Taxistas acusam Urbs de proteger 'rádio táxi' | Fábio Campana

Taxistas acusam Urbs de proteger ‘rádio táxi’

O uso de aplicativos para atender clientes pelos taxistas de Curitiba, que foram notificados recentemente pela prefeitura pelo uso da ferramenta, continua rendendo confusão. Os taxistas reclamam que estão sendo proibidos de utilizarem uma alternativa às empresas de rádio táxi, que chegam a cobrar R$ 1 mil de “rateio” dos motoristas, segundo informações do ParanaOnline.

Os taxistas dizem que “alguma coisa estranha está acontecendo para essas notificações começarem a aparecer pela cidade”. Segundo os motoristas, a Urbs está protegendo as empresas de rádio táxi. “Não tem outra explicação. Os aplicativos ajudam a todos, e o mais beneficiado é passageiro, que terá táxi a disposição muito mais rápido, então por quer motivo tentar impedir o uso de uma ferramenta que deixa o serviço melhor? Essa é a pergunta que fica no ar”, reclama o taxista.

O presidente do SindiTaxi, Abimael Mardegan, os aplicativos são “uma caminho sem volta”. “Hoje um taxista é obrigado a pagar de R$ 700 a R$ 1 mil para uma empresa de rádio táxi. E com os aplicativos todo o processo funciona de graça. Além disso, o serviço fica muito mais rápido e seguro, tanto para os passageiros quanto para os motoristas. Não tem como comparar”.


9 comentários

  1. antonio carlos
    terça-feira, 21 de janeiro de 2014 – 20:02 hs

    O vício do cachimbo fez a Urbs ficar com a boca torta. Depois de tantos anos tendo que lidar sempre com as mesmas famílias, agora com os novos permissionários a estatal não sabe como lidar. Se é para proteger sempre os mesmos porque admitiu novos sócios no clube? Se atualize gente da Urbs, porque os tempos começaram a mudar. Até que enfim.

  2. MENSALEIRO JÚNIOR
    terça-feira, 21 de janeiro de 2014 – 20:33 hs

    ESSA URBS NÃO TEM MAIS JEITO,VOLTA E MEIA SURGE UMA DENUNCIA. E O INTERESSANTE É QUE O GUGA DO PT NUNCA MANDA APURAR NADA. PORQUE SERÁ ?

  3. Reinaldo
    terça-feira, 21 de janeiro de 2014 – 22:56 hs

    Deve ter outros rateios entao…

  4. antonio
    terça-feira, 21 de janeiro de 2014 – 23:33 hs

    Ponderando a noticia podemos concluir por duas situacoes.
    Primeira – o direito dos clientes de chamar o taxi que bem entender quando precisar, bastando utilizar esse novo dispositivo de comunicacao;
    Segunda – quanto a seguranca tenho minhas duvidas. Os servicos de taxi existentes hoje sao muito bons, organizados e confiaveis, podendo levar e buscar nossos filhos, de dia ou a noite. A central sabe quem levou a hora da saida e da chegada.
    Opto, entao, pela seguranca e fico com o servico que me da mais credibilidade.
    Aqueles que quiserem e confiarem nos novos servicos oferecidos tem o direito de fazer isso.

  5. Alemão
    quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 – 0:59 hs

    Estou utilizando desde 16 de dezembro de 2013 o aplicativo 99taxi e taxijá. Até então, era cliente das centrais de rádio taxi.
    Só posso dizer que o serviço é extremamente eficiente.
    Solicito o taxi, visualizo os dados do motorista e sua localização. Acompanho em tempo real a chegada do taxi ao meu endereço.
    Ao final do corrida recebo em meu e-mail o recido contendo os dados dos motorista, do taxi, valor, distância percorrida, local de partida e local da chegada.
    Qual central de rádio taxi tem isso a disposição ?

  6. Dona Alemã
    quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 – 9:25 hs

    Urgente, mais TAXI em Curitiba !!!

  7. Patrick R.
    quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 – 11:28 hs

    Daqui a pouco a URBS vai proibir o uso do mais velho “aplicativo” para chamar táxis: o famoso “dedo de seta”, na rua.

  8. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 – 12:45 hs

    -Mas se o serviços dos aplicativos de celulares forem legalizados, como ficará o lucro das cooperativas???? E sem os lucros, as cooperativas não poderão mais, quem sabe, apoiar políticos em campanhas eleitorais???? Quebra o sistema!?!?!? E quem pagará por isso, como sempre, serão os pacatos, acomodados e mansos cidadãos!!!!

  9. Joao Henriques
    quarta-feira, 22 de janeiro de 2014 – 15:35 hs

    Mas esperar o que? Se com a Urbs a promessa era abrir a Caixa Preta e nada aconteceu, imagine com Cooperativas.
    Vários taxistas tem reclamado da desclassificação na Licitação de novas licenças e v´parios já disseram a mesma coisa, as Cooperativas e seus laranjas levaram todas, edital foi matreiro.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*