MP "dispensou" Polícia Militar dentro da Arena Joinville | Fábio Campana

MP “dispensou” Polícia Militar dentro da Arena Joinville

Fonte: Bem Paraná

Um entendimento do Ministério Público de Santa Catarina determinou que Polícia Militar fizesse apenas o patrulhamento externo da partida entre Atlético e Vasco, em Joinville. A segurança é feita por apenas 100 profissionais particulares. Pelo acordo, a PM só poderia intervir em situações de risco, o que acabou acontecendo.

O presidente da Felej (Fundação Municipal de Esportes Lazer e Eventos de Joinville), Fernando Krelling, responsável pela administração da Arena Joinville, já tinha demonstrado preocupação. “A ação do MP é contra a Felej, prefeitura, Joinville Esporte Clube e Polícia Militar. É algo recente, mas que impede a PM de atuar na parte interna do estádio. Eles vão patrulhar as imediações e garantir a segurança da arbitragem. O restante será feito pelos seguranças particulares contratados junto ao Atlético-PR, que alugou o espaço para mandar a partida”, explicou Kreeling ao UOL Esporte,

A situação preocupa as autoridades por conta da possibilidade de violência entre as torcidas e revolta por possíveis resultados finais. O duelo de domingo pode determinar o rebaixamento do Vasco, assim como a ausência do Atlético-PR na Copa Libertadores de 2014.

“É um jogo de risco nesses padrões. Temos a partida mais importante dos dois clubes no ano. Sabemos que o pós-jogo é bastante preocupante. Mas a Polícia Militar assegurou que tem carta branca para interferir também na parte interna caso tenha necessidade”, encerrou Kreeling, em entrevista ao Uol.

O Atlético-PR alugou a Arena Joinville por R$ 25.200 ao perder o mando de campo na competição nacional. O estádio costuma ser utilizado pelo Joinville. Sua manutenção custa em torno de R$ 50 mil mensais para a prefeitura da cidade


7 comentários

  1. voto nulo
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 21:11 hs

    Acharam um culpado! É do Ministério Público. Só deles? Isto é ridículo.
    Realmente este País é uma piada! Voto nulo é a solução.

  2. Parreiras Rodrigues
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 21:33 hs

    Caso o Atlético seja eliminado da Libertadores por conta desse episódio – mais um, é o caso de se pensar em dissolver as suas torcidas (des) organizadas.
    Imagens correrão o mundo e, lá fora perguntarão: É para ai que vamos ver a Copa de 2014?

  3. Adoniran
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 21:52 hs

    Certa a atuação do MP. Segurança pública é para as ruas e entorno dos estádios. Evento da iniciativa privada tem que ser feito com segurança privada. O povo não tem que pagar pela incosenquencia de marginais do futebol.

  4. Divanir
    domingo, 8 de dezembro de 2013 – 22:26 hs

    Com a palavra o ministério Público! Sabem tudo!
    Se com a PM é ruim, sem a PM é bem pior!
    Não respeitam nem a polícia!

  5. carlos rocha
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 9:40 hs

    A POSIÇÃO DO MINISTÉRIO PUBLICO DE SANTA CATARINA ESTÁ MAIS DO QUE CORRETA, É UM EVENTO PARTICULAR OUTRA COISA AS IMAGEM NÃO SE VÊ NEM UM SEGURANÇA DO TIME INTERVINDO NA BRIGA.

  6. Saul de Lima Brenzink
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 10:07 hs

    Concordo com o MP. Jogo de futebol é uma competição particular sim. Há cobrança de ingressos. Quem patrocina deve arcar com todas as despesa, principalmente o item segurança. Os clubes tem que prever ambulâncias equipadas, médicos e profissionais de saúde qualificados, brigadas de incêndio, seguranças e outros itens necessários. A Polícia garante a segurança externa. Se querem a PM nos estádios que façam um acordo entre clubes, governos e MP e estabeleçam critérios para assim ser. O futebol brasileiro precisa passar por uma séria reformulação, principalmente com rigor as questões que envolvem torcidas e torcedores. Tem que dar um basta em brigas de torcidas que tanto mal já causaram a diversas famílias. Lugar de torcedor bandido é cadeia. E lugar de clubes onde torcidas promovem baderna é afasta-los de competições por algum longo tempo. Talvez agindo assim aprendam. Talvez.

  7. antonio carlos
    segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 – 18:13 hs

    Depois que a PEC 35 foi derrubada este pessoalzinho do MP voltou a aprontar. Ontem mais uma vez fez das suas, felizmente para nós paranaenses, desta vez a mancada foi dada pelos valorosos paladinos catarinenses. E para a infelicidade dos torcedores que quase pagaram com a vida pela decisão destes mesmos paladinos. Agora os paladinos barrigas verdes vem com esta desculpa de que eles não proibiram nada, mas proibiram sim, porque o tenente-coronel assim o disse textualmente. Aí um paladino, todo faceiro com a sua gravata borboleta, nega que o MP do qual faz parte impediu a presença da policia catarinense. O MP perdeu a noção do ridículo, mete o bedelho em tudo e e raramente resolve alguma coisa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*