Em 1 ano, Copel conclui estudo para bolsão de gás de Pitanga | Fábio Campana

Em 1 ano, Copel conclui estudo para bolsão de gás de Pitanga

A Copel consorciada com mais três empresas comprou quatro blocos de exploração de gás na Bacia Sedimentar do Paraná. A operação foi negociada por R$ 12,48 milhões na 12ª Rodada de Licitações e Leilões da ANP, realizada no final de novembro, no Rio de Janeiro.

O consórcio foi composto por Copel (30%), Petra Energia S.A. (30%), que será a operadora do consórcio, Bayar Empreendimentos e Participações Ltda. (30%), e Tucumann Engenharia e Empreendimentos Ltda (10%). Outros sete blocos do mesmo setor foram arrematados por consórcios formados pela Petrobras. Três blocos não foram comercializados.

O presidente da Copel, Lindolfo Zimmer, disse que a expectativa é que haja 60% de gás convencional dentro do perímetro de 12 mil km² adquiridos pelo consórcio – extensão abrange o centro do estado partes do noroeste e sudoeste. Para ele, o dado de gás convencional é bastante promissor pela viabilidade de operação.

O bolsão de Barra Bonita, em Pitanga, segundo o presidente da Copel, está localizado em um dos blocos adquiridos e é o que tem mais probabilidades de sucesso na exploração. Ele apontou que a perfuração já existente no local vai permitir mais agilidade no processo. “Uma empresa de consultoria está nos orientando e nos deixou muito tranquilos com relação à possibilidade de sucesso nas operações”, destacou.

Além da perfuração já existente no bolsão de Pitanga, o consórcio deverá investir em novas perfurações para localização de gás nos outros blocos. “Terminando os estudos, dentro de quatro meses devemos perfurar novos locais”, acrescentou.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*