Siemens fecha as portas em Curitiba | Fábio Campana

Siemens fecha as portas em Curitiba

Péssima notícia. A Siemens se despede de Curitiba. Fecha suas portas na cidade industrial onde se instalou no inicio dos anos 70. São seis mil empregos qualificados a menos.

Por que a Siemens vai embora? Ora, senhores, porque o custo Brasil e as exigências do estado patrimonialista se tornaram insuportáveis. Vai instalar a unidade curitibana na Ucrânia.


25 comentários

  1. joao
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 16:56 hs

    Provavelmente acabou o manáh de incentivos governamentais, isenções de impostos, subsídios etc.. etc…

  2. domingo, 8 de dezembro de 2013 – 17:20 hs

    Parabéns, Nobre Jornalista Fábio Campana. Até quando o ‘país’ (???) suportará?

  3. justino bonifacio martins
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 18:50 hs

    Fabio não o “custo brasil” sim a ganancia dessas empresas multinacionais que se instalaram no Paraná, na´época da ditadura,governo Jaime Lerner,com incentivos fiscais, com benesses do Estado; não pagaram nada, só lucraram e agora
    vão embora.

  4. segio silvestre
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 19:36 hs

    A siemens adora os tucanos
    E gosta do choque de gestão

  5. Eduardo Pereira
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 20:26 hs

    Meu amigo. se foi por isso que está escrito, só posso concluir que o custo “Brasil” a que a empresa se refere é a da grana do suborno pra por na mão da tucanada e parceiros afins. Na Ucrânia , a mão de obra e o suborno devem ser mais vantajosos.
    No mais estão na contra mão de muitas empresas alemães que estão vindo para cá ( BMW e Mercedes por exemplo) .
    Como também não foi informado quais os ramos industriais que estão saindo do PARANÁ fica também a duvida de se o que foi escrito como motivo não é apenas choro e tentativa de desviar o foco neste momento em que há uma grande exposição da empresa.

  6. José Alberto
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 21:32 hs

    Vergonha deste governo, certamente a causa disso.

  7. segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 0:47 hs

    Uma grande perda pois também incentivavam a arte!

  8. juliano cordeiro
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 8:59 hs

    BUROCRACIA, SINDICATOS, NAO TEM SISTEMA TRIBUTARIO DEFINIDO É UMA CONFUSÃO, MPT, MPF, REC.FEDEAL, IAP, IBAMA, ESTADO, PREFEITURA, POLICIA CIVIL, MILITAR,, ……E MAIS, MAIS..

  9. Zezão
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 9:14 hs

    Acho que é a conclusão mais ridícula de todos os tempos, até para o jornalismo baixo que você pratica, Fábio.
    Quando indústria vem para o Paraná, é mérito do teu patrão, Beto Richa (mesmo no caso da Audi, onde ele nem meteu o dedo).
    Quanto vai embora, é “o Brasil que vai mal”. Parabéns, contracheque e 13o do erário estadual garantidos, Fábio!
    Feliz Natal!

  10. Pedreira
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 9:23 hs

    É o socialismo mostrando a que veio!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  11. vera
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 9:29 hs

    Como sempre andamos para trás, rumo ao padrão venezuelano. Mais uma realização do lulopetismo.

  12. segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 10:19 hs

    pagando um imposto insuportável só para sustentar esse bando de vagabundo do governo que gastam dinheiro sem dó .

  13. duds
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 10:21 hs

    Com todo respeito ao vasto conhecimento do escriba deste blog, o desespero da Europa é que está atraindo facilidades para empresas que gostam de explorar mão de obra barata. É fácil fácil instalar uma multinacional em um país com salários baixos.

  14. Parreiras Rodrigues
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 11:22 hs

    O Paraguai tá vendo o seu parque empresarial e comercial crescer a olhos vistos. Dilma lá é cidadã benemérita.

  15. Dona Alemã
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 11:35 hs

    Quantos funcionários demitidos ?

  16. João de Barros
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 13:06 hs

    Deve ir para algum lugar onde há trabalho escravos, porque esse tipo de empresa são sanguessuga…..

  17. edilson hugo ranciaro
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 13:22 hs

    É para o Brasil aprender que ajustes fiscais devem ser imediatos. Para as empresas estrangeiras, não acostumadas a pagar FGTS e multa de 40%, Abono de Férias, e impostos acima de 20% a 40% sob qualquer produção ou venda, este país não irá competir com seus produtos a nível internacional.

    Acorda Brasil, ninguém aguenta mais….

  18. Ademilson paulino Soares
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 13:52 hs

    Depois da poca vergonha de São Paulo,a Siemens vai embora sim do Brasil;ou para ….

  19. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 14:04 hs

    -Este é o famoso Custo Brasil(leia-se excesso de impostos, corrupção, infra-estrutura deficitária, excesso de leis que não acrescentam em nada)…resultado: os empresários das multinacionais fecham suas portas aqui no Brasil e abrem as portas na China, Indonésia, Taiwan, Cingapura….e por aí vai…
    -Admira-se a empresa Siemens instalar-se na Ucrânia…provavelmente os incentivos foram muito melhores do que os ofertados pelo Paraná para mantê-los aqui.

  20. teta
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 14:09 hs

    o segundo parágrafo diz tudo !!!! Só não conserta o trosso porque não quer.
    Tem que arrumar briga com o pessoal da boca grande, que não larga o osso numa boa.

  21. Gervásio
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 15:37 hs

    A fábrica fechou em março de 2013 e foram 470 empregos perdidos na época. Além disso disso a fábrica tinha sido reativada em 2008, pois estava fechada até então. Campana poderia confirmar as informações, acredito que há um desencontro. Um Abraço

  22. SERVIDÂO ( de coração )
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 18:38 hs

    Se tivessem mudado para Equiscolhambao do Sul, um pequeno e não muito conhecido país, mas que para satisfação de alguns ainda mantém sistema de trabalho escravo, os lucros da Siemens seriam muito maiores do que ir para Ucrânia. Já não se fazem alemães como antigamente .

  23. Rafael Êrico Kalluf Pussoli
    terça-feira, 10 de dezembro de 2013 – 13:20 hs

    Notícia Profundamente lamentável!A Equitel-Siemens,fizeram parte ali
    na Rua Pedro Gusso do progresso de Curitiba e do estado do Paraná.
    Será que nossos homens públicos,não coseguem lutar pela manutenção dessa geradora de empregos,impostos e progresso em Curitiba,no Paraná.Vamos lutar para reabri-la!

  24. Cleiton
    sábado, 12 de abril de 2014 – 14:43 hs

    Com altos impostos brasileiros (ICMS+IPI+IR+PIS+COFINS+II+…) o dinheiro não rende e muitas vezes é frustrante contar com a contrapartida do governo. Temos muito o que melhorar por aqui…

  25. Sebastião
    sexta-feira, 16 de outubro de 2015 – 20:13 hs

    Os petistas nunca trabalharam, somente arrumaram empregos geralmente públicos. Não estão preparados para dirigir nosso pais. O Lula só fez greves, isto é só parou o pais, e deu aulas ao PT para acabar com o pais.
    Enquanto milhares de trabalhadores da iniciativa privada são demitidos, nada se faz para baixar o custo da folha dos governos federal, estadual e municipal. Só aumentar impostos não vai salvar o pais. O governo tem que se sacrificar também, inclusive seus funcionários;

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*