André Vargas diz que relação com o PMDB é 'muito boa' | Fábio Campana

André Vargas diz que relação com o PMDB é ‘muito boa’

“Nem a troca de ministros e nem mesmo os dilemas estaduais atingem a aliança nacional entre PT e PMDB”, afirma André Vargas, em momento em que a presidente Dilma Rousseff mexe na Esplanada, devido às saídas dos pré-candidatos.

Vargas diz que pequenos atritos sempre houveram em períodos eleitorais. “Têm partidos que gostariam de ser mais bem representados, partidos que gostariam de ser representados mas que não estão, e aquela visão de que o partido do governo tem muito espaço e outros não tem. Isso é uma agenda comum”, disse.

De acordo com petistas, é praticamente certa a manutenção de Michel Temer (PMDB/SP) como vice de Dilma Rousseff. Ou seja, continua a aliança. “A nossa relação com o PMDB é muito boa, a relação nas Casas é muito boa, conflito nos palanques estaduais sempre teve, nas últimas eleições tivemos aliados e teve conflito, [agora] tem menos conflito nos palanques regionais do que tínhamos, e o PMDB tem todas as condições de continuar desempenhado seu papel na Esplanada.”, afirma André Vargas.

Ruídos

O petista ressalta que apesar de os dois partidos serem parceiros, em alguns estados haverá pequenos focos de “tensão”. “Se nós pudéssemos identificar uma tensão entre a relação PT-PMDB é no Rio de Janeiro, a gente considera que realmente está difícil.”.

Palanques no Sul

“Nós (PT) não estaremos aliados no Rio Grande do Sul, mas o PMDB do Estado vai apoiar a presidenta Dilma. Então não tem uma crise. Se existe uma tensão ela é menor do que foi no passado”.

Já em relação ao Paraná a situação é outra, diz Vargas. “Nós não podemos pedir pro Requião (PMDB) não ser candidato e apoiar a Gleisi Hoffmann (PT). É muito difícil. A ministra Gleisi saiu da Casa Civil pra ser candidata, então eu acho que a situação está muito tranquila do ponto de vista do palanque da presidenta”, afirmou o petista.

Assista ao vídeo com a entrevista completa: http://youtu.be/QTdJN7OmW1Q


4 comentários

  1. sexta-feira, 24 de janeiro de 2014 – 19:51 hs

    Todos querendo titar vantagens,PMDB e especialistas,mas
    O PT esta com a caixa cheia de flores para a noiva,mas as consequências destas merdas e o povo desacreditar destes malditos partidos,coisa do capeta

  2. Renato Pereira
    sábado, 25 de janeiro de 2014 – 9:16 hs

    Nenhuma novidade. O PMDB sempre tem um “boa relação” com os detentores do poder. Mas nada que não possa mudar, basta que o “ventos” soprem noutra direção . . .

  3. Parreiras Rodrigues
    sábado, 25 de janeiro de 2014 – 13:54 hs

    Claro que a relação entre PT e PMDB é muito boa. Como a de um gigolô e uma prostituta. Aliás, os dois se merececem. O PT dá cama e mesa para o PMDB e esse lava lençóis e talheres.

  4. Vigilante do Portão
    domingo, 26 de janeiro de 2014 – 8:21 hs

    Trata-se, claro, de uma SINDROME de ESTOCOLMO.

    Para os leigos, é o nome de caso, raro, da sequestrada que se apixona pelo sequestrador.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*