Em Curitiba, ato para lamentar golpe de 1964 | Fábio Campana

Em Curitiba, ato para lamentar golpe de 1964

Os 50 anos do Gole Militar de 1964 deverão contar com uma “descomemoração” em Curitiba. Com organização do Fórum Paranaense pela Verdade e Justiça, e participação de diversas entidades, uma extensa programação com mostras de cinema, exposição de artes e debates em diversos pontos da capital paranaense deve lembrar este período obscuro na história do país.

A supressão das liberdades individuais e coletivas, o fechamento do Congresso Nacional, o Ato Institucional n° 5, o controle e a censura da imprensa e de todas as formas de manifestação humana através das artes, a repressão e a violência do Estado sobre os sindicatos e movimentos estudantis eram apenas algumas das facetas mais visíveis do Regime de Exceção que se instalara à força no país.

Vieram os órgãos de informação e repressão do Regime Militar como os DOPS, DOI-CODI e SNI, os grupos de caça e extermínio aos que ofereciam resistência ao Golpe de Estado. Vieram as prisões arbitrárias, o uso da força militar sobre a população civil e indígenas, o uso generalizado das práticas de tortura para obtenção de informações e confissões, o desaparecimento forçado de pessoas e as execuções sumárias, estas aos milhares.

A nação brasileira estava dividida entre aqueles que nada enxergavam e nada sabiam e aqueles que o estado brasileiro perseguia, prendia, torturava e executava. A resistência ao Regime rapidamente se mostrou insuficiente e frágil diante da força bruta do Estado. O maniqueísmo das campanhas do tipo “ame ou deixe” e a instauração dos “grupo de caça aos comunistas” buscavam instigar a população ao ódio generalizado a todos que ousassem pensar diferente e criticar o Regime. A prisão sem provas, o julgamento sem direito à defesa e ao contraditório e a pena de morte se tornaram uma prática no Brasil.

O pais mergulhava numa profunda crise que lentamente atingia indistintamente a todos: a fome, a miséria, a falta de oportunidades e de esperança no futuro, a ausência do Estado como provedor e articulador no atendimento ás necessidades básicas da população evidenciavam a incapacidade do Regime de governar o país.

Ao poucos os familiares de mortos e desaparecidos, a campanha pela anistia, a adesão de setores progressistas da igreja e a pressão internacional foram criando as condições para o processo de reabertura democrática.

Veio a anistia, imposta pelo regime, sem de fato justiça de transição. A restauração da democracia brasileira se mostrou imperfeita e inconclusa. A herança de impunidade, corrupção, subdesenvolvimento e atraso tecnólogo deixadas pelo Regime condenaria a maioria absoluta dos brasileiros, nas décadas seguintes, à miséria absoluta e a uma crise econômica sem precedentes.

Hoje, passados 50 anos do Golpe de 1964, muito ainda há por fazer. Os milhares de mortos e desaparecidos precisam ser encontrados e sepultados. A nação brasileira precisa conhecer seu passado para se entender com o seu presente e construir um possível futuro de paz, liberto julgo das correntes que o aprisionam. É preciso aperfeiçoar e aprofundar a democracia brasileira sob a égide da verdade, da memória e da justiça, para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça.


23 comentários

  1. Palpiteiro
    sábado, 29 de março de 2014 – 12:18 hs

    Milhares de mortos e desaparecidos? Estão falando do Chile, da Argentina ou de Cuba? Aritmética nunca será o forte da esquerda.

  2. Gardel
    sábado, 29 de março de 2014 – 13:26 hs

    Se não fosse os militares, o pessoal da Dilma já teria implantado o comunismo a muito tempo. Zé Dirceu estaria no comando. Graças a eles que hoje não vivemos no Brasil uma ditadura comunista. Fora ptralhas.

