Petista do Paraná só pensa no Bangu 8 | Fábio Campana

Petista do Paraná só pensa no Bangu 8

A principal preocupação de Henrique Pizzolato diz respeito às condições do presídio de Bangu 8, no Rio de Janeiro. A unidade de detenção deve ser seu destino já que foi condenado pelo STF a 12 anos e 7 meses no processo do mensalão. Pizzolato é do Paraná e foi candidato a governador pelo PT. No governo Lula, ocupou a diretoria de Marketing do Banco do Brasil

“Meu cliente cometeu crimes contra a administração pública. Preciso garantir que sua integridade física seja garantida no caso do início do cumprimento da pena. Ele não pode ficar ao lado de presos de alta periculosidade, como milicianos e traficantes”, diz Marthius Sávio Cavalcante Lobato, advogado de Pizzolato no caso.


6 comentários

  1. antonio carlos
    segunda-feira, 11 de novembro de 2013 – 12:12 hs

    Eu estava crente que o tal condenado era italiano, mas vejo que agora virou paranaense, talvez por adoção.

  2. Doutor Prolegômeno
    segunda-feira, 11 de novembro de 2013 – 13:38 hs

    Devia ficar entre os tarados e estupradores.

  3. Manoel Barboza
    segunda-feira, 11 de novembro de 2013 – 14:10 hs

    Sr Marthius Sávio Cavalcante Lobato, seu cliente foi tão maléfico para o povo brasileiro quanto traficantes, milicianos, assassinos….

  4. Moisés Fróes
    segunda-feira, 11 de novembro de 2013 – 14:31 hs

    O quê difere dos outros bandidos? Nada!!!
    O dinheiro que Elles roubaram (Zé Mensaleiro Direceu, Delúbio Piadista< João Cunha e outros corruPTistas), daria para evitar muitas mortes dos pobres do nosso Brasil, e que garnate que os corruPTos do PT dão bola para os pobres? Ninguém!!!!

  5. PALMENSE
    segunda-feira, 11 de novembro de 2013 – 18:41 hs

    ELE QUE NÃO SE PREOCUPE,POIS NO BRASIL POLÍTICO NÃO VAI P/CADEIA

  6. Dieter
    quarta-feira, 13 de novembro de 2013 – 22:40 hs

    Os atuais presidiários terão um petista perito em falcatruas e corrupção para se inspirarem.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*