro do preço por causa da burrocracia,é um tal de embarga e desembarga e a coisa se arrasta por anos até que a justiça de uma solução.
    Diferente por exemplo na China e EUA,onde a coisa publica é de segurança nacional,e passam com um tanque por cima daqueles que querem fazer frente a alguma coisa.
    Aqui em Londrina a av Airton Senna ficou por cinco anos parada por causa de um Chacareiro que queria achacar o municipio e não deixava a av passar pelo seu terreno.
    Mesmo com a benfeitorias que a av poderia trazer,foi lá um advogado e fez a cabeça do distinto proprietario,sem ter a noção que a av interrompida poderia trazer transtornos a uma grande população.

  5. antonio carlos
    segunda-feira, 3 de março de 2014 – 8:55 hs

    Deixem de chorar, o Mais Médicos Cubanos não vai acabar, pelo contrário, vem uma nova leva aí. E a companheira vai ficar mais um período no trono. Depois só Deus sabe, quem sobreviver verá.

  6. OLHO VIVO
    segunda-feira, 3 de março de 2014 – 22:41 hs

    Estas figuras do PT são igual ao Ministro Joseph Goebbels, de Hitler, que fazia propaganda enganosa. Repetem uma inverdade MIL vezes até que ela se transformar em verdade. Assim é com os Mais Médicos, com a Inflação, com a Economia em geral, com a quebra do Petrobrás e a péssima política cambial. Vamos viver e aguentar estas Baboseiras até quando?? O brasileiro somente sabe pensar em Carnaval e futebol? Entendo que não, então vamos nos mexer, pessoal ……. Vamos mexer e expurgar os mentirosos.

  7. FUI !!!
    terça-feira, 4 de março de 2014 – 6:10 hs

    Acorda Brasil. Não se surpeendam se em breve a Dilma casar com
    a Raul Castro e forem padrinhos o Padilha, Lupi e Fidel. Nada demais
    para o Brasil que já está virando território de Cuba…

  8. terça-feira, 4 de março de 2014 – 10:08 hs

    Hoje em dia esta mais facil fazer folia com a coisa publica, acabou o quesito formacao de quadrilha. Agora pode tudo e pelo andar da carruagem vai poder ainda mais. O inferno astral do pais ainda nem comecou. O certo e fazer como a filha de um dos irmaos assassinos da ilha maravilha. Fugir para Miami!

  9. Irineu Hartmann
    terça-feira, 4 de março de 2014 – 18:19 hs

    O governo não mede esforços para ajudar e investir o nosso dinheiro para los hermanos, até uma refinaria nossa construida lá fora foi tomada pelo governo local e mesmo assim a bondosa presidenta faz investimentos na ex empresa nacional, evidentemente garantindo seu pézinho de meia para a aposentadoria, este casamento já aconteceu faz tempo e o ex pres. participa do ménage a trua com a sua secretaria.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*