Minha Casa Minha Vida: apartamentos alagados | Fábio Campana

Minha Casa Minha Vida: apartamentos alagados

A aposentada Carolina Belarmino Cordeiro colocou os móveis sobre cadeiras para evitar perdê-los em dias de chuva

De Veja:

Falhas no sistema de drenagem de uma obra do Minha Casa Minha Vida na Baixada Fluminense deixam moradores em meio a lama e alagamentos desde a semana passada. O problema começou na quinta-feira da semana passada, quando cerca de cem unidades habitacionais dos andares térreos do Condomínio Parque Valdariosa – que tem 1.500 apartamentos – foram invadidos pela água da chuva. Este é o maior empreendimento do Minha Casa Minha Vida na Baixada. Nesta quarta-feira, o problema se repetiu: os apartamentos ficaram alagados pela água que retornava pelos ralos e vasos sanitários.

“É a segunda noite que eu passo acordada vigiando a chuva. Na quinta-feira passada, meu apartamento foi invadido pela água. Precisei usar um balde para tirar a lama dos quartos. Na madrugada desta quarta-feira, choveu menos, mas a água voltou a entrar na minha casa através dos ralos do banheiro e da cozinha e do sanitário. Eu fico desesperada porque moro com meus dois netos, que têm 7 e 8 anos, e com meu marido, que tem dificuldades de locomoção”, contou Marina Fátima de Oliveira, 47 anos, moradora do apartamento 101 do bloco 16.

De acordo com o prefeito de Queimados, Max Rodrigues Lemos, engenheiros da Construtora Bairro Novo, que construiu os apartamentos, estão vistoriando o sistema de drenagem do condomínio para verificar se houve obstrução ou outro problema, como quebra de manilhas ou uso de manilhas menores do que o necessário.

“Existe um problema na drenagem do condomínio, segundo a construtora. De acordo com a empresa, foi um problema na execução. A construtora pediu uma semana para fazer um diagnóstico detalhado e apresentar um relatório. E se comprometeu a realizar as mudanças necessárias”, disse Lemos, após reunião com representantes da Bairro Novo e da Caixa Econômica Federal.

Rio tem manhã de caos, com ruas alagadas e vias bloqueadas
Baixada: Em Queimados, moradores são retirados de casa de barco
Via Dutra tem trechos interditados

Enquanto a prefeitura e a construtora avaliam a causa da inundação, moradores contam os prejuízos. Muitas famílias, que deixaram suas casas perto de encostas e nas margens de rios com a promessa de escapar dos estragos causados pelas chuvas, voltaram a perder móveis e eletrodomésticos.

Moradores registraram o alagamento na 28 de Setembro, principal rua de Vila Isabel, que liga o bairro à Tijuca e ao Centro.

“Eu morava em uma casa em uma área de risco. Quando chovia forte, a água entrava e eu perdia tudo. Quando me mudei, eu achei que estava livre dessas enchentes. Nunca imaginei que a água entraria aqui no condomínio. Quando vi todos os cômodos do meu apartamento cheios de lama, entrei em desespero. Meu sofá está encharcado. Meu armário de cozinha está se desfazendo porque ficou na água”, contou a aposentada Carolina Belarmino Cordeiro, 73 anos, que, com ajuda dos vizinhos, conseguiu colocar alguns móveis sobre cadeiras para que não fossem danificados pela enchente.

Mãe de um bebê de onze dias, a dona-de-casa Carmelita dos Santos Ventura, 32 anos, que também mora no térreo, conta que a mistura de água e de lama atingiu o berço de Vitória e armários dos outros três filhos. O berço não teve recuperação. Os armários estão sendo usados parcialmente, já que as gavetas mais baixas, atingidas pela água, foram inutilizadas. “Quando vi a lama entrando, só pensei em levar sair do apartamento com meus filhos. Não tive como recuperar o bercinho”, contou Carmelita, que mora no apartamento 102 do bloco 17.

Moradora do apartamento 104 do bloco 15, Lea Maria da Silva Pinheiro, de 37 anos, conta que a chuva destruiu a pequena reforma que fez no chão da sala. Assim como os outros moradores do Condomínio Valdariosa, Lea recebeu o imóvel no cimento, sem piso. Depois de economizar dinheiro durante meses, ela colocou piso no chão da sala. “Com a chuva, soltou tudo. Não sei se vou ter condições de comprar mais material”, conta Lea. Em um dos quartos, mais prejuízo: os colchões novos comprados para o natal, uma cama box foram atingidos pela água. Fechados em um quarto com pouca ventilação os objetos cheiram a mofo.

