APP Sindicato explica recepção de petistas | Fábio Campana

APP Sindicato explica recepção de petistas

A APP Sindicato enviou carta a este blog demandando seu direito de resposta à matéria Em Curitiba, PT faz festa para mensaleiro. É o que segue:

“APP – SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DO PARANÁ, entidade sindical de primeiro grau, inscrita no CGC sob nº 76.693.224/0001-32, com sede na Avenida Iguaçu, 880, Rebouças, CEP-80230-020, Curitiba-Paraná, neste ato representado pela sua diretora presidente Prof. Marlei Fernandes de Carvalho, vem requerer:

DIREITO DE RESPOSTA.

Com base no artigo 5º inciso V, da Constituição Federal:
Art. 5º (…)

V – é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;

Considerações:

Na data de 27 de janeiro de 2014, foi publicado post em seu blog, cujo conteúdo esta reproduzido abaixo:
Em Curitiba, PT faz festa para mensaleiro

Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2014 – 17:00 hs

A APP-Sindicato, o braço sindical do PT do Paraná, organiza na próxima quinta-feira, 30, a recepção do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), mensaleiro condenado pelo STF e que aguarda mandado de prisão. Cunha vem a Curitiba para lançar a revista “A verdade, nada mais que a verdade, sobre a AP-470″. O lançamento está sendo convocada por rede de petistas na internet. “A publicação expõe todas as inconsistências desse julgamento e a arbitrariedade das prisões. O próprio João Paulo deve ser preso a qualquer momento, a partir da próxima semana”. Ás 19h na sede da APP-Sindicato (Avenida Iguaçu, 880).

Diante das inverdades constantes do texto, solicito o recebimento dos presentes esclarecimentos, para que sejam publicados em seu blog, como matéria original e não como comentário.

Esclarecimentos:

Diante das informações veiculadas na data de 27/01/2014, no blog do jornalista Fábio Campana, consideradas ofensivas ao sindicato, a APP esclarece que:

Simplesmente cedeu um de seus auditórios para a realização de uma atividade de lançamento de uma revista. Procedimento este adotado pela entidade em outras solicitações de espaço para a realização de reuniões e lançamentos efetuados por entidades ou grupos ligados aos movimentos sociais. A utilização dos auditórios da APP sempre tem ocorrido com critérios muito democráticos.

A direção da APP também repudia a afirmação do referido jornalista de que o sindicato é um “braço sindical do PT”. Esta é outra informação oriunda do desconhecimento. Nas direções estadual e regionais da APP-Sindicato há professores(as) e funcionários(as) filiados(as) e não filiado(as) a partidos. Há filiados, sim, ao PT, como nos demais partidos.

Sem mais para o momento, despeço-me com cordiais saudações, contando com o atendimento do pleito.
Atenciosamente,

MARLEI FERNANDES DE CARVALHO
Presidenta”


19 comentários

  1. quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014 – 22:23 hs

    Oi.

    Eu sou professora aposentada, sou filiada a APP mas confesso que “morro de vergonha” de TER que fazer parte de um sindicato ligado ao PT.Também confesso que já fui fã do Lula porque como Milor Fernandes: “Eu pensei que era ideologia mas era investimento”. Achava que o Lula faria muito pelo povo. Estava enganada. Ele e ” a cumpanherada” toda estavam apenas querendo se tornar “azelites” de hoje; queriam o poder perpétuo, fazer da América latina uma República socialista aos moldes de Cuba, etc..etc…

    Continuo filiada porque é o temos para o momento. Espero que isso mude e a APP deixe de ser “sindicato pelego”.

  2. Paulo
    quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014 – 23:18 hs

    É, presidenta?! Se o Ronaldo Caiado, por exemplo, pedir que a APP ceda o auditório para o lançamento de um livro, a senhora vai atender o pedido do referido Deputado Federal? Conta outra!!

