Fala de Dilma se assemelha à de FH | Fábio Campana

Fala de Dilma se assemelha à de FH

De Henrique Gomes Batista, O Globo:

O discurso de estreia da presidente Dilma Roussef em Davos se parece muito com o que de Fernando Henrique Cardoso em 1998: a presidente “vendeu” o Brasil, foi pragmática, falou para Wall Street, justo no momento em que os investidores começam a “enjoar” dos emergentes.

Uma estratégia diferente da primeira vez que seu “mentor” esteve no Fórum Econômico Mundial. Luiz Inácio Lula da Silva preferiu, em 2003, debater temas globais e propôs algo mais ousado ao sisudo evento: a criação de um fundo global de combate à pobreza.

Dilma, como FH no fim da década de 1990, discursou em um ano que disputará a reeleição. A presidente tratou dos impactos da crise global de 2008 da mesma forma que o tucano tentou afastar os fantasmas da crise asiática que teimavam em rondar o país.

A análise dos três discursos deixa isso nítido: no de Lula, entre as palavras destacadas, estão “fome” e “esperança”. Nos de Dilma e de FH, aparecem com peso termos como “bilhões”, “investimento” e “dólares”.

Martelando nos números, Dilma disse que o sucesso está associado à parceria com os investidores. Divulgou cifras que indicam que o Brasil está se tornando uma nação de classe média. Gastou um terço do tempo elogiando as concessões públicas — as mesmas que aqui geram polêmica se apresentadas como privatizações.

A presidente tentou afastar impressões negativas, afirmando que o Brasil ainda cresce, controla a inflação e é fiscalmente responsável, apesar de, cada vez mais, brotarem dados contrários.

Leia mais em Fala de Dilma se assemelha à de FH


6 comentários

  1. Do Interior....
    sábado, 25 de janeiro de 2014 – 14:46 hs

    Está aí a prova de que o PT sabe o que é certo. Mas não faz!. E por um simples motivo: perpetuar-se no poder passando a não na cabeça dos mais necessitados à custa de quem produz. Esqueceu-se que o clientelismo e o socialismo leva à falência qualquer sistema capitalista. E, sem este, os programas sociais começam a entrar em colapso por falta de dinheiro, que somente vem de quem produz.
    Temos que encontrar o equilíbrio ideal de tal forma que os benefícios sociais não sacrifiquem nem sufoquem quem produz.
    Contudo, o sistema socialista não é capaz de pensar assim porque acha que os capitalistas são comunistas (não é uma incoerência?).

  2. Dieter
    sábado, 25 de janeiro de 2014 – 18:24 hs

    E a vacANTA continua falando merd@. Será que ela não pode ficar muda?Não tem um cancer de laringe sobrando por aí pra calar essa vagaba?

  3. antonio carlos
    sábado, 25 de janeiro de 2014 – 18:39 hs

    O Brasil está deixando de ser o País da Esperança, para o de país sem esperança.

  4. Parreiras Rodrigues
    sábado, 25 de janeiro de 2014 – 19:25 hs

    Na Oposição, o P erda T otal brandia lanças e tacapes contra o escravagismo do capital estrangeiro, e pintava-o como o monstro sugador do suor dos trabalhadores dos países dominados pelo imperialismo ianque.
    Aqui, no Paraná, rezando na mesma cartilha anti-liberal, anti-globalização, chamava o dito capital de “vadio”
    De repente, não mais que de repente, Vanda Rousseff se desdobra em riba de gráficos mentirosos para bajular possíveis investidores estrangeiros.
    Durma-se com um discurso desse.

  5. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 – 10:48 hs

    O PARREIRAS disse tudo.

    Aliás, recomendo a leitura do Estatuto do PT.

    O Original, não o “fake”, redigido às vésperas de assumirem o governo em 2003.

  6. Dieter
    quarta-feira, 29 de janeiro de 2014 – 22:39 hs

    Parreiras, não se preocupe pois os grandes investidores não vão mandar dinheiro para o Brasil. O méxico será o grande destino pois soube se mostrar mais honesto e honroso nas palavras de seu representante.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*