Atlético não usou dinheiro da CAP S/A na compra de jogador | Fábio Campana

Atlético não usou dinheiro da CAP S/A na compra de jogador

Nota oficial publicada no site do Clube Atlético Paranaense

Divulgou-se hoje que o Atlético teria utilizado dinheiro da CAP S/A na aquisição de um jogador de futebol (lateral direito Léo, hoje no Flamengo). Fosse verdadeira, a notícia seria grave, sem dúvida. A CAP S/A é uma sociedade com o propósito exclusivo de executar as obras do Estádio. Recebeu financiamentos de Bancos Públicos. Estes recursos não poderiam ser utilizados para comprar jogadores, é claro. A verdade é que não houve isso. A notícia é falsa.

Como é de conhecimento público (por razões estranhas à questão noticiada) houve sistemáticos atrasos nos repasses dos valores dos financiamentos à CAP S/A. Para que a obra não sofresse ainda mais com a ausência de recursos, o Clube Atlético Paranaense fez uma série de empréstimos à CAP S/A, em contratos de mútuos que estão contabilizados. Tais movimentações estão devidamente auditadas pela Pricewaterhouse. No momento do indicado pagamento pelo jogador Léo ao Esporte Clube Vitória, a CAP S/A devia ao Clube Atlético Paranaense 28 milhões de reais. Mútuos contabilizados e auditados que ajudaram a salvar a obra em um momento de atraso no repasse dos financiamentos.
Assim que entrou o valor de uma parcela do financiamento, no final do ano passado, a CAP S/A pagou ao Clube Atlético Paranaense parcialmente os mútuos com transferência para a conta do Clube e, no caso do jogador Léo, fez pagamento direto para a conta de um credor. A operação é juridicamente irretocável (pagamento de dívida por terceiro, com posterior reembolso com a quitação parcial de mútuo – art. 305 do Código Civil) e está, para insistir, contabilizada e auditada.
A notícia originalmente veiculada, enfim, é falsa. Houve muito dinheiro do Clube Atlético na CAP S/A. Nenhum dinheiro da CAP S/A no Clube Atlético. É o que diz o balanço auditado. A propósito, recentemente o Clube Atlético Paranaense voltou a ser credor da CAP S/A, em novos contratos de mútuo para dar conta de atraso no repasse da última parcela do financiamento.


8 comentários

  1. ernesto
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 13:02 hs

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk … defendendo o indefensável

  2. Irineu
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 13:03 hs

    Isso vai ser só o inicio de mais alguns escândalos, dinheiro farto e fácil é tentador.

  3. SOMBRA
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 13:48 hs

    ??????????????????????

  4. Verdadeiro
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 14:23 hs

    “O Clube Atlético Paranaense fez uma série de empréstimos à CAP S/A, em contratos de mútuos que estão contabilizados” ha ha ha ha só faltava essa, quem será que eles querem enganar?!

  5. João
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 14:58 hs

    E o depósito que comprova o pagamento da CAP para o clube do Nordeste pro acaso é falso?

  6. hwp
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 14:59 hs

    O filosofo Dionga tem razão. Puxa Saco e formigo é o que mais tem.

  7. Saul de Lima Brenzink
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 16:15 hs

    Falem bem, falem, mal, falem do grandioso Clube Atlético Paranaense. Os invejosos estão se mordendo de raiva pela bela estrutura que será a Baixada e pelo que virá adiante em termos de clube de futebol. Os atleticanos estão tendo uma paciência de Jó, pois sabem que o futuro, breve, estará entre os cinco maiores clubes do país. E mandem um recado para os coxas. O dono do posto onde a torcida coxa se serviu em uma loja de conveniência está aguardando o acerto. Todos sabem que a situação não está fácil para ninguém, agora, roubar alimentos, digo roubar por se tratar de um assalto o que fizeram. Não foi na surdina, foi na cara limpa, na cara dura. E para piorar, ventilou-se em Londrina que o chefe da organizada está vindo pagar. A imprensa local havia avisado ao dono do posto para prestar queixa a polícia, pois não acreditavam na quitação da mão grande. E não é que eles estavam certo. O repórter da TV Tarobá, Fernando, afirmou categoricamente isso. E estava certo. Os membros da torcida, ao verem o montante surrupiado, caíram fora. Ora, coxarada, não façam isso. Da um pulinho ali na baixada, fala com o pessoal da CAP para conseguir algum para despesa. Paguem as contas. Antigamente pagavam juízes, compravam adversários, tocavam horrores para conquistar títulos. O que está havendo agora? Paguem o comerciante. A gente sabe o quanto está difícil tocar um comércio. E aí vem uma quadrilha e limpa a loja do homem. Paguem a conta.

  8. jose carlos andrade
    quarta-feira, 12 de março de 2014 – 17:29 hs

    Não existe essa história ai… agora querem dizer que uma banana é uma maça, apesar de cheirar como banana, ter casca de banana, gosto de banana.

    Se a CAP S/A tem propósito exclusivo para gerir a obra o dinheiro só sai de lá para pagar a obra e não para pagar contratação de jogador. No máximo a CAP S/A deveria devolver o dinheiro para o Atlético e o Atlético pagava o Vitória. Por isso são pessoas jurídicas distintas, com propósitos distintos.

    O contrato com a fomento tem uma cláusula que prevê o step in right pelo desvio de finalidade nas despesas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*