Ex-diretor de Petrobras negocia com oposição ida à Câmara dos Deputados | Fábio Campana

Ex-diretor de Petrobras negocia com oposição ida à Câmara dos Deputados

Da Folha de S. Paulo:

A oposição negocia com o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró sua ida ao Congresso Nacional para depor sobre a compra da refinaria de Pasadena (EUA). Os entendimentos ocorrem após Cerveró sinalizar estar disposto a dar a sua versão sobre o polêmico negócio de US$ 1,18 bilhão, investigado pelo Tribunal de Contas da União, Polícia Federal e Ministério Público por suspeita de ter causado prejuízo aos cofres da Petrobras.

A intenção da oposição é tentar aprovar a partir de amanhã, em diferentes comissões, requerimentos para que ele deponha na Câmara. Personagem-chave no polêmico negócio, Cerveró foi afastado da diretoria de Finanças da BR Distribuidora, uma subsidiária da Petrobras, na semana passada, dias depois de a presidente Dilma Rousseff apontá-lo como responsável por um parecer “falho” que teria induzido o Conselho de Administração da Petrobras a aprovar o negócio, em 2006.

Segundo a Folha apurou com deputados, Cerveró sinalizou a interlocutores que está disposto a falar. Ele estava em férias na Europa quando foi demitido e deve voltar ao país no dia 5. A estratégia da oposição é apresentar requerimentos convidando o ex-diretor a depor nas comissões de Minas e Energia, Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação e Relações Exteriores.

Paralelamente à ação da oposição, o governo deflagrou operação para barrar a tentativa de criação de uma CPI para investigar o caso. O Planalto teme que dissidências em sua base aliada reforcem a ação da oposição, hoje sem número suficiente para aprovar uma CPI.

Desde a quinta, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) tem telefonado para os líderes das bancadas e para os presidentes de partidos governistas para evitar as chamadas “traições”. Após reunião na noite de ontem com Ideli, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), disse que o governo orientará ministros a dar esclarecimentos no Congresso. O objetivo é tentar esvaziar os argumentos pró-CPI. “Queremos que os ministros possam vir ao Congresso Nacional explicar, que a presidente da Petrobras [Graça Foster] possa também estar, essa transparência todos nós queremos e o governo vai dar”, disse.

Liderada pelo pré-candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB-MG), a oposição se reúne hoje para discutir a instalação da CPI. O pré-candidato do PSB, Eduardo Campos, defendeu a abertura da comissão caso o governo não preste os esclarecimentos devidos. São necessárias assinaturas de 171 deputados e 27 senadores para criar a CPI.


2 comentários

  1. terça-feira, 25 de março de 2014 – 17:08 hs

    mas se está tudo certo não há o que temer, né???

  2. JÁ ERA...
    quarta-feira, 26 de março de 2014 – 6:16 hs

    Independente do rumo que tomar este assunto a respeito da com-
    pra da refinaria de Pasadena o prejuízo está consumado e a certeza
    absoluta é que este governo simplesmente jogou para baixo do tapete
    toda a sujeira que não podia aparecer. Estilo Lula de sempre.
    Afinal a Dilma assinou como Ministra das Minas e Energia da época
    e assim não adianta nada querer empurrar seus conselheiros e dire-
    tores da época para o inferno porque ela própria é a farinha do mes-
    mo saco…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*