País tem 9,6 milhões de jovens sem estudar ou trabalhar | Fábio Campana

País tem 9,6 milhões de jovens sem estudar ou trabalhar

Da Agência Estado:

Uma população de 9,6 milhões de jovens de 15 a 29 anos que não estudam nem trabalham, formada principalmente por mulheres, muitas delas com filhos, é motivo de preocupação quando se observam as condições de vida da população, mostra estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgado nesta sexta-feira. A Síntese de Indicadores Sociais 2013, com dados de 2012, mostra que um em cada cinco brasileiros (19,6%) nesta faixa etária não trabalhava nem frequentava escola. Na faixa de 18 a 24 anos, o índice é ainda mais preocupante, de quase um quarto (23,4%).

“Não significa que são encostados ou que são um bando, mas é um fator preocupante porque não é possível que pessoas desta idade não estudem nem trabalhem”, diz a técnica do IBGE Ana Saboia. Segundo Ana, os dados não permitem apontar as razões para número tão significativo da chamada “geração nem-nem” (nem estuda nem trabalha), mas, com relação às mulheres a necessidade de cuidar dos filhos é um fator que contribui para não terem atividades produtivas. A proporção de jovens que não vão à escola e não têm emprego se mantém estável, com pequena redução nos últimos dez anos: em 2002, eram 20,2% da população nesta faixa etária.

Os indicadores mostram que 70,3% dos jovens que não trabalham e não estudam são mulheres. Dessas jovens que não têm atividade produtiva, 58,4% tinham pelo menos um filho. A maior parte dos jovens “nem-nem” (38,6%) tem ensino médio completo, ou seja, deveria ter seguido para um curso superior ou ingressado no mercado de trabalho. No outro extremo, um porcentual também alto de 32,4%, nem sequer completou o ensino fundamental.

O Nordeste é a região com maior proporção de jovens que não estudam nem trabalham, em todas as faixas etárias estudadas. Na faixa de 18 a 24 anos, Alagoas tem nada menos que 35,2% da população que não estuda nem trabalha. Na região metropolitana de Recife, o índice também é preocupante: 31,8% dos jovens de 18 a 24 anos não têm atividade produtiva.

Geração canguru

No estudo sobre a composição das famílias no País, o IBGE constatou que é crescente a proporção de adultos (25 a 34 anos) que, embora tenham algum tipo de renda, continuam a viver com os pais, formando a chamada “geração canguru”. Um em cada quatro jovens nesta idade (24,3%) ainda vivia com os pais em 2012, segundo a Síntese de Indicadores Socais. Em 2002, esse índice era de 20,5%, ou um em cada cinco jovens.

O fenômeno da geração canguru ocorre com mais frequência em famílias de renda mais alta e na região Sudeste. Entre os que optaram por continuar a viver com os pais, 60% são homens e 40% mulheres. Em geral, são ocupados e têm alta escolaridade. Segundo técnicos do IBGE, uma combinação de fatores pode levar ao adiamento da decisão de deixar as casas dos pais – os motivos vão de questões financeiras a emocionais.

Embora tenham renda própria, os jovens decidem continuar com os pais para economizar nos gastos com a casa e investir em estudos e aprimoramento profissional. Também existe, segundo a técnica do IBGE Ana Saboia, uma tendência de amadurecimento mais tardio entre os jovens. A preocupação em dar mais assistência aos pais e a decisão de casar mais tarde também pesam no crescimento da geração canguru.


9 comentários

  1. BOZO
    sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 18:29 hs

    CLARO, COM A POLÍTICA ASSISTENCIALISTA DO GOVERNO FEDERAL, ESQUECENDO DO PRINCIPAL, QUE É GERAR EMPREGO E RENDA, QUERIAM O QUÊ ?????? VOTEM NOVAMENTE NO PT (PARTIDO DOS TRAMBIQUEIROS). O BRASIL NÃO AGUENTA MAIS 4 ANOS COM ESTES SURRUPIADORES. DEUS NOS PROTEJA.

  2. segio silvestre
    sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 18:40 hs

    Então,vou pelo exemplo que eu vejo aqui no centro de Londrina,a cidade cercada de pedágios por todos os lados,bem no centro,o Bosque municipal.
    Meninas de 13 anos matam as aulas e vão fumar maconha e outras drogas ali.
    O pagamento e fazer sexo com o traficante,este pega tres ou quatro meninas diferente por semana.
    Logo elas emprenham e ganham seus filhos ,que ficam nas creches enquanto elas se prostituem.
    Quando o traficante é preso,elas vão fazer visitas intimas aos bem cuidados bandidos,estes as emprenham novamente de dentro da cadeia.
    Tem traficante que tem cinco mulheres todas com filhos seus.
    Logo estas crianças estaram nas ruas sem estudo e sem o amparo dos pais.
    Ai fazemos uma conta e temos 9 milhões de vagabundos que não querem trabalhar,porque serviço tem de monte,e porque a lei permitiram que seus pais os colocassem no mundo nessa condição.
    Então, o que fazer?

  3. Luiz Carlos - londrina
    sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 18:58 hs

    Em Brasília tem bastande emprego nos hoteis com salários de ate 20 paus.
    As vezes a mentira da dona Dinda, demora mas a verdade vem a tona.

  4. Parreiras Rodrigues
    sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 20:41 hs

    Governo ronca papo com índice de baixo desemprego, mas não conta prá ninguém que inscrito em bolsa-família, é considerado empregado.

  5. catilina
    sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 20:44 hs

    E o caso Thainá ninguém mais fala?????????????????? será que os blogs e demais mídia percebem que não dá mais ibope? é a chamada CEGUEIRA VOLUNTÁRIA. Ninguém saiu a favor dos policiais presos e agora o Gaeco tá com batata quente nas mãos pois estão dando proteção aos verdadeiros criminosos. Porra Campana me admira você deixar rolar essa bronca numa boa………….

  6. nic
    sexta-feira, 29 de novembro de 2013 – 22:47 hs

    Aí vai uma música premonitória da década de 80, época que já tinha muitos inúteis. Pelo visto o número aumentou. Mas, estes inúteis não tem que se preocupar porque tem muita gente trabalhando dobrado para eles poderem “descansar”.
    Inutiel -Ultraje a Rigor.A gente não sabemos/ Escolher presidente/ A gente não sabemos/ Tomar conta da gente/ A gente não sabemos/ Nem escovar os dente/ Tem gringo pensando/ Que nóis é indigente…/”Inúteu”!/ A gente somos “inúteu”!/ “Inúteu”!/ A gente somos “inúteu”!/ A gente faz filho/ E não consegue criar/Inúteu…

  7. nic
    sábado, 30 de novembro de 2013 – 23:01 hs

    Esta geração nem nem realmente não são desocupados. As garotas passam o dia interiro se embonecando, de shortinho e regata, para pegar um cara, morar com ele, ter um filho e dizer para as outras que agora é “casada”. Os caras passam o dia fazendo bicos, isso quando não estão envolvidos com algo ilícito para terem dinheiro para envenenar o carro com um super Som e conseguir pegar as gatas. Eles acham que trabalhar em empregos que pagam o salário mínimo é pouco para eles que são gatas e manos! Querem ser jogador de futebol ou assessor político no mínimo. Mas eles tem um exemplo bom a seguir. Não vê o Lula. É da geração nem nem de 1980 e chegou a presidente! A verdade que esta geração nem nem é uma bomba silenciosa implodindo o país.

  8. OCIMAR
    domingo, 1 de dezembro de 2013 – 9:29 hs

    TUDO petista,KKKKKKKKKKKKKKKKKK

  9. QUESTIONADOR
    segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 – 14:35 hs

    -Êpa Campana, notícia requentada não vale!!!
    -A água não passa duas vezes embaixo da mesma ponte!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*