Ministro diz que não devolverá dinheiro usado na viagem de sua esposa | Fábio Campana

Ministro diz que não devolverá dinheiro usado na viagem de sua esposa

Do Estadão:

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, informou em audiência pública na Câmara dos Deputados que não vai devolver recursos usados para financiar a viagem de sua mulher para três capitais do País durante as festas do carnaval. Ele afirmou que a companhia teve como objetivo evitar situações constrangedoras. “Sou casado há 26 anos e sei como é o ambiente do carnaval.” Ele classificou a rotina, ao longo de quatro dias, como “absurdamente estafante.”

Leia mais em Ministro diz que não devolverá dinheiro usado na viagem de sua esposa


8 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 10:18 hs

    Devia ser defenestrado incontinenti e processado por crime de responsabilidade.

  2. SYLVIO SEBASTIANI
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 10:36 hs

    Passear por diversas cidades nos dias de Carnaval do Brasil é estafante? Ainda na condição de grande autoridade Ministerial, por conta do dinheiro público, com a esposa, nos camarotes, com toda a mordomia, por quatro dias é estafante? Bem, deve aproveitar porque no ano que vêm, em 2015 o Ministro vai assistir o carnaval de São Bernardo.

  3. Sociedade Responde
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 11:42 hs

    Pensando bem, o ministro está certo. Finais de semana e feriadão prolongado se tiver que ir à campo, tem que levar a patroa. É direito adquirido, assinado e sacramentado. ** Carnaval é ambiente hostil. E se alguma atrevida se pendura no pescoço do ministro e ele, estando com a “camisinha” na mão, como vai explicar em casa? ** É melhor levar bordoada da imprensa do que da mulher, não é não?

  4. Irineu
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 11:53 hs

    Para que devolver? afinal este é mais um belo exemplo do governo que comanda o país,estão cag….e andando, quer dizer viajando.

  5. Saul de Lima Brenzink
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 12:17 hs

    Realmente foi muitíssimo importante a presença do Ministro, junto com sua esposa, no carnaval do Rio, Salvador e Recife. Deve ter salvo muitas vidas nesses locais. Capitais de péssimo carnaval. Tanto é que ele ficou preocupado, entediado e cansado. Tudo isso nas barbas do Senado, Câmara e STF. Quanto ao devolver dinheiro, ele só vai seguir o “modus operandi” do PT. Ficam presos, mas ninguém vê a cor do dinheiro. É muita cara de pau a explicação do Ministro. Os deputados devem ter ficado em lágrimas. Quanta hipocrisia.

  6. Vania Mercer
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 14:22 hs

    O Ministério da Saúde deveria lançar o Programa de prevenção de Constrangimentos. Não vi os locais onde o Ministro Chioro se apresentou no Rio para lançar ou reforçar a campanha de prevenção a AIDS. No sambódramo? nos subúrbios? junto aos Blocos de Rua ? nas Favelas? Como psicanalista envolvida no acompanhamento e prevenção a AIDS gostaria de ter acesso a seu roteiro e conteúdo dos folders usados nas atividades durante o último carnaval e a reação do povo frete a fala , a presença. do ministro no momento da Folia? alguns ‘ foram todo ouvidos? ” .
    Se o sucesso dessa experiência for comprovado, para as celebrações em dia de Copa o Ministro poderá usar a mesma estratégia, circular entre o público das torcidas.

    Mas o que quer dizer constrangimento ? o Cerimonial da República , segundo divulgado repetidamente pela imprensa, sempre cuidou para amiga do antigo Presidente e sua esposa nao se encontrarem nas mesmas viagens internacionais… isto não é um constrangimento ao qual o povo deva arcar com os custos.

    Mas os estupros de mulheres nos ônibus, trens e diversas situações as quais as mulheres são expostas a caminho do trabalho, da escola. essas sim deveriam te o apoio do Ministério. As tragédias daí decorrentes são terríveis e com consequências inumeráveis para a saúde emocional, moral, psíquica dos familiares das vítimas.. os esposos , os pais de família , não poderão deixar de trabalhar para evitar o estupro nos meios de transporte. Questão pessoal de um casal, fidelidade ou outros acertos políticos como mal uso de uma fotografia, não são a prioridade nacional. Questões de foro íntimo exigem que o Ministro oriente sua companheira para arcar com parte difícil de ser companheira de homem público. Imaginem se cada professor da rede pública tiver este auxílio para prevenir constrangimento provocado pelas alunas pré-adolescentes , em sala de aula , os desafiando com seus poderes atributos de Lolitas e atrevimento da pós-modernidade e do mundo virtual! a verba do ministério deverá explodir!
    … mas com este pretexto os pares dos políticos dormirão em berço esplêndido , a tão cantada paz de criança dormindo de Dolores Duran.
    Esta e outras contas não são do Povo Sr. Ministro… Este cuidado – não público é privado!

    Fabio, sugiro que Mirela Prosdócimo, apresente ao Ministro sua campanha: NEM UM MINUTINHO !
    Uma boa verba poderia a ser aplicada para nacionalizar esta bem bolada campanha. Na verdade algo que não foi estudado, foi parido das entranhas e da dor , dos que tem limitações físicas ou de seus acompanhantes.
    O Dr. Chioro assumiu recentemente , mas os motoristas , o seu e dos demais órgãos públicos, devem ser antigos no exercício de suas funções. Se ainda não sabem que não podem estacionar nas vagas destinadas a Pessoas Especiais e Idosos, a campanha evitaria CONSTRANGIMENTOS que a população sofre , como a Mirela bem o sabe! conta para ele por favor Mirela? é questão de saúde…
    Quem sabe , mais do que o dicionário, estas situações possam clarear , ao grande responsável pela saúde nacional a noção do que é um constrangimento E o que merece investimentos e esta palavra não seja usada debochadamente como desculpa para pagarmos a conta da presença de Sua Senhora no carnaval carioca!

    Ainda um recado para o recém saído Ministro , agora candidato ao governo de São Paulo , se o Programa Mais Médicos é fundamental, como seu pai o abandou em plena gestação e implantação? como abandonar o prematuro na UTI e ir realizar desejos pessoais de poderes mais altos?
    No Brasil abandonar recém nascidos suponho que seja crime. Só lançar o programa e usá-lo como bandeira, espero que não faça sucesso.
    Um pai que se orgulha de fecundar uma vida , ou no caso um Programa gerador de cuidados e abandona ao filho, mostra que seu propósito não é o Programa, nem a saúde dos brasileiros. Mais importante do que ser ministro é governar a capital econômica do país? Não haveria outro homem para ser candidatado e Sr. Padilha se agarrar para fazer dar certo seu Projeto, de preferência honrando os profissionais com seus direitos trabalhistas e não os aviltando como bolsistas … ? enquanto isso …nosso Hospital de Clínicas da UFPR pode até fechar por falta de condições de manutenção de Equipes e Pessoal .! isto seria constrangimento ou TRAGÈDIA . ..

  7. Gardel
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 14:53 hs

    Pelo jeito, o projeto de dominação protagonizados elos ptralhas, já esta consolidado.

  8. FUI !!!
    quinta-feira, 20 de março de 2014 – 15:18 hs

    Realmente percorrer todos os camarotes de vários estados durante
    o carnaval deve ter sido muito estafante. Coisa de bandalheiro mes-
    mo. O dinheiro e a viagem via FAB fica por conta do povão mais
    uma vez…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*