MP-PR denuncia três por banco de ossos clandestino em Londrina | Fábio Campana

MP-PR denuncia três por banco de ossos clandestino em Londrina

Do G1 PR, em Maringá:

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ofereceu denúncia contra três suspeitos de manter um banco de ossos clandestino em Londrina, no norte do Paraná. Dois deles são irmãos, presos no dia 3 de setembro, denunciados por armazenar e comercializar órgãos e tecidos humanos. O outro envolvido, não identificado pelo MP, foi denunciado por intermediar, facilitar e obter vantagem com o comércio ilegal.

De acordo com a polícia, os homens vendiam ossos e tecidos para dentistas de vários estados brasileiros. Os materiais, diz o MP, eram enviados pelo correio. A suspeita é de que eles praticavam o crime desde 2004.

Os materiais eram armazenados em um escritório, no Jardim Cláudia, e na casa de um dos suspeitos, na Gleba Palhano, ambos na zona da sul da cidade. Ao todo, foram recolhidos pela polícia 16 cabeças de fêmur, 89 frascos com pedaços de ossos em bloco, 46 frascos com ossos triturados em liquidificador, misturado com soro fisiológico, e outras sete embalagens com ossos triturados e uma com fragmentos de ossos do quadril. Segundo a polícia, os pequenos frascos com ossos eram vendidos por preços entre R$ 180 e R$ 250.

“Apurou-se que, ao lado do referido escritório, havia um saco de lixo, deixado na lixeira da rua, o qual continha entre outras coisas grande quantidade de soro fisiológico, luvas, máscaras e ampolas de garamicina 80mg (princípio ativo de gentamicina – antibiótico)”, relata o promotor Paulo Tavares, responsável pela denúncia.

Conforme o MP-PR, hospitais e clínicas odontológicas que fazem transplantes ósseos no estado estão sob investigação policial e da Vigilância Sanitária. Os órgãos apuram se houve participação de médicos e de outros profissionais da Saúde no fornecimento de ossos para o banco de ossos ilegal.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*