Servidores da Saúde de Curitiba podem entrar em greve a partir de hoje | Fábio Campana

Servidores da Saúde de Curitiba podem entrar em greve a partir de hoje

Da Banda B

Os servidores da Saúde de Curitiba podem entrar em greve na noite desta segunda-feira (14). De acordo com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), a paralisação está motivada pela falta de negociação da Prefeitura com relação à incorporação do Incentivo de Desenvolvimento de Qualidade (IDQ), avaliação de desempenho, jornada de trabalho e às 30 horas. A greve, se aprovada, deve afetar todas as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) por tempo indeterminado, já que somente os serviços emergenciais devem ser mantidos.

No entanto, segundo o sindicato, na última semana eles se reuniram com as secretarias de Saúde e Recursos Humanos para discutir a pauta. “A Prefeitura disse que vai reduzir a jornada dos excluídos a partir de janeiro de 2014. A gestão ainda criou uma comissão paritária para discutir a escala de trabalho. O prazo de conclusão dos trabalhos é de 30 dias. Quanto à incorporação do IDQ, a gestão municipal tem também 30 dias para estudar e fazer levantamentos técnicos. A meta é a construção de uma nova proposta para a avaliação de desempenho”, diz a nota do Sismuc.

A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba e aguarda retorno.


4 comentários

  1. carlos
    terça-feira, 15 de outubro de 2013 – 13:47 hs

    MAIS GREVE, SE QUISEREM GANHAR BEM PROCUREM OUTRO SERVIÇO, JA ATENDEM MAU E PORCAMENTE.

  2. carlos rocha
    terça-feira, 15 de outubro de 2013 – 14:08 hs

    É NA NOVA GESTÃO DA SAÚDE EM CURITIBA A ÚNICA COISA QUE AVANÇOU FOI A MUDANÇA DE NOMES DAS UNIDADE DE SAÚDE E O VISUAL DAS MESMAS O RESTO SÓ PIOROU.

  3. antonio carlos
    terça-feira, 15 de outubro de 2013 – 17:58 hs

    Apoiados, 30 horas já, só quem trabalhou na área de Saúde sabe como estas 6 horas demoram para passar.

  4. Pedro Marquetti
    quarta-feira, 16 de outubro de 2013 – 10:36 hs

    Curioso! Estive ontem, segunda, no PS Ouvidor Pardinho, e vi algo novo lá: Na entrada do único elevador daquela unidade, penduraram um DIPLOMA, conferido àquela unidade por Ducci, quando ele ainda era Deputado, na década de 90. (Vou lá todos os meses, e aquilo não estava, nem esteve lá pelo menos até uns trinta dias atrás.
    Por ser coisa do Ducci, e conhecendo seu modus operandi, a única coisa que aparece no “Diploma” é o nome dele. À distancia, imaginei que o homenageado era ele, e não o Posto. Ele era apenas o presidente duma tal comissão na Alep, mas a única coisa que aparece é o nome do velhaco.
    Não seria isso, algo sintomático dessa greve?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*