Richa fala sobre políticas públicas em Chicago | Fábio Campana

Richa fala sobre políticas públicas em Chicago

O governador Beto Richa afirmou nesta segunda-feira (04/11), em palestra para acadêmicos de Mestrado e Doutorado da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, que o Paraná estabeleceu um novo marco nas relações com a sociedade e o mercado que permitiu ao Estado retomar um ritmo mais acelerado de desenvolvimento socioeconômico.

“Hoje, a interação entre Estado, cidadãos e empresas se subordina aos princípios do diálogo, do respeito e da transparência”, disse o governador, que falou em inglês para alunos de várias partes do mundo. “Esses preceitos estavam de tal forma negligenciados que ao restabelecer suas práticas fomos recompensados. O resultado é um amplo processo de industrialização, com R$ 25 bilhões investidos”, afirmou Richa.

Ele destacou que os investimentos foram atraídos a partir da instituição do programa Paraná Competitivo. “É uma moderna política de incentivos, que ao conceder benefícios fiscais, exige como contrapartida das empresas a geração intensiva de empregos, a transferência de tecnologias e a preservação do meio ambiente”, explicou.

Richa ressaltou que a política industrial abriu 150 mil novas oportunidades de trabalho no setor e que na economia paranaense como um todo foram criados 329 mil novos empregos entre janeiro de 2011 e setembro de 2013. “A maior parte dos postos de trabalho foi aberta no interior e o Estado tem uma taxa de desemprego de 4%”. Richa disse que o Brasil está fazendo um grande esforço “para saldar a gigantesca dívida social que acumulou ao longo de séculos”. Ele ressaltou que o ajuste foi iniciado com o plano de estabilização lançado pelo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e mantido pelos governos seguintes.

Sobre o processo de desenvolvimento do País, ressaltou que é preciso harmonizar as relações entre Estado e mercado, e que os modelos adotados por países mais ricos podem servir de inspiração para os brasileiros. “Mas o fato é que teremos de construir nosso próprio caminho, genuinamente verde-amarelo, para atingir a almejada condição de país desenvolvido”, afirmou.

No compromisso na Universidade de Chicago, que abriu sua agenda oficial nos Estados Unidos, além dos avanços na economia, Richa apresentou os resultados dos últimos anos nas áreas da saúde, educação, habitação e segurança. As melhorias na infraestrutura feitas pelo Estado e a necessidade dos investimentos da iniciativa privada nesta área foram pontos ressaltados na palestra.

COMBATE À VIOLÊNCIA – Durante reunião com os professores da universidade norte-americana, Richa conheceu um modelo estatístico para combate à criminalidade criado pela instituição e convidou os docentes a visitar o Paraná para conhecer o trabalho das forças de segurança para redução das taxas de homicídios. O governador destacou a experiência das Unidades Paraná Seguro (UPS), de policiamento comunitário.

Ele explicou que o Paraná está na rota do tráfico de drogas e precisa de cuidados redobrados na repressão às quadrilhas internacionais. Para fazer frente a estes problemas, o Estado foi o primeiro do País a criar o Batalhão de Fronteira, formado por policiais militares, além de investir no aumento de efetivo, compra de equipamentos e viaturas e reforçar a área de inteligência e a integração com a Polícia Federal, a Receita Federal, a Interpol e outros organismos de combate ao crime organizado.

Richa explicou que também houve aumento na interação entre a administração estadual e os municípios. “Trabalhamos em parceria com os prefeitos das 399 cidades paranaenses, o que só foi possível graças à nossa disposição de dialogar com todas as instâncias”, disse.

Na questão da saúde, por exemplo, o Estado definiu como o mais importante levar médicos, remédios e equipamentos para perto das pessoas, além de revitalizar as políticas de saúde preventiva e multiplicar cursos de capacitação para os profissionais do setor.

Em dois anos o Estado reduziu os índices de mortalidade materna em 21%, lembrou Richa. A mortalidade infantil teve uma queda de 4% em apenas um ano, para 11,6 mortes por mil crianças nascidas vivas em 2011.

EDUCAÇÃO – Outra área detalhada pelo governador foi a educação. Ele disse que o ensino profissionalizante é uma prioridade do governo, assim como a valorização do magistério. “O Paraná dobrou a oferta de vagas em cursos técnicos, hoje frequentados por mais de 80 mil jovens”, disse. “Atualizamos os salários dos professores, que estavam defasados, além de introduzir promoções na carreira da categoria”, explicou.

O governador citou a criação da Lei Estadual da Inovação, que permite uma interação maior entre empresas e universidades, e o modelo do ensino superior, com sete universidades e cem mil alunos matriculados gratuitamente em seus cursos de graduação e pós-graduação. “O Estado investe cerca de R$ 1,5 bilhão nas universidades estaduais”, disse.

Richa falou sobre o programa de habitação, que viabilizará a construção de 110 mil casas até 2015, o que significará uma redução de 44% no déficit habitacional. “É um programa de resultados esplêndidos e evidencia que, quando os governos trabalham em sinergia, melhora a qualidade de vida dos cidadãos”, afirmou o governador.

INFRAESTRUTURA – O governador abordou ainda as relações entre a União, os Estados e as cidades. Ele lembrou que nos últimos anos, a União passou a concentrar uma grande soma de recursos e poderes, em detrimento dos demais entes federativos. “O governo federal fica com a maior parte dos impostos recolhidos, limitando radicalmente as ações de estados e municípios”.

Richa disse que a concentração de poderes na capital federal reduziu a capacidade de investimentos dos Estados para a ampliação e modernização da infraestrutura e que hoje a parceria com a iniciativa privada é fundamental nesta área. “Mesmo assim, o nosso Estado moderniza a malha rodoviária estadual, melhora as estradas rurais e investe no Porto de Paranaguá”.

AGENDA – Ainda em Chicago, nesta segunda-feira, o governador foi à sede da Motorola Solutions, onde assinou com o presidente de Assuntos Governamentais para a América Latina, George Spass, um termo de colaboração técnica com a companhia.

Nesta terça-feira (5) Richa inicia agenda em Nova Iorque, onde fará apresentações sobre o Paraná no banco JP Morgan. A agenda inclui, ainda, a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), a Conferência de Mercados Emergentes do Banco HSBC, palestra na Universidade de Columbia, organizada pelo BRICLab e revista Voto, e o Conselho das Américas – instituição que reúne empresas com interesse em abrir novos mercados na América Latina, Canadá e Caribe.


3 comentários

  1. Sergio silvestre
    segunda-feira, 4 de novembro de 2013 – 23:02 hs

    Grunfhhhh!!!!!!!

  2. Vigilante do Portão
    terça-feira, 5 de novembro de 2013 – 3:37 hs

    Eles acreditam em factóides.

  3. Doutor Prolegômeno
    terça-feira, 5 de novembro de 2013 – 12:20 hs

    Cidades coirmãs no cacófato: Curitiba e Chicago.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*