  3. Coelho Ricochete
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 0:30 hs

    Essa bocoió selou sua petralhice e a de seu sindicato quando assinou “PRESIDENTA”. E é professora? Quanta burrice, meu! kkkk

  4. Moisés Fróes
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 0:45 hs

    Fico com o Fábio Campana.

  5. Joana
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 0:57 hs

    Tá bom D. Marlei, nós tb acreditamos em coelhinho da Páscoa.

  6. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 2:02 hs

    Só tem uma explicação:

    A APP SINDICATO APOIA O MENSALÃO.

    Dá guarida para a corrupção.
    É essa entidade que representa os Professores?

    Significa dizer, que os PROFESSORES apioam os MENSALEIROS.

  7. curitibano
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 8:43 hs

    mais uma “Presidenta” de APP – SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DO PARANÁ, pq querem acabar com o Português? desculpe me depois querem reclamar sobre questões salariais se querem seguir um modelo q não serve de modelo para nação, desculpe me mais uma vez mas qualquer partido político quer defender o teu e não pensão no bem estar da nação, cadê a educação do povo para escrever e falar a língua pátria corretamente? cadê a saúde? por isto defendo o voto nulo em outubro

  8. OCIMAR
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 8:49 hs

    “PRESIDENTA”e a mulher é professora ,pobre ensino brasileiro.

  9. Fabiano
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 9:42 hs

    “Simplesmente cedeu um de seus auditórios para a realização de uma atividade de lançamento de uma revista. Procedimento este adotado pela entidade em outras solicitações de espaço para a realização de reuniões e lançamentos efetuados por entidades ou grupos ligados aos movimentos sociais.”
    Cara Profª, com todo respeito, a qual entidade ou grupo ligado a movimento social os MENSALEIROS praticam? Ao grupo social da corrupção e sem ao menos ver essa revista “A verdade, nada mais que a verdade, sobre a AP-470″ o Supremo já mostrou a verdade a população. Acho digno seu direito de resposta mas a Direção da APP no meu ponto de vista ERROU ao ceder a sua sede para disseminação partidária dos MENSALEIROS JULGADOS E CONDENADOS. “Eles” que façam uma “VAQUINHA” e aluguem um auditório particular e não sindical.

  10. Homero Correa
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 9:48 hs

    Acolhem mensaleiros e ainda querem se justificar. Bando de “professores” sem classe. Vão ajudar o Brasil dando bons exemplos as nossas crianças e nossa juventude, já cercada de péssimos exemplos.

  11. Guilherme
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 10:27 hs

    Típico direito de resposta de quem se sente ofendido com verdade. Nada afasta o fato do sindicato ter cedido espaço a um criminosos condenado. Duvido que a APP tivesse a mesma boa vontade caso o meliante não fosse do PT ou de partido amigo. Mas aguardemos a programação dos próximos eventos. Estou ansioso para ver a palestra do Gaiewski…

  12. Sociedade Responde
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 12:16 hs

    Caro jornalista Fábio Campana, direito de resposta é saudável para a democracia e também para a liberdade de expressão. Isso é fato.

    Mas, em muitas oportunidades o direito de resposta vem na contramão da realidade, apenas como forma de pressão, ostentação de poder e disseminação de meias-verdades.

    Em nenhum momento, na qualidade de cidadão e eleitor paranaense, eu interpretei a sua nota sobre a vinda do mensaleiro João Paulo Cunha à Curitiba para lançar uma suposta revista – de edição única – que tem por finalidade denegrir a imagem da mais alta Corte do país, como ofensiva, quer seja ao deputado presidiário, quer seja ao Sindica dos Professores do Paraná.

    Na interpretação da SOCIEDADE DECENTE o fato de uma pessoa condenada pela Suprema Corte como acontece a qualquer cidadão brasileiro, cumpra-se a determinação judicial. Pela lógica constitucional, a partir desse momento, o condenado nada mais tem a dizer – tudo já foi dito nos autos.