  3. sergio silvestre
    sábado, 29 de março de 2014 – 13:49 hs

    Era recruta do BGP em Brasilia,na época do presidente Médici,e eu notava com a simplicidade com que vivia o presidente e sua familia.
    As vezes na granja do torto era sempre cumprimentado pelas suas filhas e da própria esposa que tratava com muito carinho seus seguranças.
    Nunca mais ouvi falar da família médici,como estão vivendo hoje e qual é o grau de riqueza que eles possuem,o que posso antever,não são milionários e não vivem nababescamente.
    Mesmo depois que voltei para Londrina,via nos presidentes que o seguiram,a mesma humildade e patriotismo e poderia se notar nos seus pronunciamentos um grande respeito pelo mandatário.
    Era um tempo em que eramos felizes e nós não se demos conta,a saúde para época era boa,o trabalhador era respeitado,os impostos era a metade de hoje e o dinheiro não saia de caminhões pelo ralo da corrupção.
    Ai veio a nova republica,novos tempos,novos mandatários,e vorazes esfomeados que no exílio estavam com um elan para recuperar o tempo perdido.
    E veio aos montes,mais os que aqui ficaram na moita,mais aqueles que fingiam contribuir para com os militares.
    O Pais cresceu como deveria ter crescido,até por causa das suas riquezas,mas o produtivo,aquele que faz a riqueza caiu no golpe dos novos politico ,os salvadores da Pátria,que na verdade só salvam o deles.
    Gosto de politica ,gosto de liberdade,mas se for pesar nossa dita branda com isso que está ai,prefiro os velhos tempos ,onde eu era dono deste Pais,tinha orgulho de ser um brasileiro patriota,e não era roubado pelos políticos que voltaram ao poder.

  4. renato gloter
    sábado, 29 de março de 2014 – 14:22 hs

    Palpiteiro furadissimo, se fosse apenas uma pessoa torturada já seria errado.

  5. Sociedade Responde
    sábado, 29 de março de 2014 – 14:47 hs

    “É preciso aperfeiçoar e aprofundar a democracia brasileira”, sem dúvida, sempre, afinal a democracia é o oxigênio do povo. E democracia se faz com respeito às leis, ao cidadão, a ética e a moralidade pública. ** Que, aliás, anda em falta no Brasil presente. ** Continua o texto: “sob a égide da verdade e da justiça”. Verdade é outra palavra fora de moda nos dias que correm. ** Tornou-se artigo de luxo existente ainda e apenas, entre aqueles tem como norte o respeito ao cidadão e à Constituição da República. ** Lamentavelmente, pelo número de processos nos tribunais, os representantes públicos há muito que não falam a verdade e menos ainda praticam a justiça. ** Mais triste ainda é ver um Congresso Nacional no cabresto, com a chamada ‘base aliada’, que muitos afirmam ser “base alugada”, portanto, a maioria cuidando de interesses próprios e de grupos e grupelhos e não dando, como eleitos que foram à recíproca do voto na urna. ** Basta ver o descalabro dos serviços públicos e o abuso financeiro pelas vias da corrupção em todos os escalões do governo para sentir com que presteza, realmente, o povo brasileiro é tratado e respeitado pelos tais democratas de plantão, cujas cores que tremulam em seus corações, por certo e pelo visto, não são às cores verde-amarelo. ** Às Forças Armadas está a serviço do país e sob o comando da Presidência da República, independente de quem esteja no Poder. ** Portanto, que assim seja e continue. Pois, as Três Armas são responsáveis pela Segurança Nacional nas fronteiras, ou mesmo nas favelas dominadas pelo tráfico de drogas, quando convocada pela Presidência da República. ** A importância do Conselho Militar em qualquer época é de extrema importância para o país e seu povo.

  6. Sergio R.
    sábado, 29 de março de 2014 – 16:42 hs

    “execuções sumárias, estas aos milhares”? Acho que devem estar “descomemorando” no país errado. “Os milhares de mortos e desaparecidos precisam ser encontrados e sepultados.”? Vai que encontram um desaparecido vivo e tentam sepultar. “Descomemorar” pode. Mentir é que não pode.

  7. Ademir
    sábado, 29 de março de 2014 – 16:46 hs

    Quanta besteira, ficam transformando os bandidos de antigamente em heróis, não passavam de bandidos. Os militares já se foram, acabou, fazem 29 anos, e ainda o país continua patinando, não saimos do zero com isso que ta ai, morrem mais em um ano de crimes, torturas e outras coisas mais do que todo o tempo do governo que era militar.

  8. PARANÁ
    sábado, 29 de março de 2014 – 16:56 hs

    E A DITADURA QUE ESTÁ SENDO IMPOSTA PELO PT, PODE?

  9. Do Interior....
    sábado, 29 de março de 2014 – 18:59 hs

    Deixa eu ver se entendi: quando o texto acima diz….”“grupo de caça aos comunistas” buscavam instigar a população ao ódio generalizado a todos que ousassem pensar diferente e criticar o Regime”….., isso não nos remete ao que o PT está fazendo hoje?

  10. sábado, 29 de março de 2014 – 21:09 hs

    NÃO SEI COMO PROCEDIA O CONGRESSO NA ÉPOCA … MAS SE OS PROCEDIMENTOS FOSSEM AO MENOS 1/3 DO PROCEDIMENTO ATUAL… ERA PRA FECHAR MESMO!!!!!!!!!

  11. jobalo
    sábado, 29 de março de 2014 – 22:21 hs

    Não foi golpe… e sim a restauração da ordem, não permitindo a entrada nefasta e criminosa dos comunista e socialistas travestidos… manda hoje os cmunistas do Brasil… morar em Cuba… Coréia do Norte… … querem ser aqui que tem moleza… carros bons salárrios e outras beneces…… foram os melhores anos de minha vida…. e de minha familia…. não eramos baderneiros.. e sim agricultores e comerciantes… nunca fomos incomodados… estudei o primário… ginásio… colegial e faculdade federal… que saudades … que bom se voltasse.

  12. FUI !!!
    domingo, 30 de março de 2014 – 6:37 hs

    Claro que qualquer idiota entende o retrocesso que é uma ditadura
    militar para uma nação, porem ninguem mais suporta esta falsa de-
    mocracia. A imposição e roubalheira que o PT impõe “goela abaixo”
    tambem não deixa de ser uma ditadura camuflada.

  13. joão paniagua
    domingo, 30 de março de 2014 – 9:17 hs

    VÃO MOSTRAR MENTIRAS…OS VAGABUNDOS DE ONTEM SÃO OS POLÍTICOS QUE ESTÃO NO PODER HOJE…OLAVO DE CARVALHO NELES!

  14. Professor
    domingo, 30 de março de 2014 – 10:37 hs

    Pode não ser milhares, mas se fosse um só e fosse da sua família você se importaria, não é PALPITEIRO FURADO…

  15. jaferrer
    domingo, 30 de março de 2014 – 12:49 hs

    Ditadura não tem ideologia.Quando as liberdades são suspensas tudo é possível. Ditadura é ditadura, seja de esquerda ou de direita. Toda repressão deve ser repudiada.

  16. Brasileiro
    domingo, 30 de março de 2014 – 13:28 hs

    Profunda crise que lentamente atinge indistintamente a todos? Falta de oportunidades e de esperança no futuro? Impunidade, corrupção, subdesenvolvimento e atraso tecnólogo? Se estiver falando do governo atual concordo plenamente com você.

  17. luiz antonio
    domingo, 30 de março de 2014 – 14:18 hs

    A tomada do poder a força, por militares ou não, constitui um golpe contra a democracia. Tortura então, apesar de muitos a justificarem como prática de guerra é algo imperdoável e inaceitável. Realmente, não há o que comemorar. Como de fato, não se pode julgar que estamos vivendo numa democracia plena onde o ódio pelos diferentes não está sendo instigado, haja visto que discursos do governo são pautados por expressões “as elites”, “nós e eles” dentre outros, onde uma tal Comissão da Verdade apenas considera um lado do processo (deveria começar ouvindo a própria mandatária do país, alguns ministros e ex-ministros, dentre outros) para que o povo soubesse os motivos pelos quais foram presos e torturados ao invés de exilados…

  18. Anônimo
    domingo, 30 de março de 2014 – 15:06 hs

    O forte da esquerda ê a corrupçao

  19. Marcao
    domingo, 30 de março de 2014 – 16:45 hs

    Salve 31 de Março…

  20. VERDADE
    domingo, 30 de março de 2014 – 19:17 hs

    Quanta ignorância dita!

  21. Alessandro
    segunda-feira, 31 de março de 2014 – 10:46 hs

    Os comentários me surpreendem, pela lucidez.
    A grande maioria não cai mais na balela da esquerdopatia, de que foram “heróis” e que “milhares morreram”. Tudo besteira.
    A “democracia” de hoje elege congressistas sem votos, com aproveitamento dos companheiros de partido.
    “Democracia” da urna eletrônica, que é frequentemente questionada, seja por evidências de fraude, seja por comprovada possibilidade de ser fraudada (em evento promovido pelo próprio TSE, no final de 2012).

  22. da silva
    segunda-feira, 31 de março de 2014 – 10:52 hs

    Só um imbecil pode advogar a causa dos comunas. Todos os torturados e presos, só o foram porque deram causa. Não perceberam que a maioria não queria regime comunista. E continuam insitindo até hoje. Não vejo a hora de iniciar o revide.
    Não sei quando…., mas alguma merda vai acontecer com este país, o caminho que estamos trilhando…. só vai dar em merda.

  23. Olho Vivo
    segunda-feira, 31 de março de 2014 – 11:08 hs

    Quem tentou dar golpe foram os comunistas e que graças a Deus e aos militares da época, isso não aconteceu, ou seríamos mais uma Cuba da vida.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*