Aécio visita Cascavel em fevereiro | Fábio Campana

Aécio visita Cascavel
em fevereiro

Aécio Neves, presidenciável do PSDB, confirmou que retoma às viagens pelo país em fevereiro e que o primeiro destino será Cascavel, anotou hoje Taiana Bubniak na Gazeta do Povo. A visita ao Paraná será feita ao Show Rural Coopavel. A feira de agronegócio acontece entre os dias 3 e 7 de fevereiro.

“Estamos nesse exato momento mergulhados nas questões dos palanques regionais. (…) Todas as alianças estaduais terão que passar pela aprovação da Executiva Nacional do partido. (…) Depois disso, eu retomo uma agenda intensa de viagens. Começo pelo Paraná, em um grande evento do agronegócio em Cascavel, já logo na primeira semana de fevereiro”, disse Aécio.


2 comentários

  1. antonio carlos
    sábado, 11 de janeiro de 2014 – 20:55 hs

    É uma ameaça aos maringaenses, ou um aviso para já irem reforçando os estoques? Quem conhece os hábitos do playboy já sacou.

  2. silvajr
    sábado, 11 de janeiro de 2014 – 23:14 hs

    Banqueiro enviou série de e-mails com recados e ameaças a assessores do ex-presidente tucano e do então candidato à presidência José Serra, em 2002

    Brasil Econômico

    O banqueiro Daniel Dantas se livrou de investigações e provas sobre a presença de brasileiros no Opportunitty Fund nas Ilhas Cayman após ameaçar integrantes do governo Fernando Henrique (PSDB). Uma série de e-mails com recados e ameaças foram enviados por Dantas e pelo lobista e consultor de empresas Roberto Amaral a assessores de FHC e do então candidato à presidência José Serra, em 2002. Detalhes e documentos inéditos sobre essas ações estão no livro “Operação Banqueiro” (Editora Geração, 464 páginas), do repórter da Folha de S.Paulo Rubens Valente, que chega hoje às livrarias. Entre 2008 e 2012, o jornalista analisou minuciosamente oito mil interceptações telefônicas feitas pela PF, com autorização da Justiça, na Operação Satiagraha.

    O livro também é resultado de investigações feitas pelas operações Banestado e Chacal e pela CPI dos Correios, nas quais Dantas, de um jeito ou de outro, esteve envolvido. Em 2008, o banqueiro foi preso pelo delegado Protógenes Queiroz, por ordem do juiz Fausto De Sanctis, sob suspeita de crimes financeiros e lavagem de dinheiro. Foi conduzido para uma cela comum, mas logo libertado por determinação do então presidente do STF, Gilmar Mendes. Ele concedeu dois habeas corpus em favor de Dantas, em tempo recorde. Em outros e-mails, Dantas e Amaral afirmam que, no final do governo FHC, Mendes teria apoiado teses jurídicas levantadas no Judiciário pelo grupo Opportunity e pela empresa Brasil Telecom. No livro, há relatos de advogados do banco comemorando a estratégia que deu certo no caso dos habeas corpus e detalhando como teses jurídicas deveriam ser aceitas.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*