Doação a condenados "sabota cumprimento da pena", diz Gilmar Mendes | Fábio Campana

Doação a condenados “sabota cumprimento da pena”, diz Gilmar Mendes

Ministro do Supremo ironiza e sugere que Delúbio Soares, que arrecadou mais de R$ 600 mil em um dia, use a mesma expertise para recuperar parte dos 100 milhões desviados no esquema do mensalão

De Iuri Dantas, Estadão:

Brasília – (atualizado às 23h02) O Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, afirmou nesta sexta-feira, 14, em carta enviada ao senador Eduardo Suplicy (PT-SP), que a arrecadação de doações para ajudar condenados no mensalão a pagar multas fixadas pela Corte “sabota” e “ridiculariza” o cumprimento das penas. Mendes também sugeriu que os petistas façam uma “vaquinha” para devolver “pelo menos parte dos R$ 100 milhões subtraídos dos cofres públicos” pelo esquema do mensalão.
“A falta de transparência na arrecadação desses valores torna ainda mais questionável procedimento que, mediando o pagamento de multa punitiva fixada em sentença de processo criminal, em última análise sabota e ridiculariza o cumprimento da pena – que a Constituição estabelece como individual e intransferível – pelo próprio apenado, fazendo aumentar a sensação de impunidade que tanto prejudica a paz social no País”, disse o ministro na carta.

Num ofício anterior, Suplicy havia cobrado explicações do ministro sobre declarações que levantaram dúvidas sobre o processo de arrecadação de doações. “E se for um fenômeno de lavagem?”, havia perguntado Mendes dias antes. Na quinta-feira, o presidente do PT, Rui Falcão, interpelou judicialmente o ministro para que ele explique as declarações.

“Não sou contrário à solidariedade a apenados. Ao contrário, tenho certeza de que Vossa Excelência liderará o ressarcimento ao erário público das vultosas cifras desviadas – esse, sim, deveria ser imediatamente providenciado”, afirmou Gilmar Mendes, em tom irônico, na carta.

“Quem sabe o ex-tesoureiro Delúbio Soares, com a competência arrecadatória que demonstrou – R$ 600.000,00 em um único dia, verdadeiro e inédito prodígio! –, possa emprestar tal expertise à recuperação de pelo menos parte dos R$ 100 milhões subtraídos dos cofres públicos”, acrescentou o ministro do Supremo, referindo-se ao desempenho da vaquinha do ex-tesoureiro do PT condenado.

Mendes ainda ressaltou o fato de que sites para arrecadação de doações para os condenados foram hospedados no exterior. “Sem subterfúgio que dificultem a fiscalização, como esse de usar sites hospedados no exterior para angariar doações moralmente espúrias, porque destinadas a contornar efeitos de decisão judicial”, afirmou.

Resultados. No processo de arrecadação de doações, Delúbio Soares conseguiu mais de R$ 1 milhão. O ex-deputado José Genoino recebeu mais de R$ 700 mil. Nesta semana foi lançada uma campanha para arrecadar dinheiro para ajudar o ex-ministro José Dirceu a pagar a multa de quase R$ 1 milhão.

Na carta, Gilmar Mendes fez referência a um artigo da Constituição segundo o qual “nenhuma pena passará da pessoa do condenado”. “A pena de multa é intransferível e restrita aos condenados”, disse o ministro. Ainda segundo o magistrado, a falta de transparência na arrecadação torna ainda mais questionável o procedimento.
Mendes disse que é urgente que se tornem públicos todos os dados relativos às doações que favoreceram os condenados pelo STF para que sejam submetidos a análises pela Receita Federal e pelo Ministério Público. Integrantes do Ministério Público, inclusive o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ainda analisam pedidos para que as doações aos condenados sejam investigadas.
Mendes, indicado para o cargo pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de quem foi advogado-geral da União, foi alvo de críticas indiretas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana passada.
Nesta sexta, os petistas reproduziram frases semelhantes às ditas por Lula há uma semana. “Os prazos de desincompatibilização e filiação de magistrados para as eleições de outubro estão previstos em lei. Se o ministro quer fazer disputa política ainda dá tempo de se filiar e concorrer. O que não podemos aceitar é que ele continue usando a tribuna do STF para fazer política”, disse o coordenador jurídico do PT, Marco Aurélio Carvalho, que organiza as vaquinhas para os petistas condenados.


11 comentários

  1. sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 13:23 hs

    A pena imposta aos mensaleiros devia ter como contrapartida o pagamento do valor do dinheiro desviado, isto é, se não o fizerem permaneceriam presos até o pagamento final dessa importância desviada. Tem que haver uma modalidade do governo ser ressarcido, e nada mais justo do que vincular a pena com o pagamento daquilo que foi surrupiado.Se assim fosse temos certeza de que os mensaleiros, que devem ter dinheiro enrustido ou guardado em contas em determinados paraísos fiscais. A lei nção só precisa como deve ser modificada nesse sentido.

  2. OTIMISTA
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 15:53 hs

    A afirmação do Ministro Gilmar Mendes está mais do que corretí-
    ssima. Estas doações nebulosas são tambem fruto de lavagem de
    dinheiro ou de quem não tem cérebro !!!

  3. antonio carlos
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 17:37 hs

    Que coisa mais ridícula, a culpa cabe ao próprio STF, em vez de multar os ladrões lhes ordenassem o que receberam. Digo isto porque o ladrão fujão doou 50.000 euros do dinheiro que ele roubou. Assim não vale. Mas do ladrão fujão há uma explicação, o cara sofre de Síndrome de Robin Hood, ele rouba dos ricos e divide um pouco com os amigos necessitados.

  4. Sociedade Responde
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 17:46 hs

    Gilmar Mendes está correto. Já com relação aos apenados trabalharem fora, sou a favor apenas do TRABALHO COMUNITÁRIO. Nada mais do que isso. Aliás, essa gente fora do presídio vai continuar fazendo política e politicagem. Ainda mais em tempo de eleição.

  5. Luiz
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 17:57 hs

    Só falta os petistas fazer uma escala e cumprir a pena no lugar dos mensaleiros. Uma semana para cada um na cadeia.

  6. Vigilante do Portão
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 18:39 hs

    E o Suplicy, num arroubo, diz que “Mendes não julga com a Razão”

    KKKKK.

    Logo o Suplicy?

    Razão, como sabemos, não é o forte do Senador.

  7. sergio silvestre
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 18:44 hs

    Dizem que tem doações do FHC,JOBIN,DANTAS e muitos tucanos emplumados que estão morrendo de medo tambem do seu mensalão,aquele que não foi da empresa visa net,foi dinheiro publico mesmo.

  8. Helena
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 20:58 hs

    É preciso comprovar as origens dessas doações, quem sabe não estão vindas da conta de algum defunto???

  9. BAIANO ARRETADO
    sábado, 15 de fevereiro de 2014 – 21:51 hs

    Pois bem Gilmar Dantas, então explique como você arrumou 8 milhões para calar a boca de seu ex-sócio.

  10. OCIMAR
    domingo, 16 de fevereiro de 2014 – 11:46 hs

    METE NA CADEIA,QUE COLABORA COM VAGABUNDO,VAGABUNDO É.

  11. Anônimo
    domingo, 16 de fevereiro de 2014 – 14:46 hs

    Que moral tem este cidadão p/falar qualquer coisa, foi o engavetador de todos os processos na época do FHC…….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*