Richa decreta luto oficial pela morte de Rischbieter | Fábio Campana

Richa decreta luto oficial pela morte de Rischbieter

O governador Beto Richa lamentou a morte do ex-ministro Karlos Heinz Rischbieter e decretou luto oficial no estado por três dias. “Rischbieter foi um dos homens públicos mais importantes na recente história do Paraná. Deixa um legado imensurável pela sua clareza intelectual e contribuiu de forma marcante em várias áreas de atuação. Uma perda irreparável ao Paraná e ao Brasil”, disse Richa.

O governador Beto Richa lamentou a morte do ex-ministro Karlos Heinz Rischbieter e decretou luto oficial no estado por três dias. “Rischbieter foi um dos homens públicos mais importantes na recente história do Paraná. Deixa um legado imensurável pela sua clareza intelectual e contribuiu de forma marcante em várias áreas de atuação. Uma perda irreparável ao Paraná e ao Brasil”, disse Richa.

Rischbieter, engenheiro ex-ministro da Fazenda e ex-presidente da Caixa Econômica Federal, morreu na tarde desta quinta-feira (17), às 16h25. Ele sofria de enfisema pulmonar e estava internado na UTI do Hospital Santa Cruz. Rischbieter tinha 85 anos e deixa mulher, dois filhos e netos. Seu corpo será cremado. O velório acontece a partir das 8 horas desta sexta-feira (18) na Capela Vaticano, que fica próximo ao Cemitério Municipal do São Francisco, no bairro São Francisco.

Nascido em Blumenau, em Santa Catarina, em 1927, Rischbieter veio a Curitiba aos 18 anos para cursar engenharia na Universidade Federal do Paraná. Ele foi ministro da Fazenda entre 1979 e 1980, no governo João Figueiredo. Antes, foi presidente da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e do extinto Banco do Desenvolvimento do Paraná (Badep).

Durante sua permanência na Fazenda, Rischbieter instituiu o ato que suprime a incidência do Imposto de Renda na fonte sobre o 13º salário e a obrigatoriedade do recolhimento antecipado pelas pessoas físicas do imposto de renda – o que teria dado a ideia do “Carnê Leão”.

Amante das artes, Rischbieter também escrevia e desenhava, e foi o principal tradutor brasileiro da obra de Rainer Maria Rilke. Ele é autor do livro “Outonal – Um Amor de Viagem pela Europa”, lançado em 2011, e de Grafismos, uma coleção de suas aquarelas. Em 2010, lançou sua autobiografia, intitulada “Fragmentos de Memória”.


Um comentário

  1. Nanda
    quinta-feira, 17 de outubro de 2013 – 21:03 hs

    Merecido luto, lamentável perda.
    MINISTRO que muito bem representou nosso estado e muito fez pelos paranaenses, nunca ,sequer pensou em sacrificar o nosso Estado em benefício próprio

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*