    A partir de então somente o advogado do réu é que se pronuncia, quando necessário, em defesa de seu cliente. Imagine, por exemplo, se todos os presos da Papuda, exigirem o mesmo direito ao verbo, como fazem os apenados do Mensalão.

    Lembrando, ilustre jornalista, que os apenados foram julgados por onze ministros do STF, sendo que oito deles são indicações dos governos Lula e Dilma. Por sua vez, João Paulo Cunha foi condenado por unanimidade.

    O fato de a APP locar ou ceder seu espaço para eventos de entidades e grupos de tais movimentos é um direito que lhe cabe, mas, ao mesmo tempo, tem que ter coerência e respeito com a sociedade que há sete anos vem acompanhando o desenrolar do caso Mensalão na mais alta Corte do país.

    Portanto, ceder espaço a um cidadão – independente de quem –condenado pelo STF para denegrir a Corte Suprema é, no mínimo de mau gosto e uma afronta a legalidade constitucional.

    Vale ressaltar que, por óbvio, um grande número de professores filiados àquela entidade não corroboram com a mesma opinião da APP, nesse caso específico.
    Em sendo braço político ou não do PT – isso cabe à sociedade analisar, sempre que necessário –, mas é importante que à classe dos ilustres professores responsáveis pela educação da juventude não pode ficar presa à coloração partidária e conveniências políticas.

    Disse bem, a ilustre professora Marlei Fernandes de Carvalho quando afirma que na APP-Sindicato há professores e funcionários filiados e não filiados a partidos políticos – inclusive do PT e de outros.

    Por esta diversidade de pensamento é que a sociedade paranaense também repudia o ‘endeusamento’ de personalidades políticas que ao invés de contribuir para elevação da moralidade pública, acabam condenadas pela Suprema Corte por abuso de poder, corrupção e desmandos de toda ordem.

    Desculpe-nos, caro jornalista Fábio Campana, mas a Sociedade também quer opinar e o seu blog é um canal importante nessa missão democrática e constitucional de mostrar os dois lados da mesma República.

  13. Patrick
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 13:01 hs

    “Presidenta” ? Precisa dizer algo mais ?

    Digo mais: esse pessoal da APP está há alguns anos lá, não ? Ou a chapa é nova (tem renovação, lá)?

    Ficam as dúvidas.

  14. Churchill
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 15:39 hs

    Podemos ver pela “presidenta” qual partido a doravante é afiliada…

  15. Dieter
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 23:35 hs

    Mais uma presidANTA?

  16. Sandra Negrini
    quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014 – 23:52 hs

    Sinto-me ultrajada com esse sindicato em que sou filiada, Por esse partidarismo nas ações. Vou me desfiliar.

  17. Alvaro
    quarta-feira, 30 de abril de 2014 – 19:33 hs

    O engraçado é que vocês querem atacar a ideologia e acertam em vocês mesmos quando criticam o uso de uma palavra consagrada há muito tempo, muito antes do PT pensar em existir. http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/presidenta-existe-na-lingua-portuguesa-desde-1872/n1597210547562.html

    O que falta neste país são pessoas que busquem ler mais, aprender alguma coisa que esteja além do seus próprios e respectivos narizes.

  18. Lerguino Pinto
    quinta-feira, 23 de outubro de 2014 – 23:40 hs

    A APP DEIXOU DE DEFENDER OS INTERESSES DOS SERVIDORES PARA DEFENDER OS INTERESSES DE UM PARTIDO VOU ME DESFILIAR

  19. Joshua Black Rock
    quinta-feira, 10 de março de 2016 – 22:48 hs

    Enquanto o sindicalismo brasileiro for dependente de verbas públicas não passará de pelego de quem estiver no poder.
    Sindicalismo decente e livre não usa o Estado para arrecadar “contribuições”…
    E enquanto a APP ficar calada diante do crime de lesa pátria que constitui o sistema PSS de contratação de “professores”, não pode ousar criticar ninguém de nada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*