Prefeitos invadem a Câmara para protestar por falta de dinheiro para pagar contas | Fábio Campana

Prefeitos invadem a Câmara para protestar por falta de dinheiro para pagar contas

Durante o ato, houve tumulto, empurra-empurra e discussão com os seguranças (Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil).

Do Zero Hora:

Inconformados com os poucos recursos em caixa para fechar as contas neste fim de ano, um grupo de prefeitos invadiu o salão verde da Câmara nesta terça-feira e exigiu ser recebido pelo presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Os prefeitos reivindicam aumento de dois pontos percentuais na parcela de tributos que compõem o Fundo de Participação de Municípios (FPM). Houve tumulto, empurra-empurra e discussão com os seguranças. Os gestores gritavam palavras de ordem, como “prefeitos unidos jamais serão vencidos”, e cantaram o Hino Nacional.

Presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski explicou que a manifestação “é um retrato da crise profunda que se abate sobre as prefeituras do Brasil” que, segundo ele, estão “totalmente ingovernáveis diante da questão federativa”.

— Estamos chegando ao final do ano e os prefeitos estão sem condição de pagar seus funcionários porque tudo foi repassado para as prefeituras — disse, defendendo que as leis votadas no Legislativo tenham sustentação financeira necessária, com indicação de onde serão retirados os recursos.

Também ressaltou que “esgotou-se o período em que a União empurrava (gastos) goela abaixo das prefeituras” e observou que Câmara e Senado têm de “parar de votar direitos do cidadão sem indicar onde está o dinheiro para pagar”.

Ziulkoski citou o projeto aprovado pelo Congresso que determina aumento do piso do magistério em janeiro, que trará impactos aos cofres municipais superior ao aumento dos recursos que serão repassados por meio do FPM.

— Enquanto o FPM vai aumentar 6% sobre a base de hoje, que é R$ 72 bilhões, e vai aumentar R$ 4,5 bilhões, o aumento do piso do magistério vai trazer impacto de R$ 10 bilhões às prefeituras do Brasil. Então, todo o fundo não paga metade do que vai aumentar o piso do magistério, que foi uma lei votada nessa Casa — destacou.

O presidente da CNM acredita que a revolta dos prefeitos terá impacto no processo eleitoral do ano que vem e revelou que há mais de 2 mil prefeituras gastando mais de 60% com a folha de pagamento, podendo ter suas contas rejeitadas.

— A crise se aprofunda nessa direção e vai crescer muito no ano que vem e seguramente vai interferir no processo eleitoral — disse.

Ziulkoski informou que os prefeitos pretendem pressionar senadores e representantes do Executivo e acrescentou que está programada para o ano que vem uma série de atos com o mesmo objetivo, inclusive com mobilização popular:

— Este é o primeiro momento, no ano que vem faremos outras grandes mobilizações populares para mostrar esta realidade que o Brasil vive lá na ponta, onde o cidadão vive e demanda serviços públicos e as prefeituras não têm como pagar.


8 comentários

  1. Paulo
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 10:51 hs

    Oh!!!! Mas são todos (quase) amiguinhos da Dirrrrrrrrma!!! Que se danem! Isto é, danemo-nos nós!

  2. INTRUSO
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 12:15 hs

    A QUESTÃO PODE SER RESOLVIDA DE UMA FORMA BEM SIMPLES.
    PREFEITOS DEVE FAZER CONVÊNIO COM O FISCO FEDERAL PARA FISCALIZAREM O ITR E AS EMPRESAS ENQUADRADAS NO SIMPLES NACIONAL.
    COM CERTEZA ESSA ATITUDE É MUITO MAIS INTELIGENTE DO QUE CONSEGUIREM DINHEIRO DE GRAÇA!!!

  3. INTRUSO
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 12:16 hs

    BOA PARTE DA ARRECADAÇÃO DO ITR E DAS EMPRESAS DO SIMPLES RETORNAM AOS MUNICÍPIOS É SÓ FISCALIZAREM!!

  4. INTRUSO
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 12:18 hs

    SÓ FALTA O GOV. AUMENTAR AINDA MAIS O IMPOSTO DE RENDA QUE JÁ É UMA GRANDE AFRONTA AOS TRABALHADORES HONESTOS!!!!!!!!

  5. Pedro Rocha
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 14:50 hs

    É o retrato do petismo canalha, que centraliza toda a bufunfa, e só libera pros cumpanhero, e pra quem dá mais.
    O petismo bandido está acabando com o Brasil.

  6. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 17:24 hs

    Enquanto isso,
    Dilma e Gleisinha estão distribuido caminhões.

    É assim, nada mudou.

    Desde os tempos de Cabral:

    Poderosos distribuindo presentinhos e ROUBANDO OURO, PRATA, DIAMANTES e ESMERALDAS.

  7. Adalberto Jardim
    quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 – 18:19 hs

    E a Dilma perdoando a dívida de várias países da África. É ou não é um contrassenso? Desrespeito puro para com os Prefeitos e mais, com a própria população brasileira. Isso é PT!!!

  8. mensaleiro júnior
    sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 – 19:05 hs

    PARA RESOLVER A FALTA DE DINHEIRO NOS MUNICÍPIOS É SÓ OS PREFEITOS DIMINUÍREM O NUMERO DE PASSEIOS E DE DIÁRIAS QUE ELES RECEBEM.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*