Em um ano, Estados criam 10 mil cargos sem concurso público | Fábio Campana

Em um ano, Estados criam 10 mil cargos sem concurso público

O Paraná tem uma das menores proporções de comissionados do País, com apenas 1,06%, contra 17,8% de Roraima, por exemplo.

De Luciana Nunes Leal, Estadão:

Rio – Na contramão da tendência de diminuição do número de servidores estaduais, os cargos comissionados, que dispensam concurso público e são uma eficaz moeda de troca nas alianças partidárias, cresceram entre 2012 e 2013, mostram os números da Pesquisa de Informações Básicas Estaduais divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira, 13. Em apenas um ano, entre 2012 e 2013, 28 novos cargos em comissão estaduais foram criados por dia, somando 10.386 novos servidores empregados sem concurso.

O número de servidores estaduais em cargos comissionados no País aumentou de 105,2 mil em 2012 para 115,6 mil no ano seguinte.

São Paulo foi o responsável pela maior parte dos novos cargos comissionados criados durante o período avaliado. Foram quase 7 mil vagas, um crescimento de 90% em relação a 2012. Já o Amapá registrou o maior aumento de servidores comissionados: passou de 1.752 para 5.254, três vezes mais.

O número total de funcionários públicos empregados nos Estados teve um ligeiro recuo, de 0,3%, enquanto os funcionários comissionados aumentaram 9,9%. Na administração direta (secretarias), em que o total de servidores cresceu 4,3%, o número de comissionados subiu 12,3%.

Também houve aumento, de 13,6%, no número de funcionários sem vínculo permanente, aqueles que têm contratos temporários, mas não são terceirizados. Muitos deles fazem concursos para trabalhos específicos, como pesquisas do IBGE ou grandes campanhas na área de saúde.

Na administração indireta (fundações, autarquias e empresas públicas), em que a tendência é de enxugamento, o número de funcionários teve redução de 23,7%, mas os comissionados cresceram 3,9%. Os números referem-se a empregados dos Executivos estaduais, não incluem Judiciário e Legislativo.

Do total de servidores estaduais da administração direta, 3% são comissionados. Em Roraima, chegam a 17,8% e no Amapá, 15,2%. As menores proporções estão em Minas Gerais (1,05%) e no Paraná (1,06%).

A pesquisa mostra que onze Estados reduziram o número de cargos comissionados em um ano. A maior redução aconteceu em Pernambuco, com 42,5% de servidores empregados sem concurso a menos. Havia 3.390 cargos comissionados em 2012 e no ano seguinte o número caiu para 1.948.

Os dados não levam em conta o Estado de Alagoas, que não prestou as informações completas ao IBGE.


4 comentários

  1. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 13 de março de 2014 – 12:32 hs

    -São as famosas tetas do governo sendo ocupadas por parentes, amigos e aliados políticos que na maioria das vezes, estão lá, apenas para ganhar o salário, não acrescentando em nada para a gestão pública, apenas onerando os cofres públicos!

  2. Parreiras Rodrigues
    quinta-feira, 13 de março de 2014 – 12:59 hs

    A pesquisa não diz nada sobre as contratações do governo federal no mesmo período?

  3. Estatística
    quinta-feira, 13 de março de 2014 – 14:23 hs

    E qual percentual em dinheiro representa esses comissionados no total da folha de pagamentos?

    Podem ter certeza que é MUITO maior.

  4. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 13 de março de 2014 – 14:55 hs

    E a relação dos Estados com as respectivas contratações?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*