Protesto de 'paseros' na Ponte da Amizade provoca filas na fronteira | Fábio Campana

Protesto de ‘paseros’ na Ponte da Amizade provoca filas na fronteira

Do G1 PR, em Foz do Iguaçu:

Transportadores de alimentos que atuam na fronteira do Brasil com o Paraguai retomaram na manhã desta quinta-feira (27) os protestos no acesso à Ponte Internacional da Amizade, entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Os ‘paseros’, como são conhecidos, repudiam a política de “tolerância zero” contra o contrabando imposta pelo presidente Horacio Cartes. Uma assembleia à tarde deve definir os rumos da manifestação.

O protesto iniciado na tarde de quarta-feira (26) – primeiro dia da operação de reforço contra o contrabando – provocou longas filas de veículos dos dois lados da fronteira. Na volta para o Brasil, alguns motoristas contaram que só conseguiram cruzar a fronteira por volta das 4h. Já para quem seguia em direção a Ciudad del Este, o tráfego foi normalizado perto das 2h. Nesta quinta, o trânsito está sendo interrompido por cinco minutos e liberado alternadamente a cada dez.

Atualmente, a cota para a importação simplificada de produtos como verduras, legumes e frutas adquiridos nos países vizinhos é de US$ 150 por mês. Outros pontos de fronteira do país também estão sendo bloqueados pelos manifestantes, como em Encarnación, vizinha a Posadas, na Argentina. Segundo o vice-ministro paraguaio de Comércio, Pablo Cuevas, a operação “Hendy”, iniciada na quarta, seguirá por tempo indeterminado.

“Estamos protestando contra um decreto presidencial de perseguição aos pobres. É preciso diferenciar os grandes contrabandistas de nós, que vivemos o dia a da e dependemos deste trabalho de transportar mercadorias para sobreviver”, declarou ao jornal ABC Color, Zully Jacquet, uma das coordenadoras do movimento. “O verdadeiro contrabando é a triangulação China-Brasil-Paraguai”, apontou Alberto Rolón, secretario da Federação de Trabalhadores e Comerciantes de Fronteira, à rádio Cardinal.


Um comentário

  1. antonio carlos
    quinta-feira, 28 de novembro de 2013 – 14:46 hs

    Mas o que é que a China e o Brasil tem a haver com o contrabando de alimentos para o Paraguai? Não conseguem resolver os problemas internos e agora querem joga-los nas nossas costas. E dos chineses também.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*