Lemos tem uma lista das 104 famílias afetadas pela inundação do Minha Casa Minha Vida no dia 5 e afirma que tentará uma solução para que os moradores possam comprar os móveis e eletrodomésticos perdidos durante a enxurrada. Até o momento, no entanto, não há definição sobre o ressarcimento.

Em nota, a Caixa Econômica Federal alegou que a inundação foi provocada pelo excesso de chuva em Queimados. “A drenagem e as tubulações estavam desobstruídas e, portanto, o alagamento foi decorrente exclusivamente do volume e da força das águas”, informou a Caixa.

Apartamentos – O alagamento dos apartamentos do térreo e das ruas internas do condomínio não é o único problema apontado pelos moradores dos apartamentos simples, com dois quartos, banheiro, sala e cozinha, entregues em 2011. Os moradores reclamam de infiltrações e vazamentos constantes. Insatisfeitos e ignorados, muitos optam pelo improviso. “O encanamento da cozinha está entupido há meses. Então, desconectei parte do cano, que cai direto no balde. Quando lavo roupa também coloco um balde embaixo”, conta Marina.

O acabamento precário do condomínio, construído com 24 milhões de reais, também atormenta muitos moradores do Minha Casa Minha Vida. No apartamento 201 do bloco 9, a janela fechada não impede a entrada da chuva: a água entra no acabamento entre a armação de alumínio e a parede. Proprietária do apartamento, Lea Amorim, 54 anos, conta que já chamou funcionários da construtora diversas vezes, mas não teve o problema resolvido. “Meu apartamento tem várias infiltrações. Quando vejo um funcionário da construtora, peço ajuda. Eles já chegaram a reparar uma parede, mas nem sempre fazem o serviço. Um deles me disse que os vazamentos incomodam, mas que o apartamento não vai cair. É uma humilhação”.

Emergência – O município de Queimados está em estado de emergência desde sexta-feira, após a enxurrada que afetou o estado. Nesta quarta-feira, voltou a chover forte na cidade, que tem 23 bairros afetados. Em algumas regiões, a água cobriu as casas e os moradores foram resgatados pela Defesa Civil, que usou botes.


6 comentários

  1. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 – 12:19 hs

    A demagogia lulopetista da casa própria. Casa própria de quinta categoria para peixes.

  2. ATLETICANO
    quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 – 16:35 hs

    MINHA CASA MINHA VIDA DE DESILUSÃO, DESESPERO, TRAUMA, DESCONFORTO E PRINCIPALMENTE ENGANAÇÃO.
    CONTINUEM A VOTAR NO PT, DÁ NISSO.

  3. Anônimo
    quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 – 17:02 hs

    Situações como esta já não podem ser classificadas como vergonhosas, como descaso, pois trata-se de uma tremenda sacanagem escancarada (para não falar outra coisa) desta corja petista liderada pelo sapo barbudo e sua representante atual, que enchem a boca (e o nosso saco) para alardear a redução do déficit habitacional com o famoso “minha Casa minha dívida” e agora “seu problema”. Se o programa Minha Casa Minha Vida fosse administrado e supervisionado no governo federal por mãos e pessoas hábeis e honestas (coisa rara no meio político), seria o máximo. Mas nas mãos incompetentes da quadrilha lulopetista só podia dar no que deu: casa nova enchendo de água e de m…… também.
    Essa putaria aliada a incompetência desgovernamental tem que acabar! A má utilização de recurso público que permeia o País só tem um nome: ROUBO.
    Enquanto isso, estradas cedem, prédios e casas de programas habitacionais alagam, obras inacabadas são depredadas, a saúde não funciona como deveria, a escola não tem suporte adequado para uma educação satisfatória, os impostos continuam a comer o suor e o salário do trabalhador, o poder de consumo de itens básicos está caindo, e por aí vai. Mas tá tudo lindo….tudo nos conformes…tudo maravilhoso, porque o desgoverno petista é exímio em vender ilusões no horário nobre. E ainda somos obrigados a bancar o passeio da atual e dos ex para a África. O motivo da viagem só é justificável pelo ilustre Mandela,exemplo de ser humano e dirigente. Mas aqui no Brasil só temos essa cambada de fdp e incompetentes (para o trabalho) a encher seus bolsos e nosso saco todo dia………

  4. jobalo
    sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 – 0:55 hs

    Que vergonha em dona dilma … que farsa…. que tormento…. que judiação desse povo mais humilde que continua acreditando nessa petezada.

  5. PIMENTA PURA !!!
    sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 – 3:40 hs

    Obras gigantescas tocadas nas coxas para fazer bonito. Pobre leva
    de qualquer jeito mesmo, infelizmente…

  6. OCIMAR
    sábado, 14 de dezembro de 2013 – 8:28 hs

    MUQUIFO,MUQUIFO,MUQUIFO,MUQUIFO……..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*