A greve continua | Fábio Campana

A greve continua

Não houve acordo entre patrões e empregados do transporte coletivo de Curitiba na reunião de hoje na Justiça do Trabalho. Também participou representante do prefeito Gustavo Fruet.

A Justiça determinou que 40% da frota funcione nos horários de pico, o que não aconteceu hoje. Essa exigência vale para amanhã, entre 6h e 8h, para não prejudicar os trabalhadores, mas poucos acreditam que será cumprida.


6 comentários

  1. Irineu Hartmann
    quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014 – 22:09 hs

    É evidente que esta greve é forjada pelos empresários e não pela classe menos favorecida que é os cobradores e motoristas, eles estão servindo apenas de bode expiatório, os empresários querem com isso é subir o preço das passagens.

  2. Promessas do Fruet
    quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014 – 22:54 hs

    Olha as promessa do Fruet durante campanha e agora ele só chora e não faz nada. Frangote insperienti.

    http://www.youtube.com/watch?v=41-az_rWIzk

  3. SOMBRA
    quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 – 8:37 hs

    VERGONHAAAAA

  4. Daniel
    quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 – 9:33 hs

    se fosse uma greve séria, não combinada entre patrões e empregados, os empregados deveriam todo ir para as ruas com seus ônibus, com uma simples diferença….deixar as catracas livres… iriamos ver se os patrões não entrariam em um acordo rapidinho… não tendo como punir por falta ao trabalho, mas tendo todos os gastos diários iguais, porém sem a receita!!!! fica a dica para os empregados!

  5. Palpiteiro
    quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 – 9:37 hs

    A JT é bem rigorosa quando se trata de bloquear contas de patrões, mas, quando se trata de fazer empregado cumprir suas ordens, são bem mais lenientes.

  6. sergio silvestre
    quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 – 11:59 hs

    Tai o sangue novo para o Brasil,Aécio,Beto Richa,Sininho etc.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*