Maconha é droga leve, diz Tarso Genro | Fábio Campana

Maconha é droga leve, diz Tarso Genro

Amigo do presidente uruguaio Pepe Mujica, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), não acredita que a medida de regulamentação do uso da maconha no país vizinho afete a fronteira gaúcha e traga reflexos negativos para e nem que influencia medida igual no Brasil a curto prazo.

Em entrevista ao G1, Genro diz estar de cabeça aberta para os efeitos da nova lei em solo uruguaio. Segundo ele, a maconha é uma “droga leve” e o consumo é considerado “um hábito social da classe média”.

“O trânsito de drogas na fronteira tem sido combatido, acredito que não vá influenciar em nada. Não falta maconha no Rio Grande do Sul. Nem aqui, nem em nenhum outro lugar do mundo. As pessoas pensam na maconha de uma forma tranquila. Hoje o consumo é considerado um hábito social da classe média e a questão não está no trânsito da droga, mas na clandestinidade. A maconha é uma droga leve”, opina.

Para o governador gaúcho a experiência do Uruguai vai ajudar os outros países a saber se é uma medida efetiva ou não.

“Não sou usuário, nem defendo o consumo. Acho que a maconha faz mal para a saúde. Também não sou contra a legalização, mas a favor da descriminalização do usuário, tratando isto como uma questão de saúde pública e não uma questão penal”, sustenta.


12 comentários

  1. segunda-feira, 30 de dezembro de 2013 – 17:42 hs

    Conversinha de PT,começa assim,já que liberou no Uruguai,porque nao aqui? Ora este governo que aí já liberou qualquervtipo de drogas advindos,de Cuba Farcs,Colômbia Venezuela Bolívia Paraguai Argentina,se há fiscalização ninguém viu! E O fim do mundo.

  2. antonio carlos
    segunda-feira, 30 de dezembro de 2013 – 18:58 hs

    O governador gaudério perdeu ótima oportunidade de não falar besteira. Muita gente entra nas drogas por esta droga, segundo o gaudério, um hábito social da classe média. Pois é, a epidemia de crack que assola tudo quanto é grande Centro, para muita gente começou como um hábito social, aí evoluiu para a cocaína, para a heroína e para a mais popular delas, o crack. O governador gaudério certamente deve ter queimado muito joãozinho quando era estudante, aí defende a legalização das drogas ” leves”. Aposto que o cara nem fumar fuma, faz mal à saúde.

  3. juarez
    segunda-feira, 30 de dezembro de 2013 – 19:15 hs

    ESSE GOVERNADOR É MÉDICO ESPECIALISTA EM DROGAS??? SE NAO O FOR, TRATA-SE DE UM SER POPULISTA E IRRESPONSÁVEL!!!!

  4. Pedro Rocha
    terça-feira, 31 de dezembro de 2013 – 2:15 hs

    De maconha não sei se TG entende alguma coisa; pela resposta, é não.
    Mas de Uruguai ele entende pra caramba. Afinal, foi pra lá que ele fugiu dos militares, vestido de prenda.
    Bah, tchê; mas cadê o gaúcho terrorista e valente????
    Má quê barbaridade tchê

  5. PIMENTA PURA
    terça-feira, 31 de dezembro de 2013 – 4:27 hs

    Só se for na cabeça de mer_ a deste cara. Droga é droga de qual-
    quer jeito Tarso !!! O próprio cigarro que é uma droga “aceita” pela
    sociedade continua livre mesmo sabendo que mata…

  6. Aline
    terça-feira, 31 de dezembro de 2013 – 11:16 hs

    Ihhh. aqueles PETRALHAS que criticavam FHC, vão dizer o que agora???? Acabou o discurso dos imbecís… KKKKKK

  7. Palpiteiro
    terça-feira, 31 de dezembro de 2013 – 12:46 hs

    Este é outro ex-padreco de passeata de terceira. O PT é a lixeira dos ex-padres fracassados.

  8. Helena
    terça-feira, 31 de dezembro de 2013 – 16:56 hs

    ‘E assim que se inicia com v’icio em drogas, na “levinha”…

  9. quarta-feira, 1 de janeiro de 2014 – 1:25 hs

    Pode até ser leve… mas, é a porta de entrada para o uso de outras drogas existentes no mercado. Aliás, a impressão que se tem é que
    o governo não tem interesse em eliminar drogas.

  10. Na Ativa
    quarta-feira, 1 de janeiro de 2014 – 19:09 hs

    Ata…já é difícil um professor conseguir ensinar do jeito que está. Agora imagine com alguns alunos sob o efeito da maconha?…Será uma “maravilha”…aprenderão que é uma beleza…

  11. zangado
    quarta-feira, 1 de janeiro de 2014 – 22:57 hs

    Não só leve, Tarsão, livre e solta no país …

  12. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 2 de janeiro de 2014 – 12:54 hs

    -Pode até ser!!!
    -Mas que causa dependência e outros efeitos colaterais está mais do que provado!!!!
    -Antigamente, no meu período em que estudava, o cidadão que utilizava a chamada “ervinha” era tachado de maconheiro e siginificava que o sujeito transmitia a idéia de irresponsável, desleixado, sem falar que a simples posse da substaância alucinógena era passível de prisão. Os tempos mudaram, o indivíduo que tem a posse do baseadinho não vai mais preso(o que aumenta em muito o tráfico de drogas). Mas minha visão das drogas ainda não mudou!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*