Paraná, sem pendências, espera aprovação de empréstimos | Fábio Campana

Paraná, sem pendências, espera aprovação de empréstimos

Está cada vez mais difícil explicar o fato dos sete empréstimos nacionais e internacionais solicitados pelo Paraná estarem sendo bloqueados em Brasília pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) desde 2011.

No inicio da semana, a bancada petista na Alep alimentou a mídia amiga com a informação que o Paraná teria pendências no Cadastro Único de Convênios da União (Cauc), ferramenta que funciona como uma espécie de “serviço de proteção ao crédito” do governo federal e é bem dinâmica.

O fato é que o estado não tem qualquer pendência com o Cauc, estando apto a receber o aval da STN para contratar os empréstimos.

Enquanto a política xinfrim age para barrar os empréstimos, os paranaenses perdem mais de R$ 3,2 bilhões em investimentos que poderiam estar sendo feitos em programas e ações nas áreas de atendimento social, educação, saúde, segurança pública e obras de infraestrutura em todas as regiões do Estado

Situação bem diferente é a vivida pelo Rio Grande do Sul, estado governado pelo PT. Em declaração recente, o secretário do Planejamento gaúcho disse que estado não consegue gastar todos os recursos repassados pelo governo federal, mesmo comprometendo mais de 100% da receita com pessoal e estando em situação financeira ruim.


3 comentários

  1. Vigilante do Portão
    sábado, 9 de novembro de 2013 – 2:35 hs

    Tenho insistido com as mídias, não é de hoje, para que expliquem melhor essa questão.

    A Gazetona, ARAUTO DA DESGRAÇA, insiste em publicar matérias INCOMPLETAS, sempre induzendo o leitor a acreditar que Beto Richa é um GAstão.

    Ontem mesmo, a edição do matutito apresentou “divergências de cálculos” sobre o gasto com pessoal.

    Velha história da metodologia.

    O problema, segundo o jornal, são Aposentados e Pensionistas.

    Outros Estados, mesmo com pendências iguais, RECEBERAM AUTORIZAÇÃO PARA CONTRAIR EMPRÉSTIMOS, entre eles os FALIDOs RS e Bahia.

  2. Sergio silvestre
    sábado, 9 de novembro de 2013 – 8:39 hs

    Vem ca´,estes emprestimos alguem vai ter que pagar.Quem?
    E os impostos caros que pagamos,ainda precisa fazer emprestimos para alguma obra?
    Ou estes emprestimos vão ser para pagar salarios de comissionados e propagandas.

  3. PROFESSORA ELIANA
    sábado, 9 de novembro de 2013 – 9:43 hs

    Bom dia! Alguém sabe explicar o que está acontecendo com o IPARDES? Comenta-se que esta autarquia, vinculada ao sistema de planejamento do Estado, está prestes a fechar as suas portas…isso procede? Uma pena….o IPARDES muito contribuiu à sociedade paranaense com seus estudos econômicos e sociais colaborando para o conhecimento da nossa realidade e o planejamento das políticas públicas do Paraná